Fundão (Castelo Branco)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Fundão (Portugal))
Ir para: navegação, pesquisa
Fundão
Brasão de Fundão Bandeira de Fundão
Brasão Bandeira
Vista fundao 21-10-2007.JPG
Vista panorâmica da cidade do Fundão
Localização de Fundão
Gentílico Fundanense
Área 700,20 km²
População 29 213 hab. (2011)
Densidade populacional 41,72 hab./km²
N.º de freguesias 23
Presidente da
Câmara Municipal
Paulo Fernandes (PSD)
Fundação do município
(ou foral)
1747
Região (NUTS II) Centro
Sub-região (NUTS III) Cova da Beira
Distrito Castelo Branco
Antiga província Beira Baixa
Orago São Martinho
Feriado municipal 15 de Setembro (Santa Luzia)
Código postal 6230
Sítio oficial www.cm-fundao.pt
Municípios de Portugal Flag of Portugal.svg

O Fundão é uma cidade portuguesa no Distrito de Castelo Branco, região Centro e sub-região da Cova da Beira, com cerca de 8 750 habitantes.[1]

É sede de um município com 700,20 km² de área[2] e 29 213 habitantes (2011),[3] [4] subdividido em 23 freguesias.[5] O município é limitado a norte pelos municípios da Covilhã, Belmonte e Sabugal, a leste por Penamacor e Idanha-a-Nova, a sul por Castelo Branco, a sudoeste por Oleiros e a oeste por Pampilhosa da Serra.

História[editar | editar código-fonte]

A histórica Rua da Cale, no coração da cidade do Fundão, é actualmente um local vocacionado para o comércio tradicional.

Na freguesia do Telhado fica um povoado pré-histórico, provavelmente o mais antigo da Beira interior, que os arqueólogos estimam ter cerca sete mil anos.[6]

Na Idade do Ferro, desde o ano 1000 a.C. até à sua destruição pelos Romanos, houve no topo do Monte de São Brás (na Serra da Gardunha) um Castro lusitano. Este foi substituído por uma villa ou núcleo de edifícios agriculturais no tempo do Império Romano (por baixo da Rua dos Quintãs). Julga-se que a villa foi substituída por uma mansão senhorial fortificada na Alta Idade Média. O topónimo do local Fundão foi pela primeira vez referido em documento de 1307, e depois 1314 e 1320 referindo 32 casas. Nessa altura ficava aquém em população e influência, a várias aldeias que hoje fazem parte do seu concelho, como a do Souto da Casa.

Capela do Espírito Santo (século XVI).

A história do Fundão enquanto centro urbano preeminente é condicionada desde o inicio pelos cristãos-novos, assim como a dos concelhos vizinhos de Belmonte e da Covilhã. Após a expulsão dos judeusespanhóis (sefarditas) em 1492 pelos Reis Católicos, Fernando e Isabel, grande número de refugiados veio a estabelecer-se na Cova da Beira, onde já havia minorias judaicas significativas.

Real Fábrica de Lanifícios do Fundão (século XVIII), actual edifício da Câmara Municipal do Fundão.

Foram estes imigrantes, fundando bairros dos quais o mais importante situava-se em volta da Rua da Cale (Rua do Encontro ou da Sinagoga em Hebraico) que permitiram ao Fundão assumir as dimensões de uma verdadeira cidade. O influxo de mercadores e artesãos judeus transfomaria a cidade num centro importante para o comércio e a indústria.

Com o estabelecimento da Inquisição, começou um período de estabilidade doutrinal, embora nem mesmo assim alguns cristãos-novos, mal convertidos por preferência aos bens materiais, trouxeram desassossego à população. Ainda hoje são frequentes os nomes dos cristão-novos nos habitantes da região. A cidade perdeu assim nessa altura uma parte do seu dinamismo económico em troco da tranquilidade, confiança e ordem para todos.

Igreja Matriz do Fundão (século XVIII).

Em 1580 os notáveis da cidade deram o seu apoio ao Prior do Crato D. António, contra as pretensões do Rei de Espanha D. Filipe II (Filipe I de Portugal). Nesse ano elevaram unilateralmente eles próprios o Fundão ao estatuto de Vila. O concelho foi fundado em 1747 por ordem de D.João V, emancipando-o da Covilhã.

No período do Iluminismo do fim do Século XVIII, o então primeiro-ministro do reino, o Marquês de Pombal, após equiparar legalmente os cristão-novos aos cristão-velhos, procurou restaurar a preeminência económica da cidade fundando a Real Fábrica de Laníficios, onde hoje está situada a Câmara Municipal. Nessa altura voltaram a ser exportados em quantidade os tecidos de do Fundão. No século XIX o Fundão foi saqueado durante as Invasões Francesas, e voltou a sofrer durante a Guerra civil entre os Liberais pró-D. Pedro IV e os Miguelistas pró-D. Miguel.

A 19 de abril de 1988, o Fundão foi elevado a Cidade.

Pavilhão Multiusos.

Geografia[editar | editar código-fonte]

A cidade está localizada no sopé do Monte de S.Brás, um ramo da Serra da Gardunha, no planalto da Cova da Beira, a uma altitude de cerca de 500 metros.

A Moagem - Cidade do Engenho e das Artes.

Economia[editar | editar código-fonte]

A cidade é um centro local importante de comércio, serviços e indústria. O concelho compreende parte das terras mais férteis da região, o grande vale da Cova da Beira, onde passa o Rio Zêzere e as suas numerosas ribeiras afluentes. São feitas grandes produções de cerejas e ginjas, pêssegos, azeite e vinho.

Existem minas de volfrâmio, na Panasqueira (pertencentes ao concelho da Covilhã, mas as suas gentes também faziam vida no Fundão (Silvares))[carece de fontes?], de entre as mais importantes do seu tipo do mundo, também de chumbo e estanho. Existem quantidades de prata e ouro. A sua água mineral é das mais vendidas em Portugal.

À saída norte para a Covilhã ao longo da EN18 desenvolveram-se várias industrias e comércios de interesse até a nível nacional como a transformação de madeira, granitos, vidro e piscinas, e um investimento especial na indústria de polimento de peças de joalheria. Nesta zona existem vários hotéis, restaurantes e piscinas com interesse turístico.

Biblioteca Eugénio de Andrade.

Educação[editar | editar código-fonte]

Ensino Básico de 2º e 3º Ciclo

  • Escola Básica João Franco
  • Escola Básica Serra da Gardunha
  • Escola Básica de Silvares

Ensino Secundário

Ensino Profissional

  • Escola Profissional do Fundão
  • Escola de Hotelaria e Turismo do Fundão

Desporto[editar | editar código-fonte]

A Associação Desportiva do Fundão é o clube mais emblemático e o porta-estandarte desta cidade beirã, a equipa disputa actualmente o Campeonato Nacional de Futsal onde nos últimos anos tem conseguido fazer frente aos grandes clubes, tendo já várias prensenças nas fases finais do campeonato, na época 2013/14 sagrou-se vice-campeão nacional e vencedor da Taça de Portugal. Foi fundada em 1955 e disputa os seus jogos no Pavilhão Municipal do Fundão com capacidade para 1056 pessoas.

Apesar de se evidenciar mais no futsal, a A.D.F. também se destaca no futebol onde já marcou presença na IIIª Divisão Nacional, nesta modalidade existe também o Clube Académico do Fundão que se dedica aos escalões mais jovens, ambas equipas disputão os seus jogos no Estádio Municipal do Fundão com 3000 lugares.

Na modalidade de basquetebol existe o Clube de Basquetebol do Fundão, fundado a 27 de Abril de 2005, que já disputou o Campeonato Nacional da IIª Divisão.

Demografia[editar | editar código-fonte]

O gráfico seguinte apresenta a evolução demográfica do Concelho do Fundão entre 1801 e 2011:

Freguesias do Concelho[editar | editar código-fonte]

Freguesias do concelho do Fundão.

O concelho do Fundão está dividido em 23 freguesias:

Cidades Geminadas[editar | editar código-fonte]

[7] O concelho do Fundão é geminado com as seguintes cidades:

Imprensa[editar | editar código-fonte]

O jornal local é o Jornal do Fundão. A cidade do Fundão é também sede do único jornal diário a cobrir a Beira Interior, intitulado Diário XXI.

As rádios locais são a Rádio Jornal do Fundão (100.0 MHz) e a Rádio Cova da Beira (92.5 MHz e 107.0 MHz).

Pessoas Célebres do Concelho do Fundão[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Fundão (Castelo Branco)

Referências

  1. INE. Anuário Estatístico da Região Centro 2012. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística, 2013. p. 33. ISBN 978-989-25-0217-5 ISSN 0872-5055 Página visitada em 05/05/2014.
  2. Instituto Geográfico Português (2013). Áreas das freguesias, municípios e distritos/ilhas da CAOP 2013 (XLS-ZIP) Carta Administrativa Oficial de Portugal (CAOP), versão 2013. Direção-Geral do Território. Página visitada em 28/11/2013.
  3. INE. Censos 2011 Resultados Definitivos – Região Centro. Lisboa: Instituto Nacional de Estatística, 2012. p. 116. ISBN 978-989-25-0184-0 ISSN 0872-6493 (Esta página tem um erro: os nomes dos concelhos e freguesias estão deslocados duas linhas para baixo em relação aos respectivos dados.) Página visitada em 27/07/2013.
  4. INE (2012). Quadros de apuramento por freguesia (XLSX-ZIP) Censos 2011 (resultados definitivos). Instituto Nacional de Estatística. Página visitada em 27/07/2013. "Tabelas anexas à publicação oficial; informação no separador "Q101_CENTRO""
  5. Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro: Reorganização administrativa do território das freguesias. Anexo I. Diário da República, 1.ª Série, n.º 19, Suplemento, de 28/01/2013.
  6. Aldeia do período neolítico descoberta no Fundão
  7. http://www.anmp.pt/anmp/pro/mun1/gem101l0.php?cod_ent=M6230


Concelhos do Distrito de Castelo Branco Mapa do distrito de Castelo Branco
Belmonte
Castelo Branco
Covilhã
Fundão
Idanha-a-Nova
Oleiros
Penamacor
Proença-a-Nova
Sertã
Vila de Rei
Vila Velha de Ródão
Belmonte
Castelo Branco
Covilhã
Fundão
Idanha-a-Nova
Oleiros
Penamacor
Proença-a-Nova
Sertã
Vila de Rei
Vila Velha de Ródão