Funkeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Este artigo não cita fontes confiáveis e independentes. Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Merge-arrows 2.svg
Foi proposta a fusão deste artigo ou se(c)ção com Funk carioca. Por favor crie o espaço de discussão sobre essa fusão e justifique o motivo aqui; não é necessário criar o espaço em ambas as páginas, crie-o somente uma vez. Perceba que para casos antigos é provável que já haja uma discussão acontecendo na página de discussão de um dos artigos. Verifique ambas (1, 2) e não se esqueça de levar toda a discussão quando levar o caso para a central.
Editor, considere adicionar mês e ano na marcação. Isso pode ser feito automaticamente, com {{Fusão|1=Funk carioca|{{subst:DATA}}}}.

Funkeiro, ou "Funkeiros" (No plural) é uma subcultura brasileira que teve origem no estado do Rio de Janeiro e se espalhou pelo resto do país ao passar dos anos. A subcultura começou nos anos 80, desde o começo do gênero musical chamado "funk carioca", e ainda existe atualmente. No Funk brasileiro, os cantores são conhecidos pela sigla "MC" que, quer dizer "Mestre de cerimônia", o uso da sigla veio do Rap americano, e de outros gêneros norte-americanos que deram origem ao Funk brasileiro. O termo "funkeiro" foi inventado por jovens de redes sociais, e logo depois, começou a ser usado no país inteiro.

Muitos consideram o Funk como um dança vulgar, já que em suas danças tem grande apelo sexual.

Visão na sociedade[editar | editar código-fonte]

Desde o inicio das músicas, a subcultura e o gênero musical é criticado e discriminado na sociedade. A maioria das músicas são ligados a ostentação, a apologia ao sexo, e principalmente, a apologia ao crime (O que levou a ser proibido em vários lugares do país). A subcultura e o gênero musical é criticada na sociedade, principalmente, por intelectuais e por autoridades que ficam insatisfeitos com as apologias. A subcultura costuma ser discriminada e odiada por outras subculturas que estão incluídas na sociedade.

Cultura[editar | editar código-fonte]

A cultura do grupo é variada, em vários estilos, músicas do gênero "Funk carioca" e "Funk brasileiro" são os gêneros mais populares entre a subcultura. As características variam em vários estilos populares pela subcultura, óculos solares (Coloridos), cabelos moicanos, cabelos pintados de várias cores, brincos, bonés de vários lados, bermudas de surf, camisetas polo, roupas longas e jaquetas, são os estilos mais populares da subcultura.

Os ouvintes são mais apegados à óculos coloridos, bermudas, camisas polo, bonés aba curva e tênis para corrida. Já os cantores estão cada vez mais simpatizados com as roupas longas do Hip-Hop em seus videoclips, aderindo aos bonés "Snapback" e blusas de Baseball.

Apesar da maioria dos ouvintes se mostrarem indiferentes ao modo de vestir de alguns cantores, há uma influência dos MCs nas vestimentas dos funkeiros e hoje pode-se encontrar ouvintes do gênero utilizando bonés ao estilo Snapback.

No mundo[editar | editar código-fonte]

A subcultura "funkeira" não é encontrada em nenhum lugar fora do Brasil, embora existam músicas do estilo funk (De um estilo diferente em outros países) em outros países. Devido aos conteúdos do estilo no Brasil, a subcultura "funkeira" não é aceita no exterior.