Fleury (ator)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
A página está num processo de expansão ou reestruturação.
Esta página atravessa um processo de expansão ou reestruturação. A informação presente poderá mudar rapidamente, podendo conter erros que estão a ser corrigidos. Todos estão convidados a contribuir e a editar esta página. Caso esta não tenha sido editada durante vários dias, retire esta marcação.

Esta página foi editada pela última vez por Renato de carvalho ferreira (D C) há 10 meses atrás. (Recarregar)

Fleury, nome artístico de Joseph-Abraham Bénard, (Chartres, 26 de outubro de 1750Orleães, 3 de março de 1822) foi um comediante francês.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era filho de um dos atores da companhia de Estanislau I da Polônia. Debutou na Comédie-Française em 1772, e popularizou-se em papéis de cortesãos, de bandidos e de pequenos senhores. O público não se cansou de aplaudi-lo em "Le Chevalier à la Mode" (Dancourt), "L'Homme à Bonnes Fortunes" (Baron), e sobretudo como Marquês em "L'École des Bourgeois" (d'Allainval).
Na noite de 2 de Setembro de 1793, em plena Revolução Francesa, ele foi preso, com mais 12 atores do Théâtre-Français, fiéis à monarquia, como "suspeito", e encerrado na Prisão des Madelonnettes, por ter participado da encenação teatral da peça "Pamela", considerada subversiva.
Deixou a cena em 1818.

Em 1836, foram publicadas supostas "Memórias de Fleury", redigidas por Jean-Baptiste-Pierre Lafitte, feitas a partir de algumas notas encontradas entre seus papéis depois de sua morte.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.