Formato proprietário

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Um formato proprietário é o Formato de arquivo que é coberto por uma patente ou copyright. Tipicamente tais limitações tentam impedir as práticas de engenharia reversa, embora a engenharia reversa de formatos de arquivo para as finalidades de interoperabilidade seja geralmente considerada como legal. No entanto, as posições legais diferem de país para país, estando relacionado com o conceito de, entre outras coisas, patente de software. O oposto de formato proprietário é formato aberto, que não coloca limitações aos utilizadores finais.

Privacidade, posse, risco e liberdade[editar | editar código-fonte]

Uma das controvérsias que rodeiam o uso de formatos proprietários é o conceito de posse. Se a informação for armazenada num formato que o fornecedor de software tenta manter em segredo do utilizador, o utilizador tem a capacidade de possuir a informação, mas não tem nenhuma maneira de a recuperar, exceto através da utilização do software do fornecedor. Se o utilizador não puder recuperar a informação sem o consentimento do fabricante do software, surge a prática do controle da informação do utilizador. O fato de o utilizador depender do software para recuperar a informação armazenada nos seus documentos proprietários, dá garantia ao fornecedor da venda de versões futuras desse software. É a base para o conceito fechamento de vendas (vendor lock). O risco advém do fato da empresa decidir parar de disponibilizar o software para ler os documentos. Os utilizadores do formato podem perder todo acesso à informação nos documentos. Tais situações são bastante comuns, especialmente para versões descontinuadas de software.

Formatos proprietários[editar | editar código-fonte]

  • DOC - Microsoft Word Document
  • DWG - AutoCad Drawing
  • MP3 - MPEG Audio Layer 3

Formatos abertos[editar | editar código-fonte]