Fred Dretske

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O filósofo Fred Dretske estuda Filosofia da Mente e atualmente é professor na Duke University nos EUA. Ele é um epistemólogo que propôs em seu ensaio "Conclusive Reasons" (Razões Conclusivas), que as evidências, as bases e as razões devem ser consideradas como justificativas para as crenças[1] .

Ele diz que:

"podemos dizer de qualquer assunto "S", que se acredita que "P" e quem tem razões conclusivas para acreditar que "P", que, por conta destas razões, ele não poderia estar errado sobre "P" ou, tendo em conta estas razões, é falso que ele pode estar enganado sobre "P".

Suponha-se, então, que

(1) "S" sabe que "P" e ele sabe disso, com base (simplesmente) de "R" implica

(2) R não seria o caso, a menos de "P" fosse o caso.

A última fórmula expressa uma relação entre "R" e "P", que é forte o suficiente, eu afirmo, que nos permitam dizer que, se a afirmação(2) é verdadeira, então "R" é uma razão conclusiva para "P". Porque, se (2) é verdadeira, temos o direito, não somente para negar que, por conta "R", "não-P" é o caso, mas também que, dado "R", "não-P" pode ser o caso. Ou seja, (2) elimina "R" e "não-P" como um possível (conjunto) estado de relações e, quando nos é dado "R", ele elimina "não-P" como um possível estado de relações. Isto é assim porque (2) implica uma falsidade,

(3) Embora "R" é o caso "P" pode não ser o caso." 'Fred Dretske CONCLUSIVE REASONS (1971) [2]


Notas

  1. Fred Dretske publicado em "The Information Philosopher"
  2. Conclusive Reasons Australasian Journal of Philosophy (Vol. 49, No. 1 em Maio de 1971)
Wiki letter w.svg Este é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.