François-Alphonse Forel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
François-Alphonse Forel

François-Alphonse Forel (Morges, Vaud, 2 de Fevereiro de 1841 — Morges, 7 de Agosto de 1912) foi um médico, professor universitário e cientista suíço, pioneiro do estudo dos lagos, considerado como o fundador da limnologia.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nasceu em Morges, nas margens do Lago de Genebra, filho de François Forel, jurista e naturalista, numa distinta família da intelectualidade local. Foi primo de August Forel, professor de psiquiatria e investigador da psicometria, defensor do eugenismo.

Depois de ter concluído os seus estudos secundários em Genebra (1857-1859), estudou Medicina em Montpellier, Paris e Würzburg, em cuja Universidade obteve em 1867 o grau de Doutor em Medicina. Nesse mesmo ano foi contratado como professor da Universidade de Würzburg.[1]

Em 1871 foi nomeado professor de anatomia e de fisiologia geral na Académie de Lausanne. Em 1875 foi transferido para as cadeiras de zoologia e de anatomia comparada.[1] A partir de 1895 dedicou-se exclusivamente à investigação científica, deixando de leccionar.

Apesar de professor de Medicina, o seu real interesse foi o estudo dos lagos. Dedicou-se ao estudo da biologia, química, circulação da água e sedimentação, e especialmente das suas interacções nos ambientes lacustres. Ao estabelecer estas interacções lançou os fundamentos de uma nova disciplina científica.[2]

No Lago Léman realizou estudos tão diversificados como a caracterização físico-química das águas, a determinação das zoonoses que afectavam os peixes, a avaliação das potencialidades da piscicultura e a determinação das características e causas das marés, correntes, seichas e vagas[desambiguação necessária].

No seu principal trabalho, intitulado Le Léman: Monographie limnologique, publicado em três volumes entre 1892 e 1904, designou a sua actividade, e a nova disciplina científica, como limnologia, por analogia com a oceanografia (o termo "limnografia" poderia ser confundido com a designação do limnógrafo, o equipamento utilizado para registar o nível da água nos lagos).

Descobriu o fenómeno depois designado por correntes de densidade nos lagos e explicou o mecanismo que leva à formação das seichas, as oscilações rítmicas do nível das águas observadas em bacias fechadas. Também se lhe deve, em colaboração com o limnologista alemão Wilhelm Ule, o desenvolvimento da escala Forel-Ule para determinação da cor da água dos lagos e rios.

Para além da limnologia dedicou-se a outras áreas do saber, tendo realizado estudos e actividades tão diversas como o levantamento arqueológico de povoados lacustres da Idade do Bronze, determinando a evolução das dimensões do lago e do povoamento na suas margens, e de meteorologia e glaciologia. Nesta última disciplina foi em 1894 Presidente da Comissão Glaciológica Suíça e em 1912 organizou uma subscrição para financiar uma expedição suíça à Gronelândia. Desse esforço resultou que o seu nome foi dado a uma montanha daquela ilha, o monte Forel (3 360 m).[1]

Também se dedicou à sismologia, desenvolvendo em colaboração com Michele Stefano de Rossi uma escala de intensidade dos sismos que ficou conhecida por escala Rossi-Forel.

Para além da sua actividade científica e académica, dedicou-se à política: de 1867a 1909 foi conselheiro comunal em Morges e de 1870 a 1874 deputado liberal no Grande Conselho (legislatura) do Cantão de Vaud.

O Institute François-Alfonse Forel (Institute F.A. Forel) da Universidade de Genebra foi assim designado em honra de Forel.[3]

Notas

  1. a b c Biographie" in Meyers Großes Konversations-Lexikon, 6.ª ed., p. 761..
  2. Frank N. Egerton, "The scientific contributions of François Alphonse Forel, the founder of limnology". Aquatic Sciences - Research Across Boundaries, Volume 24, n.º 2 (Setembro, 1962), pp. 181-199.
  3. O Instituto foi criado em 1980 pelo Prof. Jean-Pierre Vernet.

Obras[editar | editar código-fonte]

  • Note sur la découverte faite à Schussenried de l'homme contemporain du renne. Lausanne 1867
  • Beiträge zur Entwickelungsgeschichte der Najaden. Würzburg 1867
  • Introduction à l'étude de la faune profonde du lac Leman. Lausanne 1869
  • Expériences sur la température du corps humain dans l'acte de l'ascension sur les montagnes. Lausanne 1871-74, 3 Serien
  • Rapport sur l'étude scientifique du lac Leman. Lausanne 1872
  • Études sur les seiches du lac Leman. Lausanne 1873 u. 1875
  • La faune profonde du lac Leman. Lausanne 1873 u. 1874
  • Matériaux pour servir à l'étude de la faune profonde du lac Léman. Lausanne 1874-79
  • Contributions à l'étude de la limnimétrie du lac Léman. Lausanne 1877-81
  • Les causes des seiches. Archives de physique, 1878
  • Températures lacustres. Archives de physique, 1880
  • Seiches et vibrations des lacs et de la mer. Paris 1880
  • Les variations périodiques des glaciers des Alpes; Rapports annuels. Genf 1881 u. 1882, Bern 1883 ff.
  • Les tremblements de terre, étudiés par la commission sismologique suisse. Archives de Genève, 1881 ff.
  • Limnimétrie du Léman. Mit Emile Plantamour, Lausanne 1881
  • Die pelagische Fauna der Süßwasserseen. Biologisches Zentralblatt, Erlangen 1882
  • Faune profonde des lacs suisses. Genf 1885
  • Le lac Léman. 2. Auflage, Genf 1886
  • Les microorganismes pélagiques des lacs de la région subalpine. Revue scientifique, 1887
  • La thermique de la Méditerranée. Genf 1891
  • Le Léman. Monographie limnologique. Lausanne 1892 – 1902
  • Handbuch der Seenkunde. Stuttgart 1901

Ligações externas[editar | editar código-fonte]