Fritz Feigl

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Fritz Feigl (Viena, 15 de maio de 1891 - Rio de Janeiro, janeiro de 1971) foi um militar, professor, químico e pesquisador austríaco, naturalizado brasileiro.

Fritz foi o criador e idealizador da Análise de Toque, uma técnica simples e eficiente na qual provas analíticas são executadas numa só ou em poucas gotas de soluções sem utilizar instrumentação[1] .

Biografia[editar | editar código-fonte]

De família burguesa com boa base cultural, formou-se em humanidades em 1914 e química na Escola Politécnica de Viena (Technische Hochschule). Lutou na Primeira Guerra Mundial chegando a patente de Capitão com medalhas de Bronze e de Prata, bem como com a Cruz do Serviço Militar por ter sido ferido na frente russa de batalha. Concluíu o doutorado na Universidade de Viena em 1920. Em decorrência do nazismo, que anexou a Áustria a Alemanha e sendo judeu, foi para a Bélgica, França e, finalmente, Brasil, chegando ao Rio de Janeiro em dezembro de 1940[2] [3] .

No Brasil trabalhou no Departamento Nacional de Produção Mineral. Tornou-se membro da Pontifícia Academia de Ciências do Vaticano, da Real Academia de Gotemburgo, da Academia Austríaca de Ciências e da Academia Brasileira de Ciências. Escreveu inúmeros livros traduzidos em várias línguas. Foi professor honoris causa em diversas universidades pelo mundo e morreu de trombose na cidade do Rio de Janeiro em 1971[4] .

Homenagens[editar | editar código-fonte]

O mais importantes prêmio para profissionais da química, no Brasil, leva o nome de Prêmio Fritz Feigl[5] e no filme brasileiro "Tempos de Paz", pouco antes dos créditos finais, são homenageados vários personalidades que trocaram a Europa pelo Brasil fugindo da Segunda Guerra Mundial e entre estes, encontra-se a imagem de Fritz Feigl.

Referências