Força Aérea do Egito

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Força Aérea do Egito
Eafflag.svg
Bandeira da Força Aérea do Egito
País  Egito
Corporação Força Aérea
Subordinação Forças Armadas do Egito
Criação 1937
Logística
Efetivo 750 aeronaves
Insígnias
Cocar Egyptian Air Force Roundel.svg
Comando
Comandante em Chefe Marechal Younes Hamed

A Força Aérea do Egito (FAE) (em árabe: القوات الجوية المصرية, Al-Qūwāt al-Gawwīyä al-Miṣrīyä), é o ramo aéreo das Forças Armadas do Egito. Atualmente, o seu comandante é Reda Mahmoud Hafez Mohamed. O lema da FAE é "alto e além alto para alcançar a glória" (em árabe: إلى العلا في سبيل المجد, I'la al-a'la fī sabil al-Magd).

História[editar | editar código-fonte]

O Egito possui uma das forças aéreas mais antigas do Mundo Árabe, com suas primeiras unidades aéreas sendo formadas em 1930, cerca de dois anos após o rei Fuad I solicitar voluntários para iniciar os treinos de vôo. Até o final da Segunda Guerra Mundial, o Egito esteve sob uma forte influência britânica e sua força aérea utilizava equipamentos excedentes da Royal Air Force.

A recém expandida Força Aérea Egípcia lutou contra a recém formada Força Aérea Israelense durante a guerra árabe-israelense de 1948, na Palestina, que teve como resultado a fundação do Estado de Israel.

Nas décadas de 1950 e 1960, muitos países da região começaram a mover suas políticas em direção ao nacionalismo árabe, e o Egito estava no centro desse movimento. O apoio ocidental a Israel forçou o Egito a recorrer à União Soviética por armamentos.

Após a Guerra de Suez com Israel, Grã-Bretanha e França, os egípcios começaram a receber armamentos soviéticos, incluindo um grande número de caças MiG, para aumentar a capacidade ofensiva de sua força aérea.[1] A derrota na Guerra dos Seis Dias, em 1967, fez com que a força aérea egípcia recebesse ainda mais armamentos de Moscou.

Na década de 1980, os primeiros armamentos dos Estados Unidos, incluindo caças F-16 Fighting Falcon, chegaram ao país árabe.[2] Os egípcios também começaram a participar de exercícios de treinamento com os Estados Unidos, denominados Operação Bright Star. Durante a Guerra Irã-Iraque, o Egito enviou pilotos e consultores militares para dar suporte ao líder iraquiano Saddam Hussein.

Fotos[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre tópicos militares é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.