Gânglio estrelado

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Nervo: Ganglio estrelado
Gray845.png
Plano da medula simpática direita e nervos esplâncnicos. (O gânglio estrelado não está visível, mas sua região é mostrada)
Latim ganglion cervicothoracicum, ganglion stellatum
Ramo do gânglio cervical inferior, primeiro gânglio torácico
MeSH Stellate+ganglion

O gânglio estrelado (ou gânglio cervicotorácico) é um gânglio simpático formado na maioria das vezes pela fusão do gânglio cervical inferior e do primeiro gânglio torácico. O gânglio estrelado é localizado no nível de C7 (sétima vértebra cervical), anterior ao processo transverso de C7, posterior ao colo da primeira costela e logo abaixo da artéria subclávia.

Significância clínica[editar | editar código-fonte]

Esse gânglio possui significância clínica já que ele pode ser cortado para diminuir os sintomas exibidos pelo fenômeno de Raynaud e hiperidrose (suor excessivo) das mãos. A injeção de anestésicos locais próximo ao gânglio estrelado pode às vezes diminuir os sintomas de dor mediada simpateticamente como a síndrome do complexo regional dolorosa tipo I (distrofia simpático-reflexa).

O bloqueio do gânglio estrelado também mostra grande potencial como meio de reduzir o número de calorões e despertares à noite sofridos por sobreviventes de câncer de mama e mulheres que sofrem de menopausa.[1]

Algumas complicações associadas com o bloqueio do gânglio estrelado incluem síndrome de Horner, injeção intravenosa ou intra-arterial, disfagia, paralisia da corda vocal, espalhamento epidural de anestesia local e pneumotórax.

O agulhamento do gânglio estrelado com acupuntura é usado na medicina tradicional chinesa para diminuir os sintomas mediados simpaticamente.

O bloqueio do gânglio estrelado também tem sido explorado em cirurgia de bypass coronariana.[2]

Referências

  1. Lancet, 2008
  2. Yildirim V, Akay HT, Bingol H, et al.. (2007). "Pre-emptive stellate ganglion block increases the patency of radial artery grafts in coronary artery bypass surgery". Acta anaesthesiologica Scandinavica 51 (4): 434–40. DOI:10.1111/j.1399-6576.2006.01260.x. PMID 17378781.