Frederic G. Kenyon

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nuvola apps important.svg
A tradução deste artigo ou se(c)ção está abaixo da qualidade média aceitável.
É possível que tenha sido feita por um tradutor automático ou por alguém que não conhece bem o português ou a língua original do texto. Caso queira colaborar com a Wikipédia, INGLÊS e melhore este artigo conforme o guia de tradução.

Sir George Frederic Kenyon GBE KCB TD FBA FSA (15 de janeiro de 1863 - 23 de agosto de 1952) foi um paleógrafo britânico, estudioso da Bíblia. Foi diretor do Museu Britânico e presidente da Academia Britânica de 1917 a 1921 e, entre 1918 a 1952 parlamentar.

Kenyon nasceu em Londres. Educado em Magdalen College, Oxford, ele aderiu ao Museu Britânico em 1889 e passou a ser o seu diretor e chefe Bibliotecário a 1909. Ele foi knighted para os seus serviços em 1912.

Em 1891, editou o Kenyon editio princeps aristotélico da Constituição de Atenas. Em 1920, ele foi nomeado presidente da British School de Arqueologia, em Jerusalém. Ele passou a maior parte de sua aposentadoria pesquisar e publicar papyri antigas. Ele morreu em 23 de agosto de 1952.

Kenyon foi um estudioso das línguas clássicas notar, e fez uma longa vida de estudo da Bíblia, especialmente o Novo Testamento como um texto histórico. Seu livro A nossa Bíblia e os Manuscritos Antigos (1895) mostrou como papyri egípcios e de outras provas de arqueologia podem corroborar a narrativa de acontecimentos históricos, no Evangelho.

Kenyon da filha mais velha foi o arqueólogo britânico Dame Kathleen Kenyon.

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.