Fosfocreatina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fosfocreatina
Alerta sobre risco à saúde
Phosphocreatine.png
Nome IUPAC N-Methyl-N-(phosphonocarbamimidoyl)glycine
Outros nomes creatine phosphate
phosphorylcreatine
creatine-P
phosphagen
Identificadores
Abreviação PCr
Número CAS 67-07-2
PubChem 587
Número EINECS 200-643-9
SMILES
InChI InChI=1/C4H10N3O5P/c1-7(2-3(8)9)4(5)6-13(10,11)12/h2H2,1H3,(H,8,9)(H4,5,6,10,11,12)/f/h8,10-11H,5H2/b6-4+
Propriedades
Fórmula molecular C4H10N3O5P
Massa molar 211.11 g/mol
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

A fosfocreatina, também conhecida como creatina fosfato ou PCr, é uma mólecula de creatina fosforilada que é um importante depósito de energia no músculo esquelético, já que transporta uma ligação fosfato de alta energia similar às ligações do ATP. A fosfocreatina é clivada instantaneamente para reconstituir a molécula de ATP (gasta na contração muscular) a partir de um ADP e de um novo íon fosfato que se liga a ele, além de formar creatina por 2 a 7 segundos após um esforço muscular intenso. Essa reação de degradação é reversível.

Os poucos segundos (de cinco a oito segundos) em que uma pessoa é capaz de manter a contração muscular máxima se devem ao fato de que a quantidade total de fosfocreatina no músculo, assim como a do ATP, é muito pequena. A quantidade de fosfocreatina é em torno de cinco vezes maior que a quantidade de ATP.

A fosfocreatina tem um papel importante nos tecidos que possuem uma demanda muito alta de energia flutuante, como o músculo e o cérebro. Essa substância é sintetizada no fígado e é transportada para as células musculares para armazenamento.

A degradação da fosfocreatina gera a creatinina, cujos níveis no soro sanguíneo são muito utilizados para medir a função renal.