François d'Aguilon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
François d'Aguilon
Nascimento 4 de janeiro de 1567
Bruxelas
Morte 20 de março de 1617 (50 anos)
Tournai
Nacionalidade Bélgica belga
Ocupação matemático, físico, arquiteto

François d'Aguilon (também d'Aguillon ou em latim: Franciscus Aguilonius) (Bruxelas, 4 de janeiro de 1567Tournai, 20 de março de 1617) foi um jesuíta, matemático, físico e arquiteto belga.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Ilustração por Rubens para o "Opticorum libri sex philosophis juxta ac mathematicis utiles", de François d'Aiguillon. Ela demonstra como a projeção é calculada.

Juventude e formação[editar | editar código-fonte]

D'Aguilon estudou Literatura e Filosofia nas faculdades de Douai e Paris antes de se tornar um jesuíta em 1586. Concluiu o curso de Filosofia (1587-1589) e ensinou literatura em Douai, antes cursar Teologia em Salamanca, Espanha (1592-1596). Foi ordenado sacerdote em Ypres em 1596. Ensinou teologia na Antuérpia, onde foi reitor.

Matemático[editar | editar código-fonte]

Entretanto, foi na Matemática e na Óptica, que d'Aguilon demonstrou seu pleno potencial. Foi professor de matemática em Douai, e em 1598 foi transferido para a Antuérpia, onde iniciou uma escola especial de matemática, que pretendia perpetuar a investigação matemática e o estudo na sociedade dos jesuítas. Esta escola produziu geômetras como: André Tacquet, Jean-Charles della Faille e Théodore Moretus. Foi também reitor até 1616.

Seu livro, Opticorum Libri Sex philosophis juxta ac mathematicis utiles (Seis Livros da Óptica, úteis para filósofos e matemáticos), publicado na Antuérpia em 1613, foi ilustrado pelo famoso pintor Peter Paul Rubens. Foi notável por conter os princípios das projeções estereográfica e ortográfica, e inspirou as obras de Girard Desargues e Christiaan Huygens.

Como arquiteto, trabalhou nos projetos das igrejas jesuítas de Tournai e Mons. Foi o arquiteto da mais bela igreja jesuíta do Barroco nos Países Baixos, a igreja da Casa Professa dos Jesuítas (atual igreja de São Carlos Borromeu, em Antuérpia) concluída após sua morte, pelo também jesuíta e arquiteto de profissão, Pieter Huyssens. A decoração interior ficou a cargo de Peter Paul Rubens.

Referências

Fontes primárias

Wikisource  "Aguillon, François D'". Encyclopædia Britannica (11th). (1911). Ed. Chisholm, Hugh. Cambridge University Press. 

Fontes secundárias

Ver também[editar | editar código-fonte]