Future Shock

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Future Shock
Autor (es) Alvin Toffler
Idioma Inglês
País Estados Unidos da América
Género Futurologia
Editora Bantam Books
Lançamento 1970
Edição brasileira
ISBN ISBN 0-394-42586-3

Future Shock é um livro escrito pelo sociólogo e futurólogo Alvin Toffler, em 1970. O livro surgiu de um artigo chamado "O Futuro como Modo de Vida" na revista Horizon, edição de Verão de 1965. O livro já vendeu mais de 6 milhões de cópias e tem sido amplamente traduzido.

Future Shock é também um termo para um determinado estado psicológico dos indivíduos e das sociedades inteiras, introduzido por Toffler em seu livro. A menor definição dada por Toffler para "Future Shock" é as "demais mudanças em um período muito curto de tempo".

Um documentário baseado no livro foi lançado em 1972, com Orson Welles como narrador.

Termo[editar | editar código-fonte]

Toffler argumenta que a sociedade está passando por uma enorme mudança estrutural, uma revolução de uma sociedade industrial para uma "sociedade super-industrial". Esta alteração, o ritmo acelerado da mudança tecnológica e social, irá sobrecarregar as pessoas, deixando-os desligados e sofrendo de "stress e desorientação" - futuro chocado. Toffler afirmou que a maioria dos problemas sociais eram sintomas do choque do futuro. Em sua discussão sobre os componentes de tal choque, ele também inventou a sobrecarga informativa.

Sua análise desse fenômeno é continuada em suas publicações posteriores, em especial A Terceira Onda (The Third Wave) e Powershift.

Cultura popular[editar | editar código-fonte]

A canção de Curtis Mayfield intitulada "Future Shock", no álbum "Back to the World" teve o seu nome a partir deste livro, e por sua vez foi regravada por Herbie Hancock como a faixa-título para a sua gravação Future Shock de 1983. Esse álbum foi considerado inovador para a fusão de jazz e funk com música eletrônica. Darren Hayes repete a frase muitas vezes em sua canção "Me Myself And I". Pelo menos mais dois lançamentos foram nomeados relacionados ao livro: um álbum de 1981 por Gillan e um single de 1988 da banda Stratovarius.

Outros trabalhos, tendo o título do livro como referencia incluem: o episódio de Futurama chamado "Future Stock"; um segmento do The Daily Show, estrelado por Samantha Bee; e um baralho pré-construído do jogo Magic: The Gathering.

A revista em quadrinho do Reino Unido chamada 2000 AD publicou uma série de contos chamado Choques Futuros com base neste conceito, alguns dos quais foram escritos por Alan Moore.

Veja mais[editar | editar código-fonte]