Francisco Xavier da Saxónia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Francisco Xavier da Saxónia
Príncipe da Saxónia
Cônjuge Maria Chiara Spinucci
Descendência
Ludwig, Gräf von der Lausitz
Clara Maria, Gräfin von der Lausitz
Joseph Xavier, Gräf von der Lausitz
Elisabeth Ursula, Duquesa d'Esclignac
Maria Anna, Princess of Oriolo
Beatrix Marie, Marchesa di Corleto
Kunigunde Anna, Marchesa Naro Montoro
Maria Christina Sabina, Princess of Arsoli
nado morto
Cecilie Marie, Gräfin von der Lausitz
Nome completo
Francisco Xavier Alberto Augusto Luís Benno
Casa Wettin
Pai Augusto III da Polónia
Mãe Maria Josefa da Áustria
Nascimento 25 de Agosto de 1730
Dresden, Saxónia
Morte 21 de junho de 1806 (75 anos)
Dresden, Saxónia
Enterro Hofkirche
Religião Catolicismo

Francisco Xavier da Saxónia (25 de Agosto de 1730 - 21 de Junho de 1806) foi um príncipe da Alemanha e membro da Casa de Wettin. Era o quarto filho do rei Augusto III da Polónia, príncipe-eleitor da Saxónia, e da arquiduquesa Maria Josefa da Áustria.

Regente da Saxónia[editar | editar código-fonte]

Francisco Xavier.

O seu irmão mais velho, o príncipe-eleitor Frederico Cristiano da Saxónia, morreu a 17 de Dezembro de 1763, após um reinado de apenas setenta-e-quatro dias. Francisco Xavier ficou responsável pela regência do Eleitorado juntamente com a princesa-eleitora viúva, Maria Antónia da Baviera, em nome do seu sobrinho, o novo príncipe-eleitor Frederico Augusto III. No papel de co-regente, Francisco continuou as reformas racionalistas do irmão.

Em Outubro de 1765, Francisco Xavier assinou a renuncia do trono da Polónia em nome do sobrinho a favor de Estanislau II da Polônia, como era exigido pelo tratado assinado entre a Polónia e a Rússia a 11 de Abril de 1764. Esta decisão foi tomada contra a vontade da mãe do jovem príncipe, a princesa-eleitora viúva Maria Antónia. Durante a regência, Francisco Xavier tentou iniciar um plano de reforma do exército baseado no modelo prussiano de Frederico, o Grande. No entanto, esta ideia colocou-o em confronto directo com os estados do país, que se recusaram violentamente a implementar esta proposta devido aos grandes custos associados ao seu plano de reorganização.

De acordo com as regulações impostas pela Bula Dourada de 1356, a regência de um príncipe-eleitor menor de idade terminava quando este completava dezoito anos. Assim, em 1768, o príncipe-eleitor Frederico Augusto III foi formalmente declarado adulto, e as funções de Francisco Xavier como regente do Eleitorado da Saxónia terminaram.

Casamento secreto, exílio e regresso à Saxónia[editar | editar código-fonte]

A 9 de Março de 1765, em Dreden, Francisco Xavier casou-se morganaticamente com uma das damas-de-companhia da sua cunhada, a princesa-eleitora viúva, a italiana Maria Chiara Spinucci. A união foi mantida em segredo até 1777, quando foi anunciada formalmente e legitimada.

Em 1769, Francisco Xavier mudou-se com a sua família para França, onde vivia a sua irmã mais nova Maria Josefa, esposa do delfim de França, que tinha morrido dois anos antes. Viveu em França quase vinte anos sob o título inventado de conde de Lusace. Em 1774, o seu sobrinho tornou-se o rei Luís XVI de França. Francisco Xavier e a família preferiram deixar o país quando a Revolução Francesa estava prestes a rebentar e mudaram-se para Roma. Após a morte da esposa em 1792, Francisco ficou em Roma durante alguns anos.

No entanto, alguns anos depois acabou por regressar à Saxónia, onde assentou no Schloss Zabeltitz. Viveu lá até morrer aos setenta-e-cinco anos de idade.

Genealogia[editar | editar código-fonte]

Os antepassados de Francisco Xavier da Saxónia em três gerações[1]
Francisco Xavier da Saxónia Pai:
Augusto III da Polónia
Avô paterno:
Augusto II da Polónia
Bisavô paterno:
João Jorge III da Saxónia
Bisavó paterna:
Madalena Sibila de Brandemburgo-Bayreuth
Avó paterna:
Cristiana Everadina de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavô paterno:
Cristiano Ernesto de Brandemburgo-Bayreuth
Bisavó paterna:
Sofia Luísa de Württemberg-Winnental
Mãe:
Maria Josefa da Áustria
Avô materno:
José I, Sacro Imperador Romano-Germânico
Bisavô materno:
Leopoldo I, Sacro Imperador Romano-Germânico
Bisavó materna:
Leonor Madalena de Neuburgo
Avó materna:
Guilhermina Amália de Brunsvique-Luneburgo
Bisavô materno:
João Frederico de Brunsvique-Luneburgo
Bisavó materna:
Benedita Henriqueta do Palatinado-Simmern

Referências

  1. The Peerage, consultado a 1 de Abril de 2014