Francisco Antonio Pinto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Francisco Antonio Pinto
º Presidente do Chile Chile
Mandato 5 de maio de 1827
a até 16 de setembro de 1829
Antecessor(a) Ramón Freire y Serrano
Sucessor(a) Francisco Ramón Vicuña Larraín
Vida
Nascimento 23 de julho de 1785
Santiago do Chile, Chile
Morte 18 de julho de 1858 (72 anos)
Santiago do Chile, Chile
Dados pessoais
Primeira-dama Luisa Garmendia
Profissão militar
Assinatura Assinatura de Francisco Antonio Pinto

Francisco Antonio Pinto Díaz. (Santiago, 23 de julho de 1785 — Santiago, 18 de julho de 1858) foi um militar e político liberal chileno, presidente do Chile entre 1827 e 1829.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Pinto Díaz foi filho de Joaquín Fernández Pinto, natural da Espanha, e de Mercedes Díaz. Estudou humanidades no Convictorio Carolino, ode fez amizade com vários dos futuros membro do processo de independência. Posteriormente cursou Direito na Universidade Real de San Felipe, formando-se como advogado em 11 de outubro de 1808. Paralelamente seguiu carreira militar, sendo em 1807 oficial no regimento real. Foi instrutor de recrutas no acampamento de Las Lomas.

Durante o processo de Independência do Chile se associou ao grupo patriota, mas não como soldado e sim diplomata, sendo representante do Chile perante a Junta de Buenos Aires em 1811. Em 1813 foi enviado a Inglaterra. Conheceu Manuel Belgrano, com o regresso a América, combatendo na campanha de Alto Peru. Em 1820 regressou ao Chile com o posto de Coronel e casado con Luisa Garmendia.

Participou na Expedição Libertadora do Peru sob as ordens de José de San Martín. Regressou em 1824 com o posto de Brigadeiro.

Em 12 de julho desse mesmo ano foi nomeado Ministro do Interior e das Relações Exteriores, exercendo a função até 22 de Fevereiro de 1825. Ao abandonar o ministério, foi designado Ministro de Coquimbo.

Em 13 de fevereiro de 1827 foi eleito vice-presidente da república, sendo presidente Ramón Freire. Depois da renúncia deste em 5 de Maio, Pinto assumiu o governo do Chile.

Durante seu governo promulgou-se a Constituição de 1828. Reeleito presidente, renunciou ao seu cargo. A disputa pela legitimidade do vice-presidente que incitou a revolução conservadora de 1829.

Depois da vitória dos conservadores, viu-se afastado da política e seus privilégios de General de Divisão foram retirados. Depois do casamento de sua filha Enriqueta com o general Manuel Bulnes, este o reintegrou ao exército, nomeando-lhe Conselheiro de Estado.

Em 1846 foi eleito Senador, reelegeu-se em 1855, alcançando a presidência do Senado.

Faleceu em Santiago em 18 de julho de 1858.

Seu filho Anibal Pinto Garmendia também foi presidente da república durante os anos de 1876 e 1881.

Precedido por
Mariano Egaña
Ministro do Interior e das Relações exteriores
1824-1825
Sucedido por
Joaquín Campino Salamanca
Precedido por
Ramón Freire
Vice-presidente do Chile
1827-1829
Sucedido por
Francisco Ramón Vicuña Larraín
Precedido por
Francisco Ramón Vicuña Larraín
Presidente do Chile
1827-1829
Sucedido por
Francisco Ramón Vicuña Larraín
Precedido por
José Miguel Irarrázaval
Presidente do Senado do Chile
1847-1849
Sucedido por
Diego José Benavente


Ícone de esboço Este artigo sobre um político é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.