Frigidez

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2012). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Frigidez ou anafrodisia é a falta de desejo sexual tanto em homens e mulheres. Frigidez deve ser diferenciada da anorgasmia, onde ocorre a falta da orgasmo, mas na qual há o desejo sexual[1] .[2]

Na absoluta maioria dos casos, o desinteresse pelo sexo está ligado a fatores psicológicos ou sociais, sendo um dos mais frequentes determinantes a monotonia conjugal. Também a educação que se recebeu, a falta de diálogo entre os parceiros, as práticas sexuais pouco gratificantes e até a resistência em inovar acabam por minar o relacionamento e facilitam o desinteresse. O próprio facto de envelhecer e as dificuldades do cotidiano também podem interferir na satisfação sexual[1] .

A grande maioria é causada por vivências sexuais destrutivas, culturas empíricas ou religiosas. Frigidez pode ser causada por traumas de infância (abuso e violência sexual), medo de engravidar, ansiedade, experiências obstétricas traumáticas e na maioria das vezes relações didáticas inadequadas (falta de diálogo com o parceiro), muitas vezes causadas por timidez da mulher[3] .

Junto com a frigidez, vem uma série de problemas que podem se tornar agravantes. A ansiedade é o primeiro dos sintomas, seguido de desinteresse e falta de apetite sexual. Leocorreias, alteração ou falta de ciclo menstrual, vaginismo (dor ou ardência nas relações devido à contração dos músculos vaginais) dispareunias.

Porém a disfunção sexual feminina ou alteração da função sexual pode também facilitar a invasão de agressores externos, tais como micoses e bactérias, devido à falta de defesas pubianas, consequências da desfunções hormonais. Há também alguns casos de dores lombares e alterações de humor. Porém hoje em dia o maior dos agravantes é a fatalidade conjugal devido à falta de comunicação. O relacionamento acaba se perdendo, devido ao homem não compreender a parceira e ir buscar fora o que não tem em casa, ou da parceira, que não admite ter o problema[1] .

Antidepressivos[editar | editar código-fonte]

Algumas classes de medicamentos podem anular completamente o desejo sexual feminino como é o caso da grande maioria dos antidepressivos e acabam por minar relacionamentos gerando traições. Uma grande parcela das mulheres fazem tratamento com antidepressivos pois, é uma doença moderna. Outros medicamentos também podem afetar o desejo sexual[3] .

Tratamentos[editar | editar código-fonte]

Acompanhamento psicológico é um dos melhores caminhos a seguir, porem dificilmente a timidez deixa que um casal se trate com um psicológo. O primeiro passo é o dialogo entre os cônjuges. Pode-se tentar experiências sexuais alternativas, como carícias e sexo sem penetração vaginal, para quebrar a primeira barreira (a timidez). Essas experiências também podem ajudar quando o problema é hormonal ou falta de excitação feminina. Ambientes novos e fantasias sexuais também podem ser exploradas se for o caso de monotonia conjugal[3] .

Referências

  1. a b c Frigidez na mulher (Causas e tratamento) (em português) Antonio Araujo. Visitado em 1 de junho de 2012.
  2. Desejo sexual inibido Medline Plus.
  3. a b c Frigidez (em português) ABC da Saúde. Visitado em 1 de junho de 2012.
Ícone de esboço Este artigo sobre sexo ou sexualidade é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.