Francisco Morato

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Francisco Morato
Vista parcial da cidade.

Vista parcial da cidade.
Bandeira de Francisco Morato
Brasão de Francisco Morato
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 21 de março
Fundação 1965 (49 anos)
Gentílico moratense
Lema "Ad augusta per angusta"
Prefeito(a) Marcelo Cecchettini (PV)
(2013–2016)
Localização
Localização de Francisco Morato
Localização de Francisco Morato em São Paulo
Francisco Morato está localizado em: Brasil
Francisco Morato
Localização de Francisco Morato no Brasil
23° 16' 55" S 46° 44' 42" O23° 16' 55" S 46° 44' 42" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Metropolitana de São Paulo IBGE/2008 [1]
Microrregião Franco da Rocha IBGE/2008 [1]
Região metropolitana São Paulo
Municípios limítrofes Norte: Campo Limpo Paulista, Atibaia;
Leste: Mairiporã e
Sul/Oeste: Franco da Rocha.
Distância até a capital 48 km[2]
Características geográficas
Área 49,164 km² [3]
População 154 538 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 3 143,32 hab./km²
Altitude 792 m
Clima Subtropical Cfb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,703 alto PNUD/2010[5]
PIB R$ 863,953 mil IBGE/2009[6]
PIB per capita R$ 5,492 60 IBGE/2009[6]
Página oficial

Francisco Morato é um município do estado de São Paulo, na Região Metropolitana de São Paulo, microrregião de Franco da Rocha. A população estimada em 2009 era de 157.294 habitantes e a área é de 49,2 km², o que resulta numa densidade demográfica de 3.470 hab/km². Tornou-se município em 1965, quando se emancipou de Franco da Rocha.

O município é servido pelos trens da linha 7 da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos, CPTM.

História[editar | editar código-fonte]

A cidade surgiu com o nome de povoado de Vila Belém, cujas terras eram de propriedade da Companhia da Fazenda Belém, empresa associada da São Paulo Railway. O povoado era a sede da Cia Fazenda Belém na época da construção da E.F. Santos a Jundiaí na segunda metade do século XIX. Posteriormente as terras foram compradas pelo Barão de Mauá e utilizadas como acampamento para os operários que trabalharam na construção do túnel sob a serra de Botujuru.

No século XX a cidade se manteve com pequena população e hábitos interioranos. Posteriormente, a partir da década de 1980 começou a crescer sua população por conta do grande crescimento demográfico desordenado da capital paulista que empurrava os migrantes, em sua grande maioria provenientes do nordeste, para a periferia da Grande São Paulo.Porém esse crescimento demográfico sem um planejamento urbano resultou-se em ocupação de moradia nos lugares invadidos resultando nas formação de favelas por toda a cidade.

A partir da década de 1990 Francisco Morato passou a ser considerada uma cidade dormitório, caracterizada pelo movimento pendular de sua população que em sua grande maioria sai de manhã para trabalhar na capital e retorna somente a noite. Tal movimento foi possibilitado pela linha de trem da CBTU, repassada do governo federal para o governo paulista em 1994, quando foi criada a CPTM. Assim como a rede de transporte ferroviária que servia a cidade na época, a infraestrutura da cidade também era precária, muitas ruas sem asfaltamento, esgotos a céu aberto e falta de hospitais e escolas contribuíam para o fato de a cidade ter se tornado uma das mais violentas do Estado, sendo conhecida pelas chacinas que a imprensa divulgava no local.

Já no século XXI a cidade passou a sofrer com um maior aumento de sua população, no entanto, por conta do aquecimento da economia, a cidade passou a ter uma vocação mais comercial. Investimentos em saúde e educação diminuíram os índices de violência e grande parte das ruas recebeu asfaltamento, assim como vem ocorrendo melhorias no transporte ferroviário com novos trens. Atualmente alguns dos principais problemas enfrentados pela população é a superlotação dos trens,bem como o recente alagamento de lugares baixos como o centro da cidade e o Jardim Alegria que alagam na época das fortes chuvas de fim de verão,além da baixa disponibilidade de empregos não ligados ao comércio.

Dados Gerais[editar | editar código-fonte]

Localização e características geofísicas[editar | editar código-fonte]

O município de Francisco Morato localiza-se na parte Norte-Noroeste da Grande São Paulo, fica a 30,5 km em linha reta da capital do Estado, 43 km por ferrovia e 45 por rodovia.

Os limites da cidade: ao Norte é a cidade de Campo Limpo Paulista, ao Nordeste fica Atibaia, a Leste fica Mairiporã e a sul/oeste Franco da Rocha.

Ela fica a aproximadamente 970 metros acima do nível do mar.

A área do município é de 49,2km2.

Seu clima é temperado.

Os rios que cruzam a cidade são os ribeirões Tapera Grande e Euzébio Matoso.

Segundo o censo realizado em 2004, a população é de 161.827 habitantes.

A cidade é servida pela Rodovia Tancredo de Almeida Neves (SP-332), a antiga Estrada Velha de Campinas, através de um acesso rodoviário (SPA-042/332 - Rodovia Manoel Silvério Pinto) e pela ferrovia Estrada de Ferro Santos a Jundiaí, operada pela CPTM.

Feriados Municipais[editar | editar código-fonte]

21/03 - Emancipação Municipal (Antes distrito de Franco da Rocha - 1965) Paixão de Cristo 8º dia após Corpus Christi - Sagrado Coração de Jesus (Padroeiro) 20/11 - Dia da Consciência Negra

Geografia[editar | editar código-fonte]

Clima: O clima da cidade, como em toda a Região Metropolitana de SP, é o Subtropical. Verão pouco quente e chuvoso. Inverno ameno e subseco. A média de temperatura anual gira em torno dos 18Cº, sendo o mês mais frio Julho (Média de 14 °C) e o mais quente Fevereiro (Média de 22 °C). O índice pluviométrico anual fica em torno de 1400 mm. Possui duas belas cachoeiras de onde vem o nome da cidade, a mais ao sul se chama Francisco enquanto a ao norte se chama Morato.

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Como investimentos em infraestrutura podemos citar o inicio das obras em 2011, do terminal de ônibus urbano, anexo à estação de trens. Estação essa que funciona em caráter provisório enquanto o prédio principal está em vias de ser reconstruído para oferecer o novo padrão de qualidade de metro que a CPTM está implementando em toda sua rede.[7]

Um problema de infraestrutura da cidade é seu difícil acesso por via rodoviária, o que dificulta a instalação de um parque industrial. Mesmo com melhorias na Rodovia Tancredo Neves, antiga estada velha de Campinas, tal estrada não comporta trânsito pesado. Visando resolver esse problema se cogita criar uma alça de acesso para a rodovia Fernão Dias, o que pode possibilitar a criação de um parque industrial pelo fato de que existe grandes áreas livres na cidade e essa ligação deixaria ligação da cidade à capital bem mais rápida.

Além disso, com previsão de início ainda em 2012 a cidade conta com o plano de revitalização do centro e adaptação do entorno do terminal urbano para o trânsito dos ônibus. Projetos esses que visam melhorar o trânsito da cidade, trazendo mais qualidade de vida para os moratenses, juntamente a outros projetos quem constam no plano diretor do município para o período 2006-2015.[8]

Demografia[editar | editar código-fonte]

Dados do Censo - 2000

População total: 149.097

  • Urbana: 133.576
  • Rural: 163
  • Homens: 66.702
  • Mulheres: 67.035

Densidade demográfica (hab./km²): 2718,25

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 22,51

Expectativa de vida (anos): 68,02

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 3,77

Taxa de alfabetização: 89,20%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,738

  • IDH-M Renda: 0,636
  • IDH-M Longevidade: 0,717
  • IDH-M Educação: 0,862

(Fonte: IPEADATA)

Educação[editar | editar código-fonte]

Sempre foi notável a falta de empregos qualificados na cidade, a falta de empresas que contratam esses profissionais decorre da falta de instituição de ensino para formar tal mão de obra. Na tentativa de mudar esse quadro, o poder público agora libera investimentos no ensino profissional.

Um grande avanço para a cidade foi a inauguração da ETEC de Francisco Morato em Março de 2010, onde é ministrado o curso Ensino Médio e os técnicos de informática, administração e contabilidade, .[9] Somando-se a isso, temos no fim de 2011 o anúncio pela Presidente Dilma Roussef da construção de um campus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo-IFSP, primeira instituição de ensino superior pública a se instalar na cidade.[10] A inauguração do campus está previsto para até 2014 com a perspectiva de oferecer o curso superior de tecnologia em análise e desenvolvimento de sistemas, o curso com maior número de inscritos na seleção do SESU-MEC 2012, demais cursos de nível superior e técnico serão analisados de acordo com a demanda regional por eles.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A cultura da cidade de Francisco Morato é vista de maneira singular, principalmente por sua história, fator esse que caracterizou a cidade como "melodia" tendo uma das corporações musicais mais antigas do Brasil, a Corporação Musical Rogério Levorin.

A Cidade conta com um Conselho Municipal de Cultura, empossado dia 19 de Janeiro de 2008, com o Conselho da Comunidade negra, com diversos grupos de Dança / Teatro e Música e com uma orquestra (A Orquestra Experimental Pró-Morato) criada e mantida pela Associação Cultural Comunitária Pró-Morato.

Dentre os movimentos culturais existentes na cidade, destaque para a atividade dos Núcleos de Ação Cultural (NAC), que desenvolve projetos relacionados a manifestações artísticas na cidade e região; para a ação da Pró-Morato (projetos de capacitação para o mercado de trabalho e bem estar social [11] ); IDES (projetos de capacitação profissional e oficinas culturais); e para o Movimento Animorato [1], que tem se tornado uma opção para toda região como feira cultural voltada para cultura japonesa, desenho, quadrinhos e animação.

Deve-se também considerar a atuação de grupos que desenvolvem a arte teatral, como o Animaloco em atuação desde 2002 o grupo Girandolá, que também tem levado espetáculos a vários festivais de teatro do Estado e em espaços culturais diversos, como SESCs e Teatros Municipais e grupos independentes de teatro formados na Casa De Cultura Vinicius De Moraes.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. Distâncias entre a cidade de São Paulo e todas as cidades do interior paulista. Visitado em 28 de janeiro de 2011.
  3. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  4. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  5. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2010). Visitado em 01 de agosto de 2013.
  6. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2009 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2011.
  7. CPTM-Companhia Paulista de trens metropolitanos
  8. Plano diretor participativo do município de Francisco Morato para o período 2006/2015 PDF disponível no repositório de arquivos do site da Defensoria Pública do Estado de São Paulo.
  9. Escola técnica Estadual de Francisco Morato
  10. Instituto Federal de São Paulo
  11. Pró-Morato

Ligações externas[editar | editar código-fonte]