Fujiwara no Nakamaro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Fujiwara no Nakamaro
藤原仲麻呂
Daijō Daijin
Período 760 - 764
Vida
Nascimento 706
Morte 21 de outubro de 764 (58 anos)
linkWP:PPO#Japão

Fujiwara no Nakamaro ( 藤原 仲麻呂 , 706 - 21 de outubro de 764?), também conhecido por Emi no Oshikatsu (恵美 押勝?) [1] , foi um aristocrata japonês (Kuge), membro da corte e estadista.Foi chanceler (Daijō Daijin) do governo imperial do Japão durante o período Nara.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Nakamaro era o segundo filho de Fujiwara no Muchimaro,[1] que foi fundador do Ramo Nanke (Casa Sul) do clã Fujiwara.[3]

Carreira[editar | editar código-fonte]

Com o apoio do Imperador Shōmu e da Imperatriz Komyo, com quem tinha familiaridades, Nakamaro cresceu rapidamente na carreira nas décadas de 740-50.

Em 19 de fevereiro de 757 Nakamaro foi nomeado Sadaijin pela Imperatriz Koken [1] ainda mantendo seus cargos anteriores de Shibi naishō [4] , Jundaijin e Comandante do Exercido Central [1]

Em 25 de agosto de 758 o título de Sadaijin foi substituído pelo de Tahiō (Grande Guardião) [1]

Durante os primeiros anos (760 - 764) do reinado de Imperador Junnin (758-764), a quem ele apoiou, Nakamaro governou o país de fato tornando-se Daijō Daijin.

Após a morte de Komyo em 760, a Imperatriz Aposentada Koken começou a tomar os assuntos governamentais em sua mão, resultando em um conflito entre Nakamaro e Junnin de um lado e Koken e seu colaborador Dokyo do outro.

Rebelião[editar | editar código-fonte]

A fim de restaurar sua autoridade, em 14 de outubro de 764 (11º dia do 9º mês do 8º ano de Tenpyo-Hoji), Nakamaro roubou as Relíquias Imperiais, sinais de autoridade imperial e deixou a capital Nara rumando para as províncias orientais. O grupo em torno da Ex-Imperetriz Koken reagiu mobilizando um exército e bloqueando o acesso de Nakamaro para as principais estradas. Os dois exércitos se envolveram em uma batalha, uma semana depois, em 21 de outubro em Miozaki no lado ocidental do Lago Biwa , Nakamaro foi morto, junto com seus dois filhos ( Asakari e Kuzumaro) pondo um fim à rebelião [5] .




Precedido por
Suzuka no Ōkimi
Daijō Daijin
760 - 764
Sucedido por
Dōkyō
Precedido por
Fujiwara no Toyonari
10º Sadaijin
758 - 760
Sucedido por
Fujiwara no Toyonari
Precedido por
Kose no Nademaro
21º Dainagon
749 - 757
Sucedido por
Ishikawa no Toshitari




Referências

  1. a b c d e Delmer M.Brown e Ichirō Ishida (1979). The Future and the Past: A Translation and Study of the Gukanshō (em inglês) Berkeley: University of California Press. p. 274 ISBN 9780520034600; OCLC 251325323
  2. George Bailey Sansom. (1958). A History of Japan to 1334, volume I (em inglês) Stafnord: Staford University Press pp. 90-91. ISBN 9780804705233
  3. Louis-Frédéric Nussbaum e Käthe Roth. (2005), "Fujiwara no Muchimaro" in Japan encyclopedia. (em inglês) Cambridge: Harvard University Press. p. 207 ISBN 9780674017535.
  4. Brown, p. 274 n44; excerpt, "An office was established during Empress Kōken's reign but abolished after Nakamaro's death in 764."
  5. Louis Frederic, Alvaro David Hwang O Japão - Dicionário e Civilização (em português) Globo Livros p. 289 ISBN 9788525046161

Bibliografia[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre o Japão é um esboço relacionado ao Projeto Ásia. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.