Função bijectiva

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Uma função bijetiva.

Uma função bijetiva, função bijetora, correspondência biunívoca ou bijeção, é uma função injectiva e sobrejectiva (injetora e sobrejetora).

Os termos injectiva, sobrejectiva e bijectiva se popularizaram devido ao seu uso por Nicolas Bourbaki[1] .

Existência[editar | editar código-fonte]

Quando dois conjuntos finitos têm o mesmo número de elementos, então existe uma bijecção entre esses conjuntos. Na teoria dos conjuntos, essa propriedade é usada para definir a cardinalidade de conjuntos: dois conjuntos têm o mesmo número de elementos se, e somente se, existe uma bijecção entre eles.

O teorema de Cantor-Bernstein-Schroeder constrói uma bijecção entre A e B, dadas duas injecções f: A \rightarrow B e g: B \rightarrow A.

Construção de funções bijetivas[editar | editar código-fonte]

Se existe uma função injetiva f: A \to B, então existe, trivialmente, uma função bijetiva g: A \to C \subseteq B.

A questão análoga para funções sobrejetivas não é trivial: construir uma função bijetiva f: C \to B com C \subseteq A a partir de uma função sobrejetiva f: A \to B exige o Axioma da escolha.

Teoria das Categorias[editar | editar código-fonte]

Na Teoria das categorias, funções bijetivas são os isomorfismos da categoria Set. Em várias outras categorias os isomorfismos também são funções bijetivas, normalmente com alguma propriedade extra (por exemplo, na categoria dos grupos os isomorfismos são funções bijetivas que preservam o produto e a inversão).

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikilivros Livros e manuais no Wikilivros
Ícone de esboço Este artigo sobre matemática é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.