Francisco Correia de Herédia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita nenhuma fonte ou referência, o que compromete sua credibilidade (desde novembro de 2011).
Por favor, melhore este artigo providenciando fontes fiáveis e independentes, inserindo-as no corpo do texto por meio de notas de rodapé. Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.
Francisco Correia de Herédia
1º Visconde de Ribeira Brava
Nascimento 2 de abril de 1852
Ribeira Brava
Morte 16 de outubro de 1918
Lisboa
Nacionalidade Portugal português
Ocupação Político

Francisco Correia de Herédia, visconde da Ribeira Brava (Ribeira Brava, 2 de abril de 1852 - Lisboa, 16 de outubro de 1918) foi um nobre e político português.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de António Correia de Herédia (1822-1899), que fora deputado, presidente da câmara e governador-civil do Funchal, Francisco foi titulado visconde da Ribeira Brava pelo Rei D. Luís I, quando o seu pai, respeitado pelo seu trabalho humanitário desenvolvido na ilha da Madeira, recusou o título nobiliárquico em seu favor.

Formado em Letras, Francisco Correia Herédia foi um notável esgrimista, comendador de várias ordens, cavaleiro-fidalgo da Casa Real e governador-civil de Beja, Bragança e Lisboa e deputado (antes e depois de 1910).

Em 1905, Francisco Correia Herédia e José Maria de Alpoim, chefe de fila e ministro da Justiça de Portugal, romperam em conjunto com os progressistas. Durante o combate sem tréguas contra a monarquia, republicanos e "dissidentes" do Partido Progressista formaram um comité revolucionário: Herédia e Alpoim de um lado, e Afonso Costa, por quem tinha admiração, e Alexandre Braga de outro.

A primeira reunião desse comité foi realizada em 11 de julho de 1907, na residência do visconde. Teria aí nascido o plano do movimento revolucionário de 28 de janeiro de 1908, que tinha a finalidade de depor João Franco. Porém, foi abafado três dias depois. As armas do 28 de janeiro foram compradas e guardadas pelo visconde da Ribeira Brava.

Após o regicídio de Carlos I e do Príncipe Real, do qual se julga ter conspirado, Francisco Correia Herédia filiou-se ao Partido Republicano Português, sob orientação de Afonso Costa, e desempenhou cargos de grande influência política na Madeira. Perseguido pelo governo sidonista, ele foi morto num misterioso tiroteio, em Lisboa, enquanto era transferido para outra prisão juntamente com outros presos políticos.

Francisco Correia de Herédia é trisavô paterno de D. Isabel de Herédia, esposa de D. Duarte Pio, o duque de Bragança.