Futebol de botão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde fevereiro de 2008). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
Detalhe de um jogo de futebol de botão

Nota: Não confundir com o jogo chamado no Brasil de Pebolim, Totó ou Fla-Flu

O Futebol de Botão é um jogo simulado de futebol praticado com botões apropriados, que, de certa forma, representam os jogadores e são movidos com o auxílio de uma palheta; é praticado como um "passatempo" e como esporte oficialmente reconhecido sendo, nesta última condição, denominado "Futebol de Mesa".

Futebol de Botão [1] [editar | editar código-fonte]

O futebol de botões foi inventado em 1930 pelo brasileiro Geraldo Cardoso Décourt, que, primeiro jogava com botões

de madeira, passando posteriormente a usar os botões de plastico. Dessa brincadeira de criança surgiu o "jogo de botões", aquilo que se tornaria o esporte difundido e praticado como modalidade esportiva, apresentando uma diversidade de regras e materiais, tendo adeptos em um grande número de países.

O dia do nascimento de Geraldo Décourt em 14 de fevereiro, foi oficializado pelo governador Geraldo Alckmin, em São Paulo, no ano de 2001, como o "dia do botonista".

Décourt foi um incansável divulgador e organizador de eventos de futebol de mesa, o que propiciou o desenvolvimento do esporte, assim como sua popularização.

Paralelamente a esse incremento de regras e desenvolvimento de materiais cada vez mais adequados à execução do jogo, em diversas regiões do Brasil, mormente nas décadas de 1930 a 1980, várias modalidades eram praticadas, usando-se diversos tipos de botões e superfícies onde os mesmos deslizavam, desde o piso das casas, mesas de jantar, até o famoso "Estrelão", mesa de jogo sem cavaletes, produzida pela fábrica Estrela, durante os anos 70.

Crianças jogam futebol de botão.

Muitos famosos ficaram os "botões de osso" ou de "paletó”, que nada mais eram que os botões retirados dos antigos termos sociais; dentre esses, uma classe de botões conhecida como "Paulo Caminha", marcou época; depois vieram as "capas de relógios", que nada mais eram que os "vidros' substituídos dos relógios que iam para conserto e tinham os "vidros' trocados; finalmente, na década de 1950, surgiram os botões industrializados, de plástico, com adesivos colados ao centro, contendo os escudos ou mesmo as faces dos jogadores dos times famosos do Brasil.

Os botões de acrílico já eram utilizados, entretanto, em uma proporção bem menor em relação aos dias de hoje, quando são predominantes.

Os botões industrializados começaram com os famosos canoinhas, que eram botões rebaixados no meio, com o rosto do jogador ao centro, normalmente com imagem em preto e branco; existiram até alguns coloridos. Algumas fábricas os fizeram, Estrela, Trol e outras

Os "Bolagol"

Eram botões fabricados pela "Plásticos Santa Marina" tendo de início o nome "Futebol Miniatura"; vinham em caixas de time simples ou em caixas de times duplos, as caixas eram assim:

  • Caixa dupla com o nome antigo de "Futebol Miniatura"
  • Caixa "BOLAGOL" simples, já com o nome Bolagol

Os fabricantes de botões "BOLAGOL" primaram em fazer uma das maiores coleções de times do Brasil e estrangeiros de que se tem notícia, ninguém fabricou tamanha diversificação de times de tantos estados brasileiros; a coleção é composta por aproximadamente 130 equipes entre brasileiras, seleções e estrangeiras.

Coleção "Onze de Ouro"

A "coleção onze de ouro" foi feita em homenagem às seleções brasileiras de 1958 e 1962, equipes campeãs mundiais, e os times que possuíam jogadores nestas seleções e que tinham maior destaque à época no Brasil, que eram os paulistas; Palmeiras, Santos, São Paulo, Portuguesa e Corinthians; e os cariocas; Flamengo, Botafogo, Vasco, Fluminense e América.

Esta coleção teve duas etapas, a primeira em 1964 e a segunda em 1965; eram botões vendidos em bancas de jornal, em pacotinhos com um botão dentro e para se conseguir as palhetas (apertadeiras e outros nomes dependendo do estado), goleiros e as traves (goleiras no sul) era preciso trocar "jogadores chaves" pelos mesmos. A coleção até hoje é procurada pelos colecionadores sedentos por possuir os grandes jogadores de uma época de ouro de nosso futebol.

A Estrela lançou, já na década de 1970, um novo botão, mais alto, porem mais barato e de menor qualidade que o famoso "canoinha", eram eles "o estrela chutador".

A "Estrela" lançou também, após a série com os fotos dos jogadores, uma série com escudos dos clubes de futebol do Brasil.

O botão de "Banca de Jornal"

Quase que concomitante ao lançamento dos botões Onze de Ouro, a febre do jogo de botão invadiu o Brasil e foram lançadas algumas séries denominadas "Craques da Pelota", onde existiam os "patente requerida" e "marca registrada", brincadeira derivada do fato de vir escrito atrás da chapinha que prendia o rosto do jogador, estas palavras.

Também criaram a série "Ídolos do Futebol" que além de ser vendida em bancas de jornal, era encontrada também nos grandes magazines.

O último modelo que saiu com o rosto dos jogadores de futebol era a série Gulliver, que veio com algumas variações, dentre elas um botão chamado "cristal". Estes dois últimos modelos são vendidos ainda hoje em grandes magazines, porém, apenas com os distintivos de grandes clubes de futebol e seleções.

Reconhecimento oficial[editar | editar código-fonte]

Através da Resolução N.º 14, de 29 de setembro de 1988, acatando ao Of. N.º 542/88 e ao Processo N.º 23005.000885/87-18, baseado na Lei N.º 6.251, de 8 de outubro de 1975 e no Decreto N.º 80.228, de 25 de agosto de 1977, assinada pelo seu então Conselheiro-Presidente Manoel José Gomes Tubino, o CND (Conselho Nacional de Desportos) reconhece o Futebol de Mesa como modalidade desportiva praticada no Brasil, como uma vertente dos esportes de salão, no qual se incluem o xadrez e o bilhar, por exemplo. O Futebol de Mesa [2] é praticado oficialmente em cinco modalidades; quatro oficiais (Disco, Bola 12 Toques, Bola 3 Toques e Dadinho) e uma experimental (Pastilha).

A CBFM (Confederação Brasileira de Futebol de Mesa) regula e orienta a prática desse esporte no Brasil. Uma das principais lutas dos praticantes é fazer com que o esporte seja conhecido pelos leigos como Futebol de Mesa e não como Jogo de Botão, pois essa associação faz com que o esporte esteja ligado à prática de um jogo infantil o que dificulta seu reconhecimento público como esporte e, consequentemente, seu desenvolvimento.

Após o reconhecimento institucional do Futebol de Mesa como esporte, as modalidades passaram por um crescimento estrutural e conceitual sem precedentes. As federações estaduais foram organizando-se e ganhando "status" semi-profissional e atualmente, existe uma interligação estrutural entre os eventos promovidos pelas federações estaduais. O Futebol de Mesa (também chamado de Futmesa), desenvolve campeonatos estaduais individuais e por equipes. Os grandes clubes de futebol também têm equipes participando, como Corinthians, Nacional, Palmeiras, Rio Branco e Santos em São Paulo e America, Bangu, Flamengo, Fluminense, Vasco da Gama e Friburguense no Rio de Janeiro.

Modalidade Bola 12 Toques[editar | editar código-fonte]

Popularmente conhecida como "Regra Paulista"[3] . Cada partida tem a duração de 20 (vinte) minutos e é disputada em 2 (duas) fases de 10 (dez) minutos, com intervalo máximo de 5 (cinco) minutos entre a primeira e segunda fases. Estando um jogador com a posse de bola, este terá direito a um limite coletivo de 12 (doze) toques, sendo que se até o 12º toque não houver chute a gol, será punido com tiro livre indireto cobrado do local onde a bola estiver estacionada. Cada botão, obedecido o limite coletivo de 12 (doze) toques, terá direito a 3 (três) toques ou acionamentos consecutivos. Se ocorrer um quarto acionamento consecutivo, será punido com tiro livre indireto cobrado onde ocorreu o toque excedente.

O Campeonato Brasileiro Individual da modalidade Bola 12 Toques é disputado desde o final do anos de 1980 e dele participam os melhores botonistas da modalidade de cada Estado do Brasil, que classificam-se para o evento mediante um sistema de "cotas" distribuídas pela Confederação Brasileira de Futebol de Mesa às federações estaduais.

O Campeonato Brasileiro de Clubes [4] da modalidade Bola 12 Toques é disputado desde de 2007. Atualmente participam clubes dos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Alagoas, Piauí, Goiás e Rio Grande do Sul.

Em 2009 foi realizado na cidade de Budapeste (Hungria) o primeiro Campeonato Mundial da modalidade Bola 12 Toques, sendo o Brasil campeão por equipes com a seguinte formação: Mauro Michilin (Palmeiras), Toninho (Palmeiras), Tadeu Sanchis (Corinthians), Marcelo Lages (Vasco), Carlos Renato (Vasco) e Harutiun Muradian (Maria Zélia) - o técnico foi De Franco (Palmeiras). O atleta Marcos Paulo Liparini Zuccato, mais conhecido como Quinho (Palmeiras), foi o Campeão Mundial Individual.

Em 2012 foi realizado na cidade do Rio de Janeiro (Brasil) o segundo Campeonato Mundial da modalidade Bola 12 Toques [5] , sendo o Brasil novamente campeão por equipes com a seguinte formação: Marcos Paulo Zuccato (Quinho) (Palmeiras), Tadeu Sanchis (Corinthians), Jefferson Genta (Maria Zélia), Paulo Audician (Farinha) (Círculo Militar), Roberto Rodrigues (Clube Curitibano), Victor Heremann (IVN Londrina), Lucas Assumpção (America) e Rhaniery Jardim (Vasco da Gama) - a comissão técnicá foi composta por De Franco (Cisplatina) e Marcelo Lages (Vasco da Gama). O atleta Rogério Nascimento (Clube Curitibano), foi o Campeão Mundial Individual.

Modalidade Bola 3 Toques[editar | editar código-fonte]

Popularmente conhecida como "Regra Carioca". É disputada principalmente nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goias, São Paulo, Pernambuco, Amazonas e no Distrito Federal . É considerada a mais dificil para adaptação e aprendizado, por conter basicamente todas as regras do futebol de campo, como impedimento, sobrepasso, tiro livre indireto, etc. O tempo de duração é de 40 minutos, sendo dois tempos de 20 com intervalo de 5 minutos .

O Campeonato Brasileiro [6] da modalidade Bola 3 Toques é disputado desde o início do anos 80, tanto individualmente como por equipes. O campeonato de equipes foi ao longo dos anos sendo modificado em sua forma de disputa, inicialmente com 2 atletas, no final dos anos 80 passou para 3 atletas e a partir dos anos 90 foi adotada a formula atual de 4 atletas por equipe .

O atual campeão brasileiro de clubes é o Tupi, de Juiz de Fora - MG. O campeão individual é Marcus Motta, do Tupi de Juiz de Fora, na categória senior acima de 38 anos o atual campeão é Vander Felipe do Grêmio Mineiro de Belo Horizonte e na categória master acima de 45 anos Benjamim Abaliac tambem do Grêmio Mineiro de Belo Horizonte .

Em 2005 foram criadas as Copas do Brasil Individual e de Clubes sendo Vander Felipe(MG) o 1º campeão individual, o atual campeão é Marcelo Buzo, do América de São José do Rio Preto - SP.

Na competição de Clubes a Portuguesa (MG) conquistou o 1º titulo em 2005, em seguida a ACFB (RJ) venceu nos anos de 2006 e 2007, em 2008 o Grêmio Mineiro (MG) e em 2009 o Rio Branco de Americana, deu o primeiro titulo nacional para o estado de São Paulo.

Modalidade Disco[editar | editar código-fonte]

Popularmente conhecida como "Regra Baiana", possui duas vertentes ("Liso", onde os botões são lisos por baixo, e "Livre", onde os botões são cavados por baixo) e é a modalidade há mais tempo organizada. A abrangência da modalidade é nacional, embora a vertente "Liso" tenha maior concentração nos estados do nordeste e Espírito Santo e a vertente "Livre" no Sul e Sudeste. Além disso talvez seja a modalidade que exija maior técnica, habilidade e raciocínio do jogador.

A primeira Associação dedicada a esta Regra foi estabelecida em 1959, em Alagoinhas (BA), permanecendo em atividade ininterrupta até os dias de hoje.

A primeira grande competição inter-estadual da modalidade Disco 1 Toque foi o Campeonato Norte-Nordeste (popularmente chamado de "Nordestão") em 1969. No ano seguinte, 1970, foi disputado o primeiro Campeonato Brasileiro Individual da modalidade.

A partir de 2012 o Campeonato Brasileiro da Modalidade Disco passou a disputado em locais separados nas vertentes "Liso" e "Livre". A 42ª edição do evento foi disputada na cidade de Santana do Livramento (RS) em 2014 e consagrou Wellington Rodrigo de Oliveira, atleta da Associação de Futebol de Mesa de Porto Alegre - AFUMEPA (RS), como campeão. Alênio Cheble da Associação Atlética Portuguesa do Rio de Janeiro é o primeiro botonista e até então único jogador na história a conquistar o título máximo tanto na vertente "Livre" quanto na vertente "Liso" (foi Campeão em 2000, em Salvador - BA e 2010, em Porto Alegre - RS).

Os atuais Campeões Brasileiros de Clubes são o Clube Ipe (SP) no "Livre" e a Assoc. Cultural e Recreativa de Aloinhas (BA), no "Liso", competições realizadas em Florianópolis (SC) e Aracajú (SE), respectivamente.

A Copa do Brasil é outra competição de âmbito nacional criada recentemente pela CBFM e que fez grande sucesso com o sistema de jogos eliminatórios. Victor Ioost Mecking da Assoc. de Futebol de Mesa de Cascavel (PR) no "Livre" e Eldenisio Tosta Santos (BA) no "Liso" são os atuais campeões.

Modalidade Dadinho[editar | editar código-fonte]

A bola de jogo é um cubo confeccionado em acrílico ou material semelhante e conhecido por "dadinho". Cada face do cubo mede 0.6mm x 0.6mm e o seu peso varia entre 0,1 e 0,3 g. Suas faces devem ser lisas, sem saliências, sem nenhum tipo de adesivo ou decalque, não sendo permitido nenhum tipo de marcação. Os jogadores são discos circulares, semelhantes a botões com diâmetro máximo de 60 mm e mínimo de 35 mm, e sua altura máxima de 1 cm, podendo ser de qualquer cor ou combinação de cores, de qualquer material, com exceção metal e vidro. Os botões de uma mesma equipe poderão ser de tamanhos diferentes, como também, poderão ser de cores diferentes entre si, porém todos devem estar numerados. Cada botão somente poderá dar no máximo 3 (três) toques consecutivos ("palhetadas") individualmente e cada equipe somente poderá dar no máximo 9 (nove) "palhetadas" coletivas, devendo até o 9º (nono) toque obrigatoriamente ser um chute ou arremesso ao gol, caso não ocorra, no local aonde o "dadinho" parar, será efetuada uma cobrança de falta indireta.[7]

Foi assinada no dia 10 de dezembro de 2011, na sede da Federação Paulista de Futebol de Mesa, a oficialização da modalidade Dadinho. A modalidade foi aprovada por unanimidade pela Coordenação de Regras Experimentais da Confederação Brasileira de Futebol de Mesa (CBFM), pelas 3 regras já oficiais (Bola 12 toques, Bola 3 toques e Disco 1 toque), chancelada pelo presidente da CBFM, Sr. José Jorge Farah Neto, e passou a ser considerada oficial a partir do dia 01/01/2012.[8]

Atletas Campeões do Campeonato Brasileiro da modalidade Dadinho:

ANO LOCAL CAMPEÃO
2008 [9] Bandeira do Distrito Federal (Brasil).svg Brasília Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Alexandre Lage (Esporte Clube Maxwell)
2009 [10] Bandeira do Paraná.svg Curitiba Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Daniel Marques (AABB-Tijuca)
2010 [11] Bandeira de Santa Catarina.svg Itajaí Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Daniel Marques (AABB-Tijuca)
2011 [12] Bandeira do Distrito Federal (Brasil).svg Brasília Bandeira do Paraná.svg Almo de Paula (Clube Curitibano)
2012 [13] Bandeira do Paraná.svg Curitiba Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Régis Martins (America Football Club)
2013 [14] Bandeira de Mato Grosso do Sul.svg Campo Grande Bandeira de Minas Gerais.svg Alexandre Lage (Tupi Football Club)
2014 [15] Bandeira do Paraná.svg Curitiba Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Allan Carvalho (Clube de Regatas do Flamengo)

Atletas Campeões da Copa do Brasil da modalidade Dadinho:

ANO LOCAL CAMPEÃO
2011 [16] Bandeira do Paraná.svg Curitiba Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Brayner Wertmuller (Club de Regatas Vasco da Gama)
2012 [17] Bandeira de Santa Catarina.svg Itajaí Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Allan Carvalho (Clube de Regatas do Flamengo)
2013 [18] Bandeira de Minas Gerais.svg Juiz de Fora Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Victor Praça (America Football Club)
2014 [19] Bandeira do Distrito Federal (Brasil).svg Brasília Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Brayner Wertmuller (Clube de Regatas do Flamengo)

Clubes Campeões Brasileiros da modalidade Dadinho: [20]

ANO LOCAL CAMPEÃO
2009 [21] Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg America Football Club
2010 [22] Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Esporte Clube Maxwell
2011 [23] Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg River Futebol Clube
2012 [24] Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Clube de Regatas do Flamengo
2013 [25] Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Clube de Regatas do Flamengo
2014 [26] Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Tijuca Tênis Clube
2015 [27] Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Clube de Regatas do Flamengo

Exterior[editar | editar código-fonte]

O Futebol de Mesa, tal como ele é jogado no Brasil e suas variações, é praticado em diferentes países, entre eles, Argentina[28] , Uruguai[29] , Chile, Espanha[30] [31] [32] , Romênia[33] , Hungria[34] , República Tcheca[35] , Sérvia, Croácia, Suiça, Russia, Ucrânia e Japão[36] .

Modalidade Sectorball[editar | editar código-fonte]

O Sectorball[37] é um esporte praticado notadamente no leste da Europa, com muitos pontos em comum com o Futebol de Mesa praticado no Brasil. Já foram disputados cinco campeonatos mundiais de Sectorball, sendo o último realizado na Hungria no ano de 2009 pela Federação Internacional de Sectorball.
Países Campeões dos Torneios dos quais o Brasil participou:

ANO LOCAL 1° COLOCADO 2° COLOCADO 3° COLOCADO
2007 Flag of Hungary.svg Hungria Flag of Hungary.svg Hungria Flag of Romania.svg Romênia Flag of Serbia.svg Sérvia
2009 Flag of Hungary.svg Hungria Flag of Hungary.svg Hungria Flag of Romania.svg Romênia Flag of Serbia.svg Sérvia
2012 Flag of Brazil.svg Rio de Janeiro Flag of Hungary.svg Hungria Flag of Brazil.svg Brasil Flag of Serbia.svg Sérvia


Atletas Campeões Mundiais dos Torneios dos quais o Brasil participou:

ANO LOCAL 1° COLOCADO 2° COLOCADO 3° COLOCADO
2007 Flag of Hungary.svg Hungria Flag of Romania.svg Pákai György Flag of Hungary.svg Seremet Szilárd Flag of Hungary.svg Fülöp Elemér
2009 [38] Flag of Hungary.svg Hungria Flag of Hungary.svg Seremet Szilárd Flag of Hungary.svg Fülöp Elemér Flag of Romania.svg István Mártonfi
2012 [39] Flag of Brazil.svg Rio de Janeiro Flag of Hungary.svg Szendrey Tibor Flag of Romania.svg István Mártonfi Flag of Hungary.svg Szatmári Tamás


A Confederação Brasileira de Futebol de Mesa (CBFM) introduziu oficialmente o Sectorball no Brasil em 2010, através da Federação de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro (FEFUMERJ) e a partir de 2011 começou a ser realizado o Campeonato Brasileiro de Sectorball.

Atletas Campeões Brasileiros da modalidade Sectorball

ANO LOCAL INDIVIDUAL DUPLAS CLUBE
2011[40] Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Robson Marfa (CRVG) Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Robson Marfa/Marcelo Lages (CRVG) Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Vasco da Gama
2012[41] Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Marcelo Lages (CRVG) Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Igor/Marcelo Lages (CRVG) Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Vasco da Gama
2013[42] Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Marcelo Lages (CRVG) Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Robson Marfa/Weber Gomes (CRVG) Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Vasco da Gama
2014[43] Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Rio de Janeiro Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Weber Gomes (CRVG) Bandeira da Paraíba.svg Hélio Gomes (GP) / Bandeira do estado de São Paulo.svg Renato Pinheiro (SAVMZ) Bandeira do estado do Rio de Janeiro.svg Vasco da Gama


A coordenação e implantação da modalidade Sectorball no Brasil foi entregue, pela CBFM e FEFUMERJ, a Marcelo Lages, atleta do CR Vasco da Gama, ao nível nacional, e a Marcelo Coutinho, atleta do Bangu AC, ao nível estadual. Como modalidade já oficialmente adotada pela entidade, dentro da CBFM, que participou dos dois últimos Campeonatos Mundiais, o Sectorball possui hoje o mesmo status que as quatro modalidades tradicionais e oficiais brasileiras (Disco 1 Toque, Bola 3 Toques, Bola 12 Toques e Dadinho 9x3).

Construindo uma mesa[editar | editar código-fonte]

29 de julho de 2008

=== Material necessário ===

  • 1 garrafa de 2 litros (refrigerante, por exemplo);
  • 1 bisnaga de corante Xadrez;
  • cola branca para madeira;
  • 1 caneta de tinta permanente preta;
  • 1 rolo para pintura de espuma;
  • 1 cuba para pintura;
  • 1 rolo de fita crepe para pintura;
  • 1 chapa de madeira aglomerada de 15mm nas dimensões finais do campo;
  • 1 folha grande de EVA de 1mm;
  • 1 fita adesiva dupla face;
  • 1 cantoneira de alumínio de 1,5 x 3cm;
  • 40 parafusos de 1cm (para aglomerado);

Obs. 1: A cor do corante Xadrez é ao gosto do freguês. Normalmente usamos o verde, por razões óbvias, mas já fiz uma mesa vermelha, que agradou e já vi uma azul muito bonita!

Obs. 2: Uso caneta preta para a marcação, porque dá maior destaque com qualquer cor de tinta. Já procurei uma caneta branca, mas não encontrei nenhuma que prestasse. Me indicaram a Compactor Maxx Metalic, mas nunca testei.

Obs. 3: A fita crepe deve ser fita para pintura, que não gruda muito. Caso contrário você poderá retirar a tinta, ou até mesmo uma lasca do aglomerado ao retirá-la. Você acha nas lojas de tintas.

Obs. 4: A madeira ideal para as regras 3 toques, 12 toques, dadinho e pastilha é o aglomerado. Aqui em Brasília, uma chapa nova, com 1,83m x 2,70m custa em torno de R$85,00. Uma boa opção é comprar a “capa de aglomerado”. As capas são chapas que vem envolvendo as pilhas de chapas de MDF. Normalmente estão sujas de um lado e limpas do outro. É preciso escolher, na madeireira. Aqui em Brasília uma chapa sai por R$30,00. Como o aglomerado está ficando escasso no mercado, muita gente está usando o MDF. O inconveniente é que o MDF é bem mais caro e bem mais pesado que o aglomerado. Além disso, já testei esse processo de pintura com MDF e não ficou bom. Não sei se pelo processo em si ou se pelo fato de a chapa que usei já estar usada e, conseqüentemente, com gordura acumulada pelas diversas partidas de futebol de mesa já realizadas ;-)

Obs. 5: Faço as bordas do campo com cantoneira de alumínio, porque foi a maneira que encontrei. Podem ser feitas também com madeira com com a “fita” de alumínio, como usadas nas mesas oficiais. A cantoneira é a que dá mais trabalho, mas utilizei porque não tenho espaço ideal para manter a chapa perfeitamente nivelada para prender a fita de alumínio.

Preparando a tinta[editar | editar código-fonte]

Na garrafa de 2 litros, jogue 2 dedos de cola branca, depois despeje o conteúdo de uma bisnaga de corante Xadrez na cor desejada para o campo e complete com água. Misture bem!

Preparando a tábua[editar | editar código-fonte]

Corte a chapa de aglomerado nas dimensões finais do campo. As medidas padrão encontradas por aí são 183 x 122cm para as oficiais, 150 x 100cm para as médias e 120 x 80cm para as pequenas.

Para arredondar os cantos, use um disco com 16cm de diâmetro aproximadamente e trace os quartos de circunferência nas quintas da chapa. Faço um corte aproximado com serra tico-tico e depois faço o acabamento final com uma lixadeira de mão.

Limpe a superfície da tábua com um pano levemente umedecido. NUNCA lixe a tábua, nem antes, nem depois da pintura.

Pintando a mesa[editar | editar código-fonte]

Primeiramente trace todas as marcações do campo com um lápis. Isso é feito antes para evitar sujar ou arranhar a pintura depois de feita, além de permitir correções em caso de erro. Depois da pintura, as marcas ainda serão perfeitamente visíveis para se fazer o traçado definitivo. Fiz um gabarito em acrílico para mim, para fazer as marcações das áreas e dos círculos, mas também é possível marcar tudo com régua e esquadro. Os círculos você pode traçar com compasso que aceite adaptar a caneta ou arranjando um prato no diâmetro desejado. As medidas oficiais podem ser encontradas nas regras oficiais das diversas modalidades. Sugiro uma olhada na página de regras do site Futebol de Mesa News.

As medidas utilizadas para as modalidades 12 toques (paulista), dadinho e pastilha (são as mesmas) são as seguintes:

Largura da mesa 124cm
Comprimento da mesa 184cm
Grande área 30 x 60cm
Pequena área 11 x 30cm
Círculo central 16cm (raio)
Meia lua 16cm (raio com centro na marca penal)
Quarto de círculo de escanteio 3cm (raio)
Marca penal 20,5cm (distância ao gol)
Pista lateral 8cm
Pista de fundo 10cm

Depois de feitas as marcações, apague com borracha qualquer marca auxiliar que tenha sido feita para auxiliar no traçado.



Agora vamos à pintura. Despeje um pouco da tinta preparada na cuba para pintura e molhe o rolo. Esprema bem para tirar todo o excesso de tinta. Agora passe o rolo sobre a superfície da madeira. Minha sugestão é que passe o rolo sempre na mesma direção em que serão feitas as faixas do campo, se for o caso. Isso, porque é muito difícil que a pintura fique uniforme. Principalmente no início, é comum ficarem listras com cores em tonalidades diferentes. As faixas do campo ajudam a disfarçar as manchas. A pintura também pode ser feita com pistola, o que daria um acabamento mais perfeito, mas nunca tentei.

Aplique 2 demãos de tinta no campo inteiro. Depois de secar bem (é rápido, dependendo da umidade do ar), delimite com fita crepe as faixas que deverão ficar mais escuras e passe mais 2 demãos sobre elas. Isso é o suficiente para as faixas, não sendo necessária a preparação de tonalidades diferentes de tinta.᧴

Não exagere na quantidade de tinta. Quanto menos demãos, melhor ficará o deslize da mesa.

Se quiser fazer as pistas externas ao campo (laterais e fundos) de cor diferente, antes de pintar, delimite estas áreas com fita crepe, e pinte primeiro essas pistas. Duas demãos são suficientes. Depois delimite ao contrário, o campo de jogo e proceda com a pintura como descrita acima. Eu, particularmente, gosto muito do visual com as pistas laterais em outra cor.

Depois que a tinta seca, a superfície fica áspera, como deve ser o campo para as modalidades 12 toques, dadinho e pastilha. Apesar do que podemos intuir no início, os botões deslizam muito bem assim. A mesa não deve ser lixada nem antes nem depois de pintada. O único tratamento a ser feito depois é limpar com jornal ou papel toalha secos. NADA DE CERA.

Agora proceda à marcação definitiva da mesa, com a caneta de tinta permanente, usando como guias as marcações feitas anteriormente a lápis.

Fixando a lateral[editar | editar código-fonte]

A parte mais chata da construção é a fixação das bordas de alumínio. Primeiramente é preciso preparar as cantoneiras. Calcule o comprimento necessário para uma tira que vá de trás de um gol até o outro. Você vai precisar de dois pedaços com esse tamanho. Depois é preciso marcar os trechos que ficarão curvos, nos cantos da mesa. Nesses trechos, você precisará serrar fora a parte que fica para baixo, de modo a sobrar somente a lateral. É isso que permitirá fazer sem mais esforço a curvatura da cantoneira. Em seguida deve-se fazer os furos para os parafusos, na parte da cantoneira com 1,5cm. A de 3cm será a lateral. Sugiro uma distância de 15cm entre cada furo.

Segue a tabela que utilizo:

Campo Comprimento Corte 1 Corte 2 Parafusos
183 x 122cm 298cm 52 a 66cm 232 a 246cm 40
150 x 100cm 243cm 41 a 55cm 188 a 202cm 30
120 x 80cm 193cm 31 a 45cm 148 a 162cm 22


Depois de fixada a lateral, forro por dentro com EVA, colado com fita dupla face. Aliás, a fita dupla face é pau pra toda obra ;-) Primeiro, cole uma tira de fita dupla face (quanto mais larga, menos trabalho) na folha de EVA. Depois, com uma régua de aço e um estilete bem afiado, corte tiras com aproximadamente 1cm de largura. Agora basta tirar a proteção da fita e colar as tiras na parte interna da lateral do campo. Ao colar, mantenha sempre a tira bem encostada na superfície do campo, porque se ficar afastada, o botão baterá no alumínio por baixo e sua proteção não terá serventia.

Limpeza e manutenção[editar | editar código-fonte]

Pronto, sua novíssima e profissional mesa está pronta para os clássicos. Antes de cada jogo, passe uma folha de papel toalha, jornal ou perfex, sempre secos e limpos. Nunca use cera, talco ou lixas no seu campo. Ele é bom assim, áspero. No início ainda soltará um pouco de pó da tinta, mas depois de alguns jogos estará no ponto. Para quardar a mesa, o ideal é que seja encostada em uma parede plana, deitada sobre seu lado mais comprido, com toda a lateral encostada igualmente sobre a parede, para evitar enpenos. Sempre deixa a parte pintada virada para fora, para não forçar a lateral do campo. É

aconselhável comprar uma capa de napa para protegê-lo da poeira.

Notas e referências

  1. Futebol de Botão: uma curtição brasileira - Fonte: Revista Placar - Edição Janeiro 1987
  2. Futebol de Mesa tenta sobreviver a "era do videogame" - Fonte: Uol Esportes publicado em 19/12/2001
  3. Museu do futebol recebe torneio de futebol de botão - Fonte: Revista Veja SP publicado em 16/02/2011
  4. Campeonato Brasileiro de Clubes | Petrópolis/RJ - Fonte: RJ InterTV exibido em 16/11/2011
  5. - Fonte: Site da Federação de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - MUNDIAL DE BOLA 12 TOQUES - RESENHA
  6. Campeonato Brasileiro Individual | Brasília/DF - Fonte: Tá na Área (SporTV) exibido em 15/11/2011
  7. - REVISÃO DA REGRA DA MODALIDADE DADINHO (2009)
  8. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - A MODALIDADE DADINHO É OFICIAL
  9. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - ALEXANDRE LAGE É O CAMPEÃO INTERESTADUAL 2008 - DADINHO 9X3
  10. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - 1º CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL DE MESA DA MODALIDADE DADINHO - RESULTADOS
  11. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - II BRASILEIRO INDIVIDUAL DE DADINHO - DANIEL MARQUES É BI-CAMPEÃO BRASILEIRO
  12. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - ALMO DE PAULA (CLUBE CURITIBANO) É O CAMPEÃO BRASILEIRO INDIVIDUAL 2011
  13. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - 4º CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL DE MESA DA MODALIDADE DADINHO - RÉGIS MARTINS (AFC) É O CAMPEÃO BRASILEIRO INDIVIDUAL 2012
  14. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - DADINHO - ALEX LAGE GANHA SEU SEGUNDO TÍTULO DE CAMPEÃO BRASILEIRO INDIVIDUAL
  15. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - DADINHO - ALLAN (C.R. FLAMENGO) CAMPEÃO BRASILEIRO 2014
  16. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - BRAYNER (CRVG) E THIAGO (CRVG); CAMPEÃO E VICE DA 1ª COPA DO BRASIL DE DADINHO
  17. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - ALLAN, DO FLAMENGO, É O CAMPEÃO DO COPA DO BRASIL 2012
  18. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - DADINHO - VICTOR PRAÇA É O CAMPEÃO DA COPA DO BRASIL 2013
  19. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - BRAYNER (C.R. FLAMENGO) BICAMPEÃO DA COPA DO BRASIL
  20. - Fonte: Site da Federeção Paulista de Futebol de Mesa - Lista de Clubes Campeões Brasileiros (Dadinho)
  21. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - AMERICA-RJ VENCE O I CAMPEONATO BRASILEIRO DE EQUIPES - DADINHO 9X3
  22. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - EC MAXWELL É O CAMPEÃO DO I CAMPEONATO BRASILEIRO DE FUTEBOL DE MESA - MODALIDADE DADINHO
  23. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - RIVER FC É O CAMPEÁO BRASILEIRO DE CLUBES
  24. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - O FLAMENGO É CAMPEÃO BRASILEIRO INTERCLUBES 2012
  25. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - DADINHO - FLAMENGO BICAMPEÃO BRASILEIRO POR EQUIPES
  26. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - DADINHO - TIJUCA T.C. CAMPEÃO BRASILEIRO INTERCLUBES 2014
  27. - Fonte: Site da Federeção de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - DADINHO - FLAMENGO CAMPEÃO BRASILEIRO INTERCLUBES 2015
  28. - Fonte: Diario La Nación
  29. - Fonte: FÚTBOL DE MESA DE BOTONES SALTO, URUGUAY
  30. - Fonte: Asociación Valenciana Fútbol Botones
  31. - Fonte: Asociación Jerezana Fútbol Botones
  32. - Fonte: Associació Catalana de Futbol Botons
  33. - Fonte: Site Romeno sobre Sectorball
  34. - Fonte: Site da Federação Húngara de Sectorball
  35. - Fonte: Site Tcheco sobre Futebol de Botão
  36. - Fonte: Site Japonês sobre Futebol de Botão (Modalidade Bola 12 Toques)
  37. - Fonte: Site da Federação de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - SECTORBALL, ESCLARECENDO DÚVIDAS
  38. - Fonte: Site da Federação de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro
  39. - Fonte: Site da Federação de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - O BRASIL É VICE-CAMPEÃO MUNDIAL DE SECTORBALL POR EQUIPES – A HUNGRIA É A CAMPEÃ
  40. - Fonte: Site da Federação de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - 1° CAMPEONATO BRASILEIRO DE SECTORBALL
  41. - Fonte: Site da Confederação Brasileira de Futebol de Mesa - RESENHA DO 2° CAMPEONATO BRASILEIRO DE SECTORBALL
  42. - Fonte: Site da Federação de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - VASCO DA GAMA VENCE AS COMPETIÇÕES DE DUPLAS E INTERCLUBES VASCO DA GAMA VENCE AS COMPETIÇÕES DE DUPLAS E INTERCLUBES DO CAMPEONATO BRASILEIRO
  43. - Fonte: Site da Federação de Futebol de Mesa do Estado do Rio de Janeiro - IV CAMPEONATO BRASILEIRO DE SECTORBALL – RESENHA

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]