Fire Emblem: Path of Radiance

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fire Emblem: Path of Radiance
Produtora Intelligent Systems
Editora(s) Nintendo
Plataforma(s) GameCube
Data(s) de lançamento 2005
Gênero(s) RPG
Estratégia
Modos de jogo Single-player
Número de jogadores 1
Média 1 mini-DVD
Controles Joystick

Fire Emblem: Path of Radiance (em japonês ファイアーエムブレム 蒼炎の軌跡, Faiā Emuburemu: Sōen no Kiseki|lit. "Fire Emblem: O caminho do resplendor") é um jogo da série Fire Emblem, desenvolvido por Intelligent Systems e publicado por Nintendo para a consola Nintendo GameCube. É o primeiro e único jogo da saga para este sistema, além de ser o primeiro de um vídeo game não portátil em publicar-se internacionalmente. Também é o primeiro da série que apresenta gráficos tridimensionais, e vozes para as personagens.

A história se desenvolve no continente fictício de Tellius. A história deste jogo não está relacionada com nenhum jogo anterior de Fire Emblem. No entanto, o jogo para Wii, Fire Emblem: Radiant Dawn, continua a trama três anos após o final de Path of Radiance.

Ike, o Lorde e protagonista de Path of Radiance, é um dos personagens jogáveis em Super Smash Bros. Brawl para Wii e Super Smash Bros. para Nintendo 3DS e Wii U.

Sistema de jogo[editar | editar código-fonte]

Fire Emblem: Path of Radiance apresenta o mesmo estilo de jogo que as fanquias anteriores, onde o jogador movimenta seus personagens por um tabuleiro durante seu turno, e o inimigo ataca durante o turno inimigo. As unidades ganham experiência após cada combate, e podem subir de nível e melhorar suas estatísticas. As personagens de nível 10 ou superior podem mudar de classe (por exemplo, de "Mago" a "Sábio"), o que geralmente comporta um aumento maior das estatísticas, e a possibilidade de usar novas armas.

Não obstante, este jogo inclui várias novidades em relação aos títulos anteriores. Apresenta novas classes de unidade, os laguz, que podem permanecer transformados em animais (felinos, aves ou dragões) durante alguns turnos, mas na sua forma humana são mais débeis. As unidades que alcançam o nível 20 podem ser promovidos automaticamente subindo um nível; diferente nos jogos de GBA, que era necessário utilizar um objeto específico para mudar de classe. Além disso, Path of Radiance inclui uma Base antes de cada combate, onde o jogador pode administrar os objetos, ver conversações de apoio entre as personagens, receber informação, entregar experiência adicional -que se obtém ao acabar um nível, se são cumpridos determinados objetivos (geralmente, acabá-lo em poucos turnos)-, e outorgar habilidades - utilizando uns objetos que se obtêm ao longo do jogo -. Também se pode aceder às lojas para comprar ou vender armas e objetos, e existe a possibilidade de forjar um arma personalizada de vários tipos. As melhorias da arma (dano, possibilidade de repente crítico, precisão e peso) determinam o preço da arma a forjar; também se pode mudar o nome e cor da arma, mas não influirá no preço.

Argumento[editar | editar código-fonte]

Ike é o filho de Greil, o líder de uma banda de mercenários conhecidos como "Mercenários de Greil". Pouco depois de Ike começar a trabalhar na banda de mercenários, o grupo se inteira que Daein, um poderoso reino, invadiu Crimea, de menor poder militar. Ike e um pequeno grupo se dirigem a investigar, mas após um combate com um grupo de soldados de Daein, eles encontram uma garota inconsciente. Eles a levam de volta a sua base, e lá descobrem que é Elincia, a princesa de Crimea. Ela os explica que o Rei Ramon e o Duque Renning de Crimea (seu pai e seu tio, respectivamente) foram mortos por soldados de Daein. Os mercenários de Greil decidem protegê-la e levá-la até Gallia, o reino dos laguz felinos, que é aliado de Crimea.

Após livrar-se de mais soldados de Daein, Greil entra em um combate contra um misterioso geral daenita, conhecido apenas como Black Knight, que lhe derrota sem dificuldade. Ike presencia a batalha e tenta atacar o cavaleiro, mas é derrotado. Ele (o Black Knight) pergunta a Greil sobre a localização do "Medalhão", ameaçando matar seus filhos se não disser. No entanto, se vê obrigado a retirar-se ao ouvir os rugidos do rei de Gallia. Antes de morrer, Greil pede a Ike que não tente vingá-lo.

Os mercenários de Greil, agora comandados pelo jovem Ike, começam uma longa viagem que lhes levará a percorrer todo o continente, com o objetivo de derrotar o rei de Daein, Ashnard, e devolver a Elincia ao trono de Crimea. Durante a viagem, os escuros motivos que levaram Ashnard a iniciar uma guerra se desvelam, assim como o significado e poder do "Medalhão de Lehran". O grupo de Ike terá que superar os antigos ódios entre laguz e beorc e derrotar ao Cavaleiro Negro e, mais tarde, o próprio Rei Ashnard para evitar um desastre.

Beorc e laguz[editar | editar código-fonte]

Path of Radiance (assim como sua sequência, Radiant Dawn) tem como foco os conflitos entre as duas espécies que povoam o continente de Tellius. São elas:

  • Beorcs: Humanos normais e sem habilidades especiais.
  • Laguz: Humanos com certas características animais e que têm o poder de tomar a forma desses animais.

Tellius[editar | editar código-fonte]

Path of Radiance realiza a ação em um continente fictício chamado Tellius. Tellius se encontra dividido em várias nações que são governadas por beorcs ou laguz. Há sete nações:

  • Crimea: É um reino beorc que é invadido no início do jogo. É a casa dos Mercenários de Greil.
  • Daein: É um reino beorc que tenta invadir grande parte do continente, começando por Crimea. Suas aspirações começaram desde o momento que subiu ao trono o rei Ashnard. É o país mais discriminador contra os laguz.
  • Begnion: É uma aristocracia beorc que adora a deusa Ashera. É dirigida em seu mais alto posto pela jovem apóstola Sanaki.
  • Gallia: Lar dos dos laguz bestas; a qual recentemente melhorou as relações com o reino de Crimea graças às amistosas relações entre as famílias governantes de Crimea e Gallia.
  • Phoenicis: Lar dos laguz falcões; seu líder é Tibarn.
  • Kilvas: Lar dos laguz corvos; eles são considerados os mais desprezíveis e desonráveis pelos falcões. Seu rei é Naesala.
  • Goldoa: Lar dos dragões; isolada do resto do continente e governada pelo Dragão Negro Rei Deghinsea.

Há também o reino de Serenes, antigo lar dos laguz herons, situado em uma floresta no interior do território de Begnion. Vinte anos anteriores à história do jogo, fora destruída em um massacre que dizimou praticamente toda a população heron.

Crítica[editar | editar código-fonte]

O jogo foi aplaudido pela crítica internacional, destacando a profundidade da história, as grandes cenas de batalha, as sequências de vídeo e a banda sonora orquestrada. Como pontos negativos se destacou o defasado gráfico do jogo e a longa duração dos diálogos.

Recepção[editar | editar código-fonte]

Notas de meios especializados
Publicação Nota
EGM
8.17 sobre 10[1]
Game Informer
9 sobre 10[1]
GameSpot
8.6 sobre 10[2]
IGN
8.7 sobre 10[3]
Eurogamer
8 sobre 10[4]
Nintendo Power
9.5 sobre 10[1]

Path of Radiance recebeu críticas positivas após seu lançamento. Game Rankings, um site que amostra a média de um videjuego em porcentagens segundo a média obtida em uma considerável quantidade de fontes, dotou ao jogo com 86 por cento, dándole maior nota meia que Fire Emblem: The Sacred Stones.

O jogo foi elogiado pela sua profunda história, seus excelentes cut-scenes cinematográficos e sua música orquestrada. No entanto, foi criticado pelos seus gráficos no jogo, bastantes pobres, e seus longos períodos de dialogo.

Willian Jepson de Nintendo ratificou Fire Emblem como uma série que você mais gosta quando mais você joga a ele. Desde seu lançamento, Path of Radiance vendeu sobre 156.000 unidades no Japão até no dia 31 de Dezembro de 2006.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Ike, o protagonista deste jogo, aparece como lutador jogável nos jogos Super Smash Bros. Brawl e Super Smash Bros. for Nintendo 3DS / Wii U.
  • É o primeiro jogo da série a ser tridimensional, em incluir vozes para as personagens e em incluir letra em um tema musical de sua banda sonora, exatamente em Life Returns. Mesmo que o idioma seja fictício.

Referências

  1. a b c "'Gamerankings — Fire Emblem '", Game Rankings. Página visitada em 2007-08-02.
  2. Greg Kasavin (2005-10-25). 'Fire Emblem for GameCube Review' Gamespot. Visitado em 2007-07-22.
  3. Peer Schneider (2005-10-14). 'Fire Emblem: Path of Radiance — IGN' IGN. Visitado em 2007-08-02.
  4. Tom Bramwell (2005-11-09). 'Fire Emblem: Path of Radiance Review — Eurogamer' Eurogamer. Visitado em 2007-08-02.
Ícone de esboço Este artigo sobre jogos eletrônicos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.