Formação reativa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Formação Reativa)
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde abril de 2010).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoYahoo!Bing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Formação Reativa é classificada por Sigmund Freud como um dos mecanismos de defesa psicológicos típico do subconsciente natural, sendo usada por indivíduos que querem camuflar e proteger seus desejos ou sensibilidade. Pessoas que defendem seu ego com a formação reativa podem ser frequentemente classificadas como orgulhosas ou agressivas, mas há uma diferença, porque enquanto o orgulho é uma auto-negação da ajuda de outrem e sentimento de auto-suficiência e confiança natural de um ser humano, a formação reativa é a simulação da indiferença ou da aversão ao seu desejo ou a qualquer tipo de ofensa ou ataque, enquanto na realidade o indivíduo sofre com o medo de ser rejeitado ou magoado. É a hipocrisia desesperada consciente enquanto o subconsciente sofre. Segundo Freud, a formação reativa seria um dos mais frágeis métodos de defesa ao ego, porque essa defesa parte da sensação pessoal do indivíduo de que está vulnerável a qualquer tipo de ataque, difamação ou algo que possa cortar sua sensibilidade. Usando a formação reativa, o consciente sente-se mais confortável porque sabe que mesmo que uma situação cause sofrimento ao ego, a pessoa não demonstrou tal sentimento para terceiros, podendo assim se iludir com o falso sentimento de que "nada me afetou, está tudo bem". Um exemplo disto é que, por exemplo, uma mulher pode demonstrar muita afeição para com seus filhos enquanto no fundo guarda ódio deles, ou um homem se mostre valente enquanto possui vários sentimentos de medo.

Exemplos[editar | editar código-fonte]

Não estou sofrendo, realmente, isso é ridículo! Está tudo bem.

Não estou sentindo ciúmes, por favor, você acha que eu poderia sentir ciúmes de uma pessoa como aquela?

Você acha que eu ligo para isso?!

Não existe problema nenhum. Nunca senti nada em relação a isso.

Origem[editar | editar código-fonte]

A origem da formação reativa geralmente são os traumas de infância e as ofensas imorais pressionados contra pessoas excessivamente sensíveis. Podem ser tanto problemas familiares quanto isolamento social ou insultos na infância. Na psicanálise, se tem uma visão aprofundada sobre a vida da pessoa e é possível ver o conflito que gerou a formação reativa em algum indivíduo.