Ford Versailles

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ford Versailles
Ford Versailles.JPG Ford Versailles
Visão Geral
Produção 19911996
Fabricante Ford
Modelo
Classe Sedan Médio de Luxo
Carroceria sedan e Station Wagon
Ficha técnica
Motor 1.8 / 2.0
Modelos relacionados Ford Royale
Volkswagen Santana
Fiat Tempra
Chevrolet Monza
Cronologia
Último
Último
Ford Del Rey
Ford Mondeo
Próximo
Próximo

O nome Versailles foi utilizado por dois veículos produzidos pela Ford. A primeira vez foi na França, entre 1954 e 1957. Posteriormente, entre 1991 e 1996 a Ford Brasileira fabricou um automóvel com o mesmo nome, tendo por base o modelo Santana da Volkswagen, através da joint venture Autolatina. Hoje equivale ao Fusion ou Mondeo.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

O Ford Versailles foi produzido nas versões sedan com 2 portas e 4 portas e (perua) Royale, primeiramente com 2 portas para não invadir o mercado da Quantum, o que foi uma estratégia para agradar os fiéis fãs da antiga Belina. Mas a versão não fez muito sucesso por se tratar de um carro familiar. Por esse motivo, mais tarde a versão 4 portas entrou no mercado, aposentando a versão de 2 portas definitivamente.

Em 1991, quando o Ford Del Rey e a Belina já se mostravam obsoletos e sentiam a forte pressão da concorrência, com o renovado Monza e a chegada do moderno Fiat Tempra, a Ford viu que precisava de um produto mais moderno e competitivo, sendo assim ela viu nos novos VW Santana/ Quantum, que acabavam de ser lançados no mercado a solução de seus problemas. Sendo assim, em 1991, já como modelo 1992, a Ford lançou no mercado o Ford Versailles/Royale, nas versões GL e Ghia, com as motorizações AP 1.8 e AP 2.0, a álcool e a gasolina para os GL e AP 2.0 a´lcool e gasolina e AP2.0i gasolina para o Ghia. Os carros eram quase irmãos gêmeos do VW Santana/ Quantum, as únicas diferenças externas significativas eram as colunas "C" em preto fosco, as lanternas e tampa traseira diferenciadas e os faróis e grade dianteira, internamente o carro possuía um acabamento mais conservador e estofamento com espuma de menor densidade, característica dos carros Ford, o painel também tinha desenho exclusivo, embora o quadro de instrumentos fosse muito parecido com o do VW Santana. Na perua Royale a principal diferença era a inexistência das 4 portas nos primeiros anos de sua produção, limitando-se somente a versão com 2 portas. A versão Ghia primava pelos luxos e equipamentos de segurança, como teto solar elétrico a partir de 1994, câmbio automático e ABS (ainda longe de fazerem parte dos carros nacionais). Em 1996 já perto de serem descontinuados com o fim da Autolatina, receberam algumas modificações externas, como apliques menores nas lanternas traseiras, aerofólio, no caso do Versailles e grade oval na frente, sendo essas as únicas alterações estéticas que a dupla Versailles/ Royale sofreu enquanto esteve no mercado, sendo substituído no ano seguinte pelo Ford Mondeo .

Um detalhe importante era que Ford Versailles e Royale não eram fabricados na fábrica da Ford, mas sim na fábrica da VW, na mesma linha de montagem de Santana e Quantum. Como os carros possuiam a mesma plataforma e a mesma mecânica era muito mais barato produzi-los na mesma linha de montagem, assim como acontecia com Ford Verona/ VW Apollo / VW Logus e VW Pointer, que eram todos produzidos na fábrica da Ford, na linha de montagem do Ford Escort.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre automóveis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.