Fraternidade Rosacruciana São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblema adotado pela Fraternidade Rosacruciana São Paulo, com as insígnias da Ordem Rosacruz.

Fraternidade Rosacruciana São Paulo é uma escola cristã de ocultismo sediada em São Paulo, definida como um templo de culto cristão esotérico. Trata-se de uma instituição sem fins lucrativos destinada ao estudo das doutrinas rosacrucianas expostas por Max Heindel, estendendo-se ainda ao estudo do ocultismo cabalístico de Eliphas Levi, da psicologia, fundamentada especificamente nos trabalhos dos psicólogos Maurice Nicoll e Pëtr Dem'ǐanovič Uspenskiǐ, do Novo Testamento, especialmente os Evangelhos e o Apocalipse e da astrologia.

Seus membros se auto-denominam Filhos do Fogo e reforçam o caráter didático-investigativo da Fraternidade, rejeitando qualquer título devocional, como "igreja" ou "seita", preferindo em vez disto a denominação "escola". Podem ser membros da Fraternidade Rosacruciana São Paulo todas as pessoas com mais de 14 anos de idade, exceto as pessoas que comercializam serviços de adivinhação (astrólogos, cartomantes, etc.).1 Não existem contribuições financeiras compulsórias impostas aos membros, e seus instituidores não recebem qualquer remuneração pelos serviços prestados através da Fraternidade.2

A Doutrina[editar | editar código-fonte]

Templeofrosycross.png
Templo da Rosacruz

A base doutrinária da Fraternidade Rosacruciana São Paulo está fundamentalmente ligada à doutrina apresentada por Max Heindel no Conceito Rosacruz do Cosmos e na exegese esotérica do Novo Testamento, embora outros assuntos como a Psicologia e a Cabala façam parte da pauta de assuntos abordados nas conferências. Os estudantes são submetidos a uma série de mandamentos (chamados de "ordens"),3 entre os quais se encontram:

  • Evitar ostentações;
  • Evitar excessos alimentares;
  • Não comer carne, na medida do possível;
  • Abster-se de ambientes tidos como "perigosos à moral";
  • Não consumir bebidas alcoólicas;
  • Manter-se livre de vícios;
  • Realizar o jejum quinzenal, nos dias de lua cheia e lua nova;
  • Zelar pela paz e moralidade no ambiente familiar;
  • Realizar diariamente os exercícios de retrospecção e concentração.

O exercício de retrospecção, que deve ser realizado antes de dormir, consiste em relembrar, em ordem inversa, os acontecimentos do dia e em fazer um auto-exame das boas e más ações, procurando avaliar o efeito causado de cada uma dessas ações, devendo procurar uma reconciliação o mais breve possível com a pessoa ofendida. Os exercícios de concentração, realizado pela manhã, incluem ações como concentrar-se em uma figura de maneira intensa a ponto de conseguir enxergá-la, concentrar-se em um texto ou sequência numérica sem desviar-se do pensamento, entre outros.

Os membros novos assinam um cartão de frequência visado a cada comparecimento pelo Guia dos Novos Estudantes e, após 52 comparecimentos, são admitidos como membros efetivos, e passam a receber uma chapa de prata com o brasão da Fraternidade, que deve ser fundida em um anel.

História[editar | editar código-fonte]

Fundada em 1929 pelo professor Lourival Camargo Pereira, então membro do Círculo Esotérico da Comunhão do Pensamento, com a idade de 19 anos, iniciou suas atividades como um grupo restrito de pessoas na sala de estar da casa do fundador, no bairro da Lapa, com um grupo de seis pessoas. Pouco tempo depois, outros estudantes começaram a se interessar sobre o assunto e uniram-se a ele, e foi alugado um imóvel no distrito vizinho de Perdizes, em 1930, onde se estabeleceu definitivamente com o nome de "Tattwa São Paulo". O nome "São Paulo" é uma homenagem ao apóstolo Paulo de Tarso, e não uma referência a cidade de São Paulo.

Em 1941, houve uma mudança do local para o centro da cidade, na rua 24 de Maio em um imóvel alugado, e o Tattwa São Paulo passou a se chamar "Fraternidade Rosacruciana São Paulo", devido às proibições de nomes estrangeiros durante o governo de Getúlio Vargas. Foi nesta época também em que se começaram os cadastros de estudantes e impressões do boletim, bem como a primeira tradução do Conceito Rosacruz do Cosmos em português (a partir do espanhol), redigida pelo próprio presidente e instrutor. Posteriormente, foi adquirida uma sede própria na mesma rua e, em 1960, quando já havia mais de 5000 membros, a sede foi transferida para o distrito da Liberdade, com a venda do imóvel da antiga sede e do Balneário Rosamar, em Cananéia, de propriedade do presidente e instrutor. No local, foi montada também uma Casa de Saúde para atendimento público baseada na medicina naturalista.

Em 1970, devido ao excesso de ruídos do local e à instalação de um terreiro de umbanda nas proximidades, a sede foi transferida para o município de Atibaia. Foi também mantido um salão de menores proporções no bairro de Higienópolis, em São Paulo, para atender aos estudantes da cidade. As aulas em São Paulo passaram, então, a ser delegadas para outros auxiliares de instrução.

Em 1990, o prof. Lourival Camargo Pereira falece e o prof. Ennio Dinucci passa a assumir a presidência da Fraternidade. Em função de problemas financeiros, a sede do município de Atibaia foi vendida e as atividades voltaram a se concentrar em São Paulo.4

Além do município de São Paulo, também são mantidos atualmente centros nas cidades de Santos, Natal e São Luís.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Estatutos da Fraternidade Rosacruciana São Paulo, capítulo I
  2. Site da Fraternidade Rosacruciana São Paulo
  3. Manual da Fraternidade Rosacruciana São Paulo, 4ª edição (1981) pág. 12
  4. Boletim Rosacruciano, outubro de 2009

Ligações externas[editar | editar código-fonte]