Foca-leopardo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaFoca-leopardo
Hydrurga leptonyx edit1.jpg

Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Mammalia
Ordem: Carnivora
Superfamília: Pinnipedia
Família: Phocidae
Género: Hydrurga
Gistel, 1848
Espécie: H. leptonyx
Nome binomial
Hydrurga leptonyx
(Blainville, 1820)
Distribuição geográfica
Distribuição geográfica da foca-leopardo
Distribuição geográfica da foca-leopardo

A foca-leopardo (Hydrurga leptonyx) é uma foca que habita os mares em torno da Antártida, mas também pode ser encontrado nas costas do sul da Austrália, Tasmânia, África do Sul, Nova Zelândia, Ilha Lord Howe, Terra do Fogo, Ilhas Cook e costa atlântica da América do Sul. Ela pode viver 26 anos, possivelmente mais.[1] Estes animais são predadores e alimentam-se de pinguins, cefalópodes e outras focas, como a foca-caranguejeira. A orca é o único predador natural da foca-leopardo.

Características Físicas[editar | editar código-fonte]

As focas-leopardos são grandes e musculosas, tendo uma cor cinza, um pouco mais escura nas costas e mais clara na barriga. As suas gargantas são esbranquiçadas e apresentam manchas pretas, que dão origem ao seu nome popular. As fêmeas são normalmente maiores que os machos, medindo em torno de 2,4 a 3,6 metros e pesando até 600 kg, enquanto que os machos medem de 2,4 a 3,2 metros e pesam até 400 kg.

O seu sentido de visão e olfato é extremamente desenvolvido. Os seus sentidos, combinados com o seu corpo hidrodinâmico, permitem que as focas se movam rapidamente pela água, o que a torna uma exímia predadora. Como a maioria dos carnívoros, os seus dentes da frente são afiados, mas seus molares fecham-se de uma maneira que lhes permite peneirar krill (uma espécie de camarão) da água.

Comportamento[editar | editar código-fonte]

As focas-leopardo vivem nas águas geladas em torno da Antárctida. Durante os meses de Verão, elas caçam entre as banquisas (camada de gelo resultante do congelamento das águas do mar nos polos) em torno do continente, passando a maior parte do tempo na água. No inverno, as focas migram para o norte, para as ilhas subantárticas, mas ocasionalmente podem ser vistas na costa sul da Nova Zelândia, Austrália e América do Sul. Os animais são geralmente solitários, só se agrupando na estação de acasalamento.

Elas se alimentam de uma grande variedade de animais: lulas, pinguins, krill, peixes oceânicos e, com menos frequência, pequenas focas.

Quando caça pinguins, a foca-leopardo patrulha as águas perto das bordas dos icebergs, quase completamente submergida, esperando que as aves entrem no oceano. Eles matam as aves marinhas agarrando-as pelas barbatanas e empurrando seus corpos contra o gelo repetidas vezes, até que estejam mortas e esfoladas.

Em 2003, uma foca-leopardo apanhou uma bióloga mergulhadora e matou-a. Mesmo que alguns ataques de focas-leopardo já tenham sido anteriormente documentados, este foi o primeiro que resultou em morte. [2]

Referências

  1. Leopard Seal Description & Characteristics. The Antarctic Connection.
  2. National Geographic: Leopard Seal Kills Scientist in Antarctica (2003).