Futebol de Coronel Fabriciano

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Entrada do Estádio Louis Ensch, principal estádio de futebol da cidade, que é administrado pelo Social Futebol Clube.

O futebol de Coronel Fabriciano, município brasileiro do interior do estado de Minas Gerais, teve seu início no começo da década de 1920 a partir de times formados por duas empresas que tinham escritórios em Fabriciano (a EFVM e a Belgo-Mineira), cujas equipes se juntaram na década de 40 e formaram o Social Futebol Clube, que ainda é o principal clube da cidade, tendo disputado algumas edições do Campeonato Mineiro. Seu estádio é o Estádio Louis Ensch, que é o maior do município, tendo capacidade para cerca de 6 mil pessoas e foi inaugurado em 1950. Ainda há outros, como o Josemar Soares, o do CAF e o Amaro Lanari Júnior.

No amadorismo se destacaram clubes como o Avante Esporte Clube, o Rosalpes e o Clube Atlético Florestal (CAF), tendo este último, em 1969, sido o primeiro campeão do Campeonato Fabricianense de Futebol, principal competição futebolística de Fabriciano. Ainda há outras, criadas mais recentemente, como o Torneio Independência e o Campeonato de Futebol Mirim e Infantil.

História[editar | editar código-fonte]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O futebol de Coronel Fabriciano teve início por volta de 1920, quando o lugar ainda se chamava “Calado” e pertencia à cidade de Antônio Dias. O atual Centro fabricianense sediava os escritórios de duas empresas: da Estrada de Ferro Vitória a Minas e da Belgo-Mineira (atualmente chamada ArcelorMittal Aços Longos). A Belgo tinha suas tradições na cor azul. A pintura de seus veículos e de suas casas eram nessa tonalidade. A EFVM, por sua vez, tinha como cores o verde, o vermelho e o amarelo, que estavam estampados em suas locomotivas "maria-fumaça". Assim, surgiram duas equipes de futebol, sendo um time amarelo da ferrovia conhecido como Ferroviário e um time azul sendo o da Belgo-Mineira.

Por volta de 1935, a população de Calado resolveu juntar os dois times. O primeiro nome escolhido foi Comercial, devido ao fato de os comerciantes da cidade terem patrocinado o time. No início da década de 1940, surgiu a ideia de Social Futebol Clube, nome registrado e oficializado em 1º de outubro de 1944.[1] Em 1950 foi criado o Estádio Louis Ensch, casa do Saci, como a equipe também é conhecids, e que até hoje é o principal estádio de Fabriciano.[2] Na década de 1950 também surgiram outros clubes que mais tarde vieram a ter destaque regional. O maior rival do Social era o União Esporte Clube, criado em 1956, passando a chamar-se Avante Esporte Clube em setembro de 1958. Naquela década também foi criado o Estádio Josemar Soares, casa do Avante. Neste estádio e no Louis Ensch eram onde se realizavam os jogos com maiores públicos da cidade.[3]

Em setembro de 1968 foi criado o Rosalpes, a partir da fusão de dois times que usavam o mesmo campo para treinos: o Alpes e o Santa Rosa. Teve seu auge na década de 70, entrando em crise na década de 80 por causa da falta de um campo próprio; o clube treinava em um terreno que foi ocupado por residências onde hoje situa-se o bairro Giovannini.[3] [4] Mas atualmente voltou a se destacar no Campeonato Fabricianense.[5] O confronto entre Rosalpes e o Avante era conhecido como “Derby melovianense” (ambos os times tinham sede no distrito Senador Melo Viana).[4]

Década de 1990 – Atualidade[editar | editar código-fonte]

Neste período o time que mais se destacou na cidade foi o Social, que de 1996 a 2009 disputou em todos os anos a Primeira Divisão do Campeonato Mineiro, se for levado em conta a nomenclatura da Federação Mineira de Futebol que considera o Módulo II como parte da Primeira Divisão. Na prática, o time tem alternado entre a primeira e a segunda, se considerar-se que o Módulo II corresponde ao segundo nível estadual.[6] Em 2010 o clube abidicou do direito de disputar o Módulo II para resolver pendências trabalhistas.[7] Utilizando os recursos gerados por sua renda fixa de aluguéis das lojas no entorno de seu estádio, o Social resolveu seus problemas financeiros e retornou às competições oficiais já em 2011, disputando a Segunda Divisão do Campeonato Mineiro,[8] que na prática corresponde ao terceiro nível do futebol estadual.

Em 2008 houve a criação de uma nova equipe, Fabriciano Futebol Clube, que em 2009 já disputava a 2ª Divisão do Campeonato Mineiro (equivalente à terceira).[9] [10] Porém em março de 2010 o clube transferiu sua sede para o município de Nova Serrana, também em Minas Gerais, e alterou seu nome para Nacional Esporte Clube, além de adotar um novo escudo.[11]

Em 2012 foi fundado o Trio Futebol Clube, por Marcelo Vieira, um dos idealizadores do Fabriciano Futebol Clube[12] . O clube disputa a Segunda Divisão do Campeonato Mineiro em 2013, tornando-se o terceiro clube profissional na história da cidade.

Em 2013, o Novo Esporte Clube Ipatinga, fundado no ano anterior, anunciou que mandaria os jogos de sua primeira competição profissional em Coronel Fabriciano[13] , apesar de manter sua sede oficial em Ipatinga. A decisão ocorreu pelo fato de o Estádio Municipal de Ipatinga não se encontrar em condições de uso em 2013[14] .

Estádios[editar | editar código-fonte]

Entrada principal do Estádio Josemar Soares.

Como já citado anteriormente, o principal estádio da cidade é o Estádio Louis Ensch, fundado em 1950. Sempre foi palco de grandes confrontos entre times amadores de Fabriciano. Além do amadorismo, o Louis Esnch é sede de jogos profissionais do Social. No ano de 2009, foi usado para jogos profissionais também por Valeriodoce (da cidade de Itabira) e Tombense (Tombos),[15] devido a problemas nos estádios destes clubes. Tendo capacidade para cerca de 6 mil pessoas, teve seu recorde de público de aproximadamente 7 mil pagantes, obtido em uma partida da semifinal do Campeonato Mineiro de 1997 entre o Social e o Villa Nova Atlético Clube. Para a ocasião foram acrescentadas arquibancadas móveis para garantir a presença máxima possível de torcedores, embora, normalmente, o Social utilize o Estádio Municipal João Lamego Netto (o Ipatingão, em Ipatinga) quando há uma expectativa maior de público.

A grande maioria desses pequenos times citados anteriormente conta com estrutura razoável, e outros com deficiências, como falta de arquibancadas. Destaque para o campo do Avante, o estádio Josemar Soares, que conta com cabine de rádios, vestiários e uma modesta arquibancada, além de boa arborização. Outros campos muito utilizados são o do Mangueiras, no bairro homônimo, o do Clube Atlético Florestal (CAF), no Distrito Industrial, e o Amaro Lanari Júnior, no bairro Amaro Lanari.[16]

Competições[editar | editar código-fonte]

A principal competição futebolística realizada regurlamente em Fabriciano é o Campeonato Fabricianense de Futebol. É organizado desde 1969, sendo que a primeira equipe que o conquistou de forma oficial e reconhecida pela Federação Mineira de Futebol (FMF) foi o Clube Atlético Florestal (CAF), que também ganhou os campeonatos de 1997, 1998 e 1999; mesma campanha conseguida pelo time Júnior da equipe.[4] Os times que mais ganharam o fabricianense foram o Rosalpes e o Avante, que conquistaram 6 títulos cada um.[17] Até 2010 contava com apenas uma divisão, porém em 2011 passou a ser dividido em duas.[18]

Outras disputas que são realizadas anualmente em Fabriciano são o Torneio Independência, realizado desde 2010 pela Secretaria de Juventude, Esporte e Lazer da Prefeitura de Coronel Fabriciano;[19] Campeonato de Futebol Mirim e Infantil, que reúne seis agremiações e cerca de 300 atletas com idade entre 12 e 15 anos, também organizado pela Secretaria de Esporte;[20] e o campeonato Bairro a Bairro, que foi instituído em 2011 e envolve equipes representando alguns dos 63 bairros fabricianenses.[21]

Jogadores notáveis[editar | editar código-fonte]

Em Coronel Fabriciano foram poucos os jogadores que nasceram no próprio município e conseguiram destaque nacional e/ou internacional. Atualmente destacam-se futebolistas como Eraldo Anício Gomes, que em 2010 chegou a ir à Coreia do Sul para jogar pelo Jeju United FC;[22] Léo Mineiro, que já jogou pelo Associazione Calcio Bellinzona e FC Chiasso, da Suíça, e pelo Athletic Club Skoda Xanthi, da Grécia;[23] e Rafael Pires Monteiro, que foi convocado para a disputa do Campeonato Sul-Americano Sub-20, pela Seleção Brasileira, em 2009.[24] Em outubro de 2004 o município virou notícia ao sediar o velório e enterro do jogador Paulo Sérgio Oliveira da Silva, o Serginho, que morreu após sofrer um ataque cardíaco durante uma partida pelo Campeonato Brasileiro enquanto defendia o São Caetano contra o São Paulo, no Estádio do Morumbi, no dia 27 daquele mês. Apesar de ser natural de Vitória, o jogador foi enterrado em Fabriciano pois ele foi revelado pelo Social FC.[25] [26]

Além destes citados acima, que tiveram destaque nacional e/ou internacional, destacaram-se pelo futebol amador de Fabriciano Raul, João Paletó, Jorge, Tonhão e Dimas (goleiros); Preguinho, Renato e Bolivar (zagueiros); Zé Lúcio, Baixinho, Zé Wilson, Mancheta e Lica (meias atacantes); Carlinhos, Cazuaque, Pinduca e Dozinho (atacantes).[3] O time do Clube Atlético Florestal (CAF) que conquistou o primeiro campeonato fabricianense era composto por: Ló, Renato, Manoel, Felício, Pitoti, Pedro Paulo, Tato, Dozinho, Pierre, Joel Companheiro e Tiló. Grande parte destes eram funcionários de uma empresa denominada Companhia Agrícola Florestal, que também usava as iniciais CAF.[4]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Social Futebol Clube. História. Página visitada em 25 de setembro de 2011.
  2. Social Futebol Clube. Estário. Página visitada em 25 de setembro de 2011.
  3. a b c Revista Caminhos Gerais, nº 21, pág 29
  4. a b c d Revista Caminhos Gerais, nº 21, pág 30
  5. Jornal Vale do Aço (26 de julho de 2011). Fabricianense: É hexa!. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  6. O Gol. Social Futebol Clube - Informações gerais. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  7. Jornal Vale do Aço (3 de dezembro de 2009). Social não vai ao arbitral na FMF e deve fechar as portas em 2010. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  8. Federação Mineira de Futebol (FMF) (17 de junho de 2010). Filiados Segunda Divisão. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  9. Jornal Vale do Aço (6 de março de 2008). Vale do Aço ganha mais um clube profissional. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  10. Jornal Vale do Aço (4 de março de 2009). Fabriciano F.C. confirma participação na 2ª Divisão do Campeonato Mineiro. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  11. Felipe Alveoli (27 de setembro de 2010). Nacional Esporte Clube: pra lá de segundas intenções. O Popular. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  12. http://www.jvaonline.com.br/novo_site/ler_noticia.php?id=101872
  13. http://www.plox.com.br/caderno/esportes/novo-esporte-vence-quarto-amistoso-consecutivo
  14. http://www.jvaonline.com.br/novo_site/ler_noticia.php?id=106018
  15. Futebol Amador de Minas Gerais. Vale do Aço e Ponte Nova decidem título no Luisão em Coronel Fabriciano. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  16. O Gol. Amaro Lanari Júnior. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  17. Jornal Diário do Aço (28 de julho de 2011). Rosalpes é campeão amador de Fabriciano. Futebol Itabirano. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  18. Jornal Vale do Aço (20 de março de 2010). Rosalpes fica com a vaga do Mangueiras. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  19. Assessoria de Comunicação (2 de setembro de 2010). Torneio Relâmpago de Futebol é promovido no Morada do Vale. Prefeitura de Coronel Fabriciano. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  20. Assessoria de Comunicação (5 de abril de 2011). Fabriciano realiza Campeonato de Futebol Mirim e Infantil. Prefeitura de Coronel Fabriciano. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  21. Assessoria de Comunicação (18 de agosto de 2011). Troféu de Taekwondo e campeonato Bairro a Bairro agitam o domingo. Prefeitura de Coronel Fabriciano. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  22. O Gol. Eraldo. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  23. Felipe Matos (11 de novembro de 2009). Por onde anda: Léo Mineiro!. Memória Avaiana. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  24. O Gol. Rafael. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  25. Paraná Online (29 de outubro de 2004). Serginho teve uma arritmia cardíaca leve. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.
  26. Estadão (29 de outubro de 2004). Serginho será sepultado em Coronel Fabriciano. Página visitada em 25 de setembro de 2011. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2012.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]