Flickan som lekte med elden

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Flickan som lekte med elden
A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo (PT)
A Menina que Brincava com Fogo (BR)
Autor (es) Stieg Larsson
Idioma sueco
País  Suécia
Género Romance criminal
Série Trilogia Millennium
Espaço onde decorre a história Suécia
Editora Norstedts
Lançamento 2006
ISBN 978-85-359-1627-0
Edição portuguesa
Tradução Mário Dias Correia
Editora Oceanos
Lançamento 2009
Páginas 611
ISBN 978-989-23-0345-1
Edição brasileira
Tradução Dorothé de Bruchard
Editora Companhia das Letras
Lançamento 2009
Páginas 607
ISBN 9788535914221
Cronologia
Último
Último
Män som hatar kvinnor
Luftslottet som sprängdes
Próximo
Próximo

Flickan som lekte med elden (A Menina que Brincava com Fogo (título no Brasil) ou A Rapariga que Sonhava com uma Lata de Gasolina e um Fósforo (título em Portugal)) é um livro sueco escrito por Stieg Larsson, que já vendeu mais de 10 milhões de exemplares no mundo.[1] É o segundo volume da Trilogia Millennium.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Lisbeth parece uma garota frágil, mas é uma mulher determinada, ardilosa, perita tanto nas artimanhas da ciberpirataria quanto nas táticas do pugilismo. Mikael Blomkvist pode parecer apenas um jornalista em busca de um furo, mas no fundo é um investigador obstinado em desenterrar os crimes obscuros da sociedade sueca, sejam os cometidos por repórteres sensacionalistas, sejam os praticados por magistrados corruptos ou ainda aqueles perpetrados por lobos em pele de cordeiro. Um destes, o tutor de Lisbeth, foi morto a tiros. Na mesma noite, contudo, dois cordeiros também foram assassinados - um jornalista e uma criminologista que estavam prestes a denunciar uma rede de tráfico de mulheres. A arma usada nos crimes não só foi a mesma como nela foram encontradas as impressões digitais de Lisbeth. Procurada por triplo homicídio, a moça desaparece. Mikael sabe que ela apenas está esperando o momento certo para provar que não é culpada e fazer justiça a seu modo. Mas ele também sabe que precisa encontrá-la o mais rapidamente possível, pois mesmo uma jovem tão talentosa pode deparar-se com inimigos muito mais formidáveis, e que, se a polícia ou os bandidos a acharem primeiro, o resultado pode ser funesto, para ambos os lados.[2]

Personagens[editar | editar código-fonte]

Lisbeth Salander: uma hacker experiente, tem um estilo punk e é aparentemente bissexual. Uma garota diferente que teve uma adolescência conturbada, agora está na mira da polícia de Estocolmo.

Mikael Blomkvist: jornalista famoso que trabalha na Revista Millennium. É um homem de meia-idade, honesto e íntegro. Amigo de Lisbeth, vai ajudá-la seguindo as pistas de um triplo assassinato.

Erika Berger: diretora da revista Millennium.

Malu Eriksson: trabalha na Millennium e ajuda Mikael com suas investigações.

Nils Bjurman: tutor de Lisbeth Salander, um advogado corrupto que foi misteriosamente assassinado.

Dag Svensson: um jovem jornalista que antes de ser assassinado preparava um livro denunciando uma rede de tráfico internacional de mulheres, o qual seria publicado pela Millennium.

Mia Bergman: esposa de Dag, escreveu um artigo sobre tráfico de mulheres. Também foi morta.

Jan Bublanski: trabalha na polícia, agora engajado na caça a Lisbeth Salander e na busca de soluções para os crimes.

Sonja Modig: uma competente policial, ajuda Bublanski.

Miriam Wu: amiga de Lisbeth e sua companheira sexual casual.

Paolo Roberto: amigo de Lisbeth, lutador de boxe.

Alexander Zalachenko (Zala): o antagonista da história, é um refugiado da URSS e que comanda um esquema de tráfico de mulheres. Também é o pai da Lisbeth.

Ronald Niedermann: apelidado de "gigante loiro", trabalha para Zalachenko e é filho dele, sendo assim, meio-irmão de Lisbeth.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]