Full Throttle

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Full Throttle
Produtora LucasArts
Editora(s) Predefinição:Country data Mundo LucasArts
Brasil Brasoft
Plataforma(s) DOS, Mac OS, Windows
Data(s) de lançamento 30 de abril de 1995
Gênero(s) Aventura
Modos de jogo Single Player
Número de jogadores 1
Média CD
Controles Mouse
Teclado

Full Throttle é um jogo de aventura e ação desenvolvido pela LucasArts e lançado em 30 de abril de 1995. Foi o décimo jogo a ser produzido utilizando o motor SCUMM.

A história é focada em Ben, líder de uma gangue de motoqueiros chamada The Polecats. O ambiente do jogo retrata um futuro apocalíptico, quase sempre desértico e rochoso, lembrando em muito o filme Mad Max.

Enredo[editar | editar código-fonte]

Gtk-paste.svg Aviso: Este artigo ou se(c)ção contém revelações sobre o enredo.

Tudo começa quando Ben e sua gangue estão descendo pela Rodovia 9, no meio do deserto rochoso, quando avistam uma bela limusine branca. Mas para Ben, são raras as coisas que cruzam seu caminho na estrada, é assim, que sem pensar, ele empina sua moto e passa por cima do carro, destruindo o pequeno ornamento que simbolizava a limusine, na frente do capô.

Excitados com o acontecimento, os passageiros do carro logo começam a investigar de que gangue se tratava e quem era seu líder. Ben e sua gangue param para relaxar no Kick Stand Bar, lugar onde mais tarde encontrariam Malcolm Corley, o fundador da última fábrica de motos customizadas do país ainda em atividade, a Corley Motors. Malcolm então entra no bar perguntando quem teria passado por cima do seu carro. Ben se identifica, e em poucos minutos já estão conversando sobre motos. Malcolm fala sobre seu passado e suas aventuras como motoqueiro, e Ben fica impressionado em saber que estava conhecendo o dono da Corley.

É quando o vice-presidente da Corley, Adrian Ripburger, entra no bar e chama Ben para uma conversa particular. Ele comenta sobre a idade e os problemas de Malcolm, e oferece a Ben e aos Polecats a chance de trabalharem como guarda-costas da presidência da Corley em uma reunião anual de investidores da marca. Ben recusa a proposta, pois ele e sua gangue não fazem esse tipo de trabalho. Sendo assim, Nestor e Bolus, capangas de Adrian, armam uma cilada para Ben e o acabam jogando desmaiado em um latão de lixo. Sem saber da decisão de Ben e achando que ele já teria partido para planejar o percurso até a reunião, os Polecats acabam concordando com a proposta de Adrian Ripburger.

Quando Ben acorda, percebe que todos já tinham partido e que teria que atravessar o deserto para descobrir o que estava acontecendo. No decorrer do caminho, conhece Maureen, uma excelente mecânica, que o ajuda a arrumar sua moto depois de um acidente planejado pelos capangas de Ripburger. Ben corre contra o tempo para alcançar sua gangue e descobrir os verdadeiros planos de Ripburger. Antes de reencontrar os Polecats, porém, não consegue impedir o assassínio de Malcolm Corley pelas mãos de Ripburger. Pouco antes de morrer, Corley revela para Ben os planos do vice-presidente de transformar a companhia em uma fábrica de vans, e que Maureen é sua única filha e herdeira.

Pegos de surpresa, Ben e sua gangue são acusados pelo assassinato de Malcolm. O líder agora precisa correr para desmascarar Ripburger, salvar Maureen e libertar os Polecats. Para isso, cruza o deserto enfrentando seus rivais, os rápidos e loucos Vultures, os brutais Rottwheelers e os enigmáticos Cavefish. Assim que chega à Corley Motors encontra Maureen e, depois de alguns desentendimentos, Ben consegue se explicar e Maureen o acaba ajudando a recuperar a empresa e tirar Ripburger do poder. Ben salva os Polecats, Ripburger morre e Maureen consegue herdar a empresa do pai, como ele mesmo queria que fosse.

No fim, todos comparecem ao enterro de Malcolm, como uma homenagem ao último grande produtor e motoqueiro apaixonado da Corley Motors.

Gtk-paste.svg Aviso: Terminam aqui as revelações sobre o enredo.

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Ben - líder dos Polecats e protagonista do jogo. Seu nome completo aparece apenas no manual, como "Ben Whatsisname", e em lugar nenhum do jogo, pois os idealizadores temiam serem processados porque a série em desenho animado Biker Mice from Mars era estrelada por um rato motoqueiro cujo nome era Throttle.[1]
  • Maureen "Mo" Corley - filha ilegítima de Malcolm Corley e integrante secreta da gangue Vultures.
  • Malcolm Corley - pai de Maureen e dono da Corley Motors. Patriarca da última fábrica de motocicletas customizadas, respeitada igualmente por todas as gangues.
  • Adrian Ripburger - vice-presidente da Corley Motors e principal antagonista do jogo.
  • Father Torque - antigo líder dos Polecats e espécie de "conselheiro" para Ben.
  • Bolus - guarda-costas e cúmplice de Adrian Ripburger.
  • Nestor - motorista e cúmplice de Adrian Ripburger. Este o descreve como o "mais esperto" entre seus dois capangas.
  • Emmet - caminhoneiro e traficante de fertilizante. Odeia motoqueiros e policiais.
  • Horrace - vendedor de souvenirs no Estádio Corley. De acordo com o manual do jogo, sofreu várias quedas de bicicleta sem capacete, mas Corley simpatizou com ele e lhe deu um emprego.
  • Miranda Rose Wood - repórter que salva Ben no começo do jogo. Testemunha e fotografa o assassinato de Malcolm Corley.
  • Todd Newlan - mora em um furgão em Melonweed. É dono de um ferro-velho. Seu melhor (e único) amigo é um cachorro.
  • Quohog - atendente no bar Kickstand. Meio covarde, é facilmente manipulado.
  • Suzi - líder dos Vultures. É o cérebro por trás dos planos de deter Ripburger.
  • Darrel o segundo em comando nos Polecats depois de Ben.

Elementos do jogo[editar | editar código-fonte]

Gangues[editar | editar código-fonte]

Polecats[editar | editar código-fonte]

Gangue liderada por Ben, o protagonista, que assume o lugar antes ocupado pelo Father Torque. Os membros da gangue usam jaquetas de couro preto, calças caqui e coturnos. Durante o jogo os polecats passam a maior parte do tempo na prisão.

Membros

  • Ben
  • Father Torque (ex)
  • Darrell

Cavefish[editar | editar código-fonte]

Uma gangue de motoqueiros conhecidos por sua excentricidade. Por viverem em uma caverna, são cegos e precisam de óculos especiais que lêem as marcações na estrada. Usam o corpo inteiramente coberto por tiras de panos e sobrevivem assaltando caminhões e roubando seu carregamento. Não fica claro durante o jogo se a gangue tem algum líder.

Rottwheelers[editar | editar código-fonte]

Os rottwheelers, principais rivais dos polecats, são tidos como estúpidos e brutos. Seus membros são geralmente grandes e fortes e usam barbas.

Vultures[editar | editar código-fonte]

A gange, liderada por Suzi, é famosa por usar os recoil-boosters, dispositivos que permitem às motos desenvolver uma incrível velocidade. Os vultures têm sua base no alto de uma montanha cercada por um campo minado.

Membros

  • Suzi
  • Maureen

Localidades[editar | editar código-fonte]

Kickstand[editar | editar código-fonte]

Um castigado bar de motoqueiros à beira da estrada de propriedade de Quohog. É lá que o jogo começa.

Melonweed[editar | editar código-fonte]

Melonweed é onde mora Maureen, a mecânica que socorre Ben no começo do jogo. Por afundar na terra cerca trinta centímetros por ano, a cidade é praticamente abandonada. Além de Maureen, mora lá apenas Todd, o dono do ferro-velho. Existe na cidade ainda uma torre de armazenamento de combustível fortemente vigiada pela polícia.

Uncle Pete's Mink Ranch[editar | editar código-fonte]

Um rancho de criação de minks abandonado pertencente a Maureen, que herdou de seu tio. Emmet conta que comprava carne de mink lá muito barato e vendia para programas de alimentação em escolas.

Poyahoga Gorge[editar | editar código-fonte]

Um enorme cânion que corta a highway 9. No meio do jogo a ponte que atravessa o Poyahoga é derrubada e o protagonista tem de saltar por ela após efetuar as devidas modificações em sua moto.

Corley Motors[editar | editar código-fonte]

Complexo que abriga a sede das indústrias Corley motors e um estádio.

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

Broom icon.svg
Seções de curiosidades são desencorajadas pelas políticas da Wikipédia.
Ajude a melhorar este artigo, integrando ao corpo do texto os itens relevantes e removendo os supérfluos ou impróprios.

Full Throttle, assim como outros títulos da LucasArts, apresenta algumas curiosidades e referências "escondidas" no decorrer da história. Algumas são bem fáceis de achar, basta prestar um pouco de atenção no cenário ao redor do personagem principal, Ben.

  • No bar Kickstand, logo depois do assassinato de Malcolm Corley, Ben encontra Emmet, um sujeito que lhe seria bastante útil, apesar de desonesto. Enquanto negocia com ele uma possível carona, Emmet brinca com uma faca, acertando os vãos entre seus dedos. Se você insistir, ele acaba entregando sua faca e deixando você brincar também.
  • Emmet tem o símbolo do Império de Star Wars tatuado em seu braço direito, e um dos rottweillers tem o símbolo dos rebeldes de Star Wars tatuado em sua fronte.
  • Caso o jogo fique em torno de cinco minutos sem ação, um screensaver aparece, mostrando alguns veículos utilizados por diferentes personagens.
  • Na sala de fotos, uma das figuras em um projetor é um tentáculo, de Day of the Tentacle.
  • Na lateral do bar Kickstand, após o assassinato de Malcom Corley, a reporter Miranda Rosewood pede ajuda à Ben e suas últimas palavras são: "-Help me Ben, you´re my only hope" (Ajude-me Ben, você é minha última esperança); esta é a mesma frase dita pela Princesa Leia à "Ben" Obi-Wan Kenobi em Star Wars Episode IV: A New Hope, de George Lucas. O penteado de Miranda também é semelhante ao usado pela princesa.
  • A gangue de motociclistas Cavefish é nitidamente uma cópia das características físicas e comportamentais da raça "Povo da Areia" ou Tusken Raiders do planeta Tatooine de Star Wars.
  • Em uma cena em que aparecem várias placas, uma é a de Max, de Sam & Max.
  • Full Throttle é um dos poucos jogos da LucasArts a não ter uma trilha-sonora exclusiva. Algumas faixas do álbum Bone to Pick, da banda californiana The Gone Jackals, foram usadas no jogo. A canção de abertura é uma versão editada de "Legacy", segunda faixa do álbum.
  • O nome Corley é nitidamente inspirado em Harley, da fabricante norte-americana de motocicletas Harley Davidson.
  • Os créditos são recheados de referências bizarras, como o agradecimento à "40 lhamas especialmente treinadas" e à um centro de terapia. O time agradece ainda aos seus gatos de estimação, que tem os nomes citados, e em seguida surge a frase "Tim não gostaria de agradecer a nenhum gato, e não incentiva sua posse"

Continuações canceladas[editar | editar código-fonte]

Na primavera de 2000, a LucasArts iniciou a produção de Full Throttle: Payback, uma continuação oficial da história de Full Throttle.[2] Uma vez que Tim Schaefer já tinha saído da empresa na época, Larry Ahem, que estava envolvido no desenvolvimento do jogo original, foi designado líder do projeto e Bill Tiller, diretor de arte. Tanto Ahem, como Tiller, deixaram a LucasArts em 2001 após o cancelamento de Payback. Nos estágios iniciais, o projeto recebeu retornos positivos de outros empregados da LucasArts, mas, de acordo com Tiller, acabou terminando devido aos desentendimentos sobre o estilo do jogo entre a equipe de produção e "uma pessoa especialmente influente" dentro da gerência, que levou a uma série de "erros". A produção foi encerrada definitivamente em novembro de 2000, com 25% dos níveis e 40% da arte de pré-produção já concluída. A LucasArts nunca emitiu um comunicado oficial sobre o cancelamento do jogo.[3]

A história era centrada nos esforços de Ben para impedir o plano de uma "grande corporação" e do governador local para substituir todas as estradas pavimentadas por superfícies flutuantes, roubando os motociclistas e caminhoneiros de seu chão. Na primeira metade do jogo, Ben teria evitado uma tentativa de assassinato a Father Torque, que agora lidera um grupo de oposição às superfícies flutuantes, e depois se junta a uma "repórter infiltrada e persistente" para tirar o governador do poder. Na opinião de Tiller, Payback iria "capturar a ambientação do primeiro jogo e expandiria o meio".[3]

Em meados de 2002, a LucasArts anunciou Full Throttle: Hell on Wheels para Windows, e pela primeira vez na série, PlayStation 2 e Xbox. O jogo era destinado a ser ação-aventura, com mais ênfase na ação e nas lutas, do que na aventura, para torná-lo mais "físico" do que o primeiro.[4] Sean Clark foi nomeado líder do projeto de Hell on Wheels e o desenvolvimento correu bem até o final de 2003, quando foi abruptamente cancelado. Apenas meses antes, na E3 de 2003, uma demonstração foi apresentada e um teaser foi lançado pela LucasArts. Simon Jeffery, então presidente da companhia, declarou que "não queremos desapontar os muitos fãs de Full Throttle, e esperamos que todos possam entender nosso comprometimento com a entrega de uma experiência de jogo da melhor qualidade que pudermos" no comunicado à imprensa.[5] Os críticos citaram a baixa qualidade gráfica do jogo comparada aos seus pares 3D da época e a falta de envolvimento de Tim Schafer no projeto como possíveis motivos por trás de seu cancelamento.[3] Além disso, Roy Conrad, o dublador original de Ben, morreu em 2002.[6]

Hell on Wheels se passaria em El Nada, local cujas estradas teriam sido destruídas misteriosamente. Ben acredita que uma das novas gangues introduzidas no jogo, os Hound Dogs, estão por trás disso, mas logo descobre uma trama mais sinistra e mortal. Junto de Father Torque e Maureen, ele teria acabado com os planos do vilão e protegido a "liberdade da estrada aberta".[3]

Os críticos consideram improvável o desenvolvimento de novas continuações para Full Throttle. O interesse da LucasArts deixou de ser jogos de aventura, e o fato de duas tentativas anteriores terem sido mal-sucedidas pode dificultar a possibilidade de uma terceira. Além disso, quase todos os desenvolvedores que estiveram envolvidos com o Full Throttle original, em 1995, já deixaram a LucasArts.[3]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Trivia - Kickstand - "Certo, a primeira coisa que eu quero esclarecer é: seu nome é Ben Throttle. Não poderíamos dizer isso no jogo pois temíamos que os produtores de Biker Mice from Mars nos processassem. Mas agora Biker Mice from Mars está morto! Então que todos saibam, Ben tem um sobrenome."
  2. Tiller, Bill (4 de julho de 2006). Interview with Ellesar. Fallen_Angel, qrious (em inglês) Adventure Advocate. Página visitada em 6 de julho de 2006.
  3. a b c d e Ratliff, Marshall (26 de agosto de 2008). The rise and fall of Full Throttle: a conversation with Bill Tiller (em inglês) Adventure Classic Gaming. Página visitada em 16 de abril de 2013.
  4. The Empire Strikes Out – LucasArts And The Death Of Adventure Games (em inglês) GamesTM (8 de abril de 2010). Página visitada em 16 de abril de 2013.
  5. Full Throttle Canned (em inglês) IGN (7 de agosto de 2003). Página visitada em 16 de abril de 2013.
  6. Roy Conrad (em inglês) IMDB. Página visitada em 16 de abril de 2013.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]