Gália (São Paulo)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Gália
Bandeira de Gália
Brasão de Gália
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 14 de abril
Fundação 14 de abril de 1928
Gentílico galiense
Prefeito(a) Newton Freire
(2013–2016)
Localização
Localização de Gália
Localização de Gália em São Paulo
Gália está localizado em: Brasil
Gália
Localização de Gália no Brasil
22° 17' 27" S 49° 33' 10" O22° 17' 27" S 49° 33' 10" O
Unidade federativa  São Paulo
Mesorregião Marília IBGE/2008[1]
Microrregião Marília IBGE/2008[1]
Distância até a capital 401 km
Características geográficas
Área 355,794 km² [2]
População 7 011 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 19,71 hab./km²
Altitude 561 m
Clima Subtropical úmido Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,745 alto PNUD/2000[4]
PIB R$ 64 879,119 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 9 606,03 IBGE/2008[5]
Página oficial
Prefeitura www.galia.sp.gov.br

Gália é um município brasileiro do estado de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

Fundada em 14 de abril de 1928 (87 anos), o povoamento da região onde hoje o município se localiza teve início em 1906, quando o primeiro engenho de cana-de-açúcar foi instalado por Bernardo José dos Santos e sua família, precisamente nas terras localizadas entre as nascentes do rio Feio e Peixe. Logo em seguida, os coronéis Galdino Ribeiro e Eduardo de Souza Porto, entre outros, iniciaram um povoado às margens do ribeirão das Antas, dividindo os primeiros lotes e fazendo o traçado das ruas. Em abril de 1917 era fundado o povoado de São José das Antas. Com a chegada da estrada de ferro pertencente à Companhia Paulista de Estradas de Ferro, foi instalada uma estação denominada Gália, em homenagem ao antigo nome do território francês. Em setembro de 1926, passou a ser distrito do município de Duartina com a denominação de Anta. Em 20 de Dezembro de 1927, foi desmembrada de Duartina, passando a se chamar Gália, e em 14 de Abril de 1928 foi oficialmente constituído Distrito Sede. Além do distrito homônimo, o município de Gália era composto também pelo distrito de Fernão (anteriormente chamado de Fernão Dias) até 1995, quando este se desmembrou do município de Gália passando a constituir Distrito Sede do recém emancipado município de Fernão.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Localiza-se a uma latitude 22º17'29" sul e a uma longitude 49º33'10" oeste, estando a uma altitude de 561 metros. Sua população estimada em 2010 era de 7.011 habitantes. O relevo é suave ondulado com solo arenoso. Seu clima é subtropical úmido com temperatura média de 21°C. A vegetação é predominantemente típica de florestas subtropicais com grandes matas e pequenas áreas de vegetação arbustiva, isto é, clareiras. Faz divisa ao norte com Presidente Alves e Avaí, ao sul com Alvinlândia e Ubirajara, a leste com Duartina, Lucianópolis e Fernão, e a oeste com Garça.

Possui uma área de 355,794 km².

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

O rio das Antas é seu principal manancial cortando o município no sentido oeste-sudeste. Pertence à Bacia do Paranapanema.

Rodovias[editar | editar código-fonte]

Meio Ambiente[editar | editar código-fonte]

A Estação Ecológica de Caetetus é uma Unidade de Conservação sob a administração do Governo do Estado de São Paulo, através da Secretaria do Ambiente-Instituto Florestal. Localizada entre os Municípios de Gália e Alvinlândia, cuja criação se deu através do Decreto 26.718 de 02/06/1987, é considerada a segunda maior reserva do Estado de São Paulo.

A unidade conta com uma área total de 2.178,86 hectares de Floresta Estacional Semidecidual (Mata Atlântica de Interior) protegidos por lei, de acordo com o SNUC – Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (Lei 9.985/00). Por isso, o acesso à área é permitido apenas com objetivos de educação ambiental e pesquisas científicas, sempre com visitas monitoradas e previamente autorizadas pela administração da unidade.

A Estação Caetetus protege o ecossistema da mata atlântica, abrigando espécies da fauna como o mico-leão–preto, a onça parda, o cateto, o queixada, dentre outros. A biodiversidade existente é ampla: são encontradas centenas de espécies de passeriformes, dentre eles sabiás, azulões, canários da terra, maritacas, papagaios, tucanos, aves de rapina, gaviões, corujas, além de mamíferos como a anta, capivara, pacas, cutias, animais carnívoros como a onça parda, cachorro e gato do mato, e dentre os primatas, o mico-leão-de-cara-preta, saguis, entre tantos outros de inestimável valor para a sustentabilidade.

Na floresta da unidade, encontram-se árvores com mais de 30 metros de altura, de espécies como o jequitibá-branco, a cabreúva, a peroba, o jatobá, o guaritá, o cedro, o pau-marfim etc. Dentro da Estação, existem algumas quedas d’águas, mas, para não colocar em risco o ecossistema, que nessas áreas é muito frágil, esses locais não são acessíveis aos visitantes.

O local possui infra-estrutura muito agradável para se conhecer, dispondo de museu, local para exposições e palestras, trilhas no interior da mata, cachoeiras e lagos naturais e contato direto com a natureza e os animais no seu estado selvagem, além de hospedaria que acomoda grupos de estudantes e pesquisadores.

Religião[editar | editar código-fonte]

O município pertence à Diocese de Bauru, tendo como bispo Dom Frei Caetano Ferrari.

Economia[editar | editar código-fonte]

O município destaca-se pela produção de seda pura.

Galienses notáveis[editar | editar código-fonte]

Benedito Ruy Barbosa - autor de telenovelas, escritor e dramaturgo;

Adriano Garib - ator

Juliano Pinto - paratleta que usou o exoesqueleto no simbólico chute na abertura da copa do mundo de futebol no Brasil.

Referências

  1. a b Divisão Territorial do Brasil Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (1 de julho de 2008). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  2. IBGE (10 out. 2002). Área territorial oficial Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Visitado em 5 dez. 2010.
  3. Censo Populacional 2010 Censo Populacional 2010 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (29 de novembro de 2010). Visitado em 11 de dezembro de 2010.
  4. Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil Atlas do Desenvolvimento Humano Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (2000). Visitado em 11 de outubro de 2008.
  5. a b Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Visitado em 11 dez. 2010.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado de São Paulo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.