Flavivírus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde fevereiro de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Considere utilizar {{revisão-sobre}} para associar este artigo com um WikiProjeto e colocar uma explicação mais detalhada na discussão.
NoFonti.svg
Este artigo cita fontes fiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo. Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Como ler uma caixa taxonómicaFlavivírus
YellowFeverVirus.jpg

Classificação científica
Família: Flaviviridae
Género: Flavivirus
Espécie-tipo
Vírus da Febre Amarela

Flavivírus (também chamado complexo antigênico de encefalite japonesa) é um gênero da família Flaviviridae. Este complexo inclui o vírus do Oeste do Nilo e diversos outros vírus que causam a encefalite. Eles começaram a ser estudados quando se descobriu que o vírus da febre amarela é transmitido por um mosquito hematófago. Um dos membros mais conhecidos da família é o vírus da hepatite C. Além dele, o vírus da dengue e da febre amarela também são bastante conhecidos. Até o ano de 2000, eram dez as doenças causadas por flavivirus no Brasil: dengue 1, 2 and 4, Iguapé, Ilhéus, Rocio, encefalite de Saint Louis, Bussuquara, Cacipacoré e febre amarela. [1]


Os Flavivírus partilham um tamanho comum (40-60 nanômetros), simetria e ácido nucleico, de fita positiva de RNA. O genoma de RNA contém aproximadamente 10,000 nucleotídeos ou 10 genes contidos em uma cadeia aberta de leitura que codifica uma poliproteína de 3391 aminoácidos (no caso da Dengue 2) que depois é clivada em três proteínas estruturais e sete proteínas não estruturais [2] . Dentre as arboviroses, aquelas transmitidas por mosquitos, as causadas por Flavivírus são as mais importantes causadoras de surtos ou epidemias [2] .

A identificação e caracterização molecular do Flavivírus são importantes para detectar o vírus circulante e alertar a vigilância epidemiológica em uma região.

Recentemente o vírus da febre amarela vem ganhando destaque na mídia brasileira, visto que vários casos vêm sendo catalogados na região Centro-Oeste, sobretudo, causando a preocupação da população em geral e providências das autoridades responsáveis pelo combate ao vírus [3] .

Referências

  1. FIGUEIREDO, L. T. M. (2000). The Brazilian flaviviruses.. Visitado em 15 Ago. 2013.
  2. a b Bifano, G.S., Vieira D.S, Batista W.C., Pereira da Silva,L.H.. DETECÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DE FLAVIVÍRUS ATRAVÉS DE PRIMERS UNIVERSAIS. Visitado em 01 de março de 2010.
  3. Da Reuters (08/02/08). Surto de febre amarela no Brasil é 'bastante sério', diz OMS. Visitado em 01 de março de 2009.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre vírus é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.