Fronteira (matemática)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
NoFonti.svg
Este artigo ou se(c)ção cita uma ou mais fontes fiáveis e independentes, mas ela(s) não cobre(m) todo o texto (desde Junho de 2013).
Por favor, melhore este artigo providenciando mais fontes fiáveis e independentes e inserindo-as em notas de rodapé ou no corpo do texto, conforme o livro de estilo.
Encontre fontes: Googlenotícias, livros, acadêmicoScirusBing. Veja como referenciar e citar as fontes.

Fronteira, em topologia, é o conceito matemático que generaliza a ideia de uma fronteira geográfica. Dado um conjunto S de pontos em um espaço topológico, diz-se que um determinado ponto x faz parte da sua fronteira quando sempre haverá pontos próximos a x tanto pertencentes a S quanto a seu complemento, por mais próximos de x que se esteja analisando.

Intuitivamente, é como se o espaço topológico fosse sendo observado em x com microscópios cada vez mais poderosos. Se, a partir de algum momento, tudo que se vê em volta de x são pontos de S, então é porque x é um ponto interior. Se, a partir de algum momento, tudo que se vê em volta de x são pontos do complemento de S, então é porque x é um ponto exterior. Caso nenhum destes dois casos ocorra, então x é um ponto da fronteira.1

Definição matemática[editar | editar código-fonte]

Dada uma topologia τ em um conjunto V e um conjunto S, S \subseteq V\, um ponto x é um ponto da fronteira de S quando para todo aberto A \in \tau\, com x \in A\, temos que A contém pontos de S e pontos no complemento de S, ou seja, A \cap S \ne \varnothing\, e A - S \ne \varnothing\,

A fronteira de S é o conjunto de todos seus pontos fronteira, ou, na notação matemática:

fr(S) = \{ x \in V \ | \ \forall A \in \tau \ , \ x \in A \implies (A \cap S \ne \varnothing \land A - S \ne \varnothing) \} \,

Propriedades[editar | editar código-fonte]

  • A fronteira de S é o que se fica quando se retira do fecho de S o seu interior;
  • A fronteira de um conjunto é um conjunto fechado.

Mais precisamente, dado um conjunto S contido em V, dizemos que x é um ponto de fronteira de S se qualquer bola aberta centrada em x contiver pontos de S e pontos do seu complementar.

  • Uma variedade compacta e sem fronteira é chamada de variedade fechada.
  • Podemos pensar na fronteira como um funtor que associa a cada variedade sua fronteira. Tal operador é objeto de estudo da teoria dos bordismos, que foi fundada por René Thom.
  • Pelo teorema de Stokes, a integral de uma k-forma diferencial sobre uma variedade compacta depende somente dos valores da k-forma na fronteira da variedade.
  • Um subespaço de um espaço topológico que coincide com sua fronteira tem necessariamente interior vazio.

Referências

  1. L. Christine Kinsey, Topology of Surfaces (1993), Chapter 2. Point-set topology, 2.1 Open and closet sets in Rn, p.10 [google books]
Ícone de esboço Este artigo sobre matemática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.