Fleury (ator)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página está a atravessar um processo de expansão ou reestruturação. A informação presente poderá mudar rapidamente, podendo conter erros que estão a ser corrigidos. Todos estão convidados a dar o seu contributo e a editar esta página. Caso esta não tenha sido editada durante vários dias, retire esta marcação.

Esta página foi editada pela última vez por Renato de carvalho ferreira (D C) 2 meses atrás. (Recarregar)

Fleury, nome artístico de Joseph-Abraham Bénard, (Chartres, 26 de outubro de 1750Orleães, 3 de março de 1822) foi um comediante francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de um dos atores da companhia de Estanislau I da Polônia. Debutou na Comédie-Française em 1772, e popularizou-se em papéis de cortesãos, de bandidos e de pequenos senhores. O público não se cansou de aplaudi-lo em "Le Chevalier à la Mode" (Dancourt), "L'Homme à Bonnes Fortunes" (Baron), e sobretudo como Marquês em "L'École des Bourgeois" (d'Allainval).
Na noite de 2 de Setembro de 1793, em plena Revolução Francesa, ele foi preso, com mais 12 atores do Théâtre-Français, fiéis à monarquia, como "suspeito", e encerrado na Prisão des Madelonnettes, por ter participado da encenação teatral da peça "Pamela", considerada subversiva.
Deixou a cena em 1818.

Em 1836, foram publicadas supostas "Memórias de Fleury", redigidas por Jean-Baptiste-Pierre Lafitte, feitas a partir de algumas notas encontradas entre seus papéis depois de sua morte.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.