Fucus spiralis

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma caixa taxonómicaFucus spiralis
Fucus spiralis (Faroé).

Fucus spiralis (Faroé).
Classificação científica
Reino: Protista
Filo: Heterokontophyta
Classe: Phaeophyceae
Ordem: Fucales
Família: Fucaceae
Género: Fucus
Nome binomial
Fucus spiralis
L.
Fucus spiralis var. platycarpus.

Fucus spiralis L. é uma espécie de alga castanha (Phaeophyceae) com distribuição natural na zona entremarés das costas atlânticas da Europa e América do Norte. É uma macroalga com talos que podem atingir 30 cm de comprimento, formando frondes robustas.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Fucus spiralis é morfologicamente similar às espécies F. vesiculosus e F. serratus, as outras espécies comuns de Fucus das costas da Europa. A espécie é frequentemente confundida com Fucus vesiculosus, uma espécie estreitamente aparentada e com a qual hibridiza.[1]

As frondes de F. spiralis são de cor castanho-esverdeados, com laivos amarelados, crecendo até 30 cm de comprimento. Os talos ramificam-se dicotomicamente de forma ligeiramente irregular na sua parte distal. As frondes ligam-se ao substrato rochoso por um rizóide de forma discóide.

As frondes são constituídas por talos planos, coriáceas, com uma pseudo-nervura central, claramente retorcidas em espiral, sem bordos serrilhados, característica que distingue F. spiralis das espécie morfologicamente similar F. serratus. Não apresente vesículas de gás (aerocistos) o que a distingue de F. vesiculosus.[2] [3]

O ciclo de vida da espécie é simples e baseia-se em órgãos reprodutores instalados na parte distal das frondes. Os órgãos reprodutores têm forma arredondada e instalam-se sobre zonas espessadas nos extremos distais dos talos, usualmente em pares. Nos conceptáculos, despois da meiose, são produzidos oogónios e anterídios que são libertados de imediato. A fertilização é externa e o zigoto desenvolve-se directamente num novo indivíduo, ou seja num esporófito diplóide.

A espécie é comum nas costas ocidentais da Europa, Canárias e costa leste da América do Norte. As três espécies do género Fucus atrás mencionadas (F. spiralis, F. vesiculosus e F. serratus), em conjunto com Pelvetia canaliculata e Ascophyllum nodosum, são as formas de macroalgas dominantes nas costas rochosas das Ilhas Britânicas.[4] [5]

Notas

  1. Marine Life Information Network
  2. Newton, L. 1931. A Handbook of the British Seaweeds. British Museum, Natural History, London
  3. Taylor,W.R. 1972. Marine Algae of the Northeastern Coast of North America. Ann Arbor, University of Michigan Press
  4. Lewis, J.R. 1964. The Ecology of Rocky Shores. The English Universities Press.
  5. Hardy, G. and Guiry, M.D. 2006. A Check-list and Atlas of the Seaweeds of Britain and Ireland. British Phycological Society

Referências[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Fucus spiralis