Folívoro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Em Zoologia, um folívoro é um herbívoro especializado em comer folhas. Folhas maduras contêm alta proporção de celulose, o que as tornam difíceis de serem digeridas, proporcionando menos energia e eventualmente, componentes tóxicos.1 Por esta razão, animais folívoros possuem um longo trato digestório e metabolismo lento. Alguns possuem bactérias simbiontes que ajudam na digestão. Ademais, como observado em primatas folívoros, animais mostram preferência por folhas imaturas, que tendem a ter mais energia e proteína e menos fibras e compostos tóxicos do que folhas maduras.1

Evolução[editar | editar código-fonte]

Herbivoria evoluiu diversas vezes entre diferentes grupos de animais. Os primeiros vertebrados eram piscívoros, e então insetívoros, carnívoros e finalmente, herbívoros.2 Já que um complexo conjunto de adaptações é necessário para se alimentar com materiais de alto conteúdo fibroso (modificações nos dentes, mandíbulas, e trato disgestório), uma pequena proporção de vertebrados constitui-se de herbívoros estritos.2

Folivoria e voo[editar | editar código-fonte]

Foi observado que a folivoria é extremamente rara entre animais voadores.3 Morton (1978) atribui isso ao fato de que folhas são pesadas, difíceis de digerir e contém pouca energia em comparação com outros alimentos.3 O jacu-cigano é um exemplo de animal voador e folívoro.

Folívoros arborícolas[editar | editar código-fonte]

Folívoros arborícolas, como preguiças, coalas e algumas espécies de macacos e lêmures tendem a ter grande porte e serem lentos para escalar.4 Similaridades na forma do corpo e cabeça e estrutura dos dentes entre hominídeos primitivos e várias famílias de folívoros arborícolas, mostram que alguns hominoides primitivos eram folívoros.4

Primatas[editar | editar código-fonte]

A ecologia prevê que primatas folívoros vivem em grupos maiores, visto que grupos maiores providenciam melhor defesa contra predadores e há pouca competição entre indivíduos. Mas, frequentemente, é observado grupos pequenos. Explicações para este aparente paradoxo incluem fatores sociais como altas taxas de infanticídios em grupos maiores.5

Um bugio.

Primatas folívoros são relativamente raros no Novo Mundo, sendo os bugios, os melhores exemplos. Uma explicação para isso, é de que frutos e folhas comestíveis ocorrem simultaneamente nos mesmo locais. Entretanto, em 2001, um estudo colocou em cheque tal hipótese.6

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Exemplos de animais folívoros:

An okapi

Referências

  1. a b Jones, S., Martin, R., & Pilbeam, D. (1994) The Cambridge Encyclopedia of Human Evolution. Cambridge: Cambridge University Press
  2. a b Sahney, S., Benton, M.J. & Falcon-Lang, H.J.. (2010). "Rainforest collapse triggered Pennsylvanian tetrapod diversification in Euramerica" (PDF). Geology 38 (12): 1079–1082. DOI:10.1130/G31182.1.
  3. a b Do the Power Requirements of Flapping Flight Constrain Folivory in Flying Animals? R. Dudley, G. J. Vermeij Functional Ecology, Vol. 6, No. 1 (1992), pp. 101-104
  4. a b Cautious climbing and folivory: a model of hominoid differentation E. E. Sarmiento1 in Human Evolution Volume 10, Number 4, August, 1995
  5. Competition and group size in Thomas's langurs (Presbytis thomasi): the folivore paradox revisited R. Steenbeek and Carel P. van Schaik: Behavioral Ecology and Sociobiology Volume 49, Numbers 2-3 / January, 2001; Print ISSN: 0340-5443; Online ISSN 1432-0762
  6. <Can phenology explain the scarcity of folivory in New World primates? Heymann EW. in the American Journal of Primatology; November 2001