Fome russa de 1921

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Vítimas da fome em Buzuluk, Região do Volga, ao lado de Saratov

A fome russa de 1921, também conhecido como fome Povolzhye, que começou no início da primavera daquele ano, e durou até 1922, foi uma grande fome que ocorreu na Rússia bolchevique. A fome, que matou um número estimado de 5 milhões, afetando principalmente a região do Volga-Ural.[1] [2] [3]

A fome resultou do efeito conjugado da interrupção da produção agrícola, que já começou durante a Primeira Guerra Mundial, e continuou com os distúrbios da Revolução Russa de 1917 e a Guerra Civil Russa com a sua política do comunismo de guerra, especialmente prodrazvyorstka. Uma das secas intermitentes da Rússia, que aconteceu em 1921, agravou a situação ao nível da catástrofe nacional. Em muitos casos, a imprudência da administração local, que reconheceu os problemas só muito tarde, contribuíram para o problema. A fome era tão severa que era duvidoso que os grãos de sementes seriam plantadas em vez de comidas. Os camponeses, muitas vezes tiveram que recorrer a ervas alimentares, alimentos substitutos e até ao canibalismo tentando guardar sementes para o plantio no outono.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências