Gésio Amadeu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gésio Amadeu
Nome completo Gesio Amadeu
Nascimento 14 de junho de 1947 (67 anos)
Santos Dumont, MG
Ocupação ator
IMDb: (inglês)

Gésio Amadeu (Conceição do Formoso, distrito de Santos Dumont, Minas Gerais, 14 de junho de 1947) é um ator brasileiro de teatro, televisão e cinema.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Começou sua carreira precocemente, aos 6 anos de idade, cantando em um coral de igreja. Completou a quarta série primária (hoje Ensino Básico) e aos 8 anos, foi morar com uma família de libaneses.[1]

Após cumprir o serviço militar, viajou para São Paulo. Tornou-se amigo de Bráulio Pedroso, o escritor que deu modernidade à telenovela brasileira, ao lançar "Beto Rockfeller" pela Televisão Tupi de São Paulo. Braulio foi quem iniciou Gésio Amadeu na carreira artística ano de 1969.[1]

Gésio ainda jovem, com apenas 22 anos de idade, levava a sério sua profissão. Entre seus 20 anos até seus 30 anos, Gésio passou por diversas redes de televisão. Inicialmente a TV Tupi, onde fez várias novelas. Fez: "Éramos Seis", "O Direito de Nascer", "Gaivotas"[2] . Depois da TV Tupi, ele foi para a TV Bandeirantes e fez: "O Todo Poderoso" e "Os Imigrantes"[3] . Na TV Cultura fez "Paiol Velho".[4]

Intercalou com teatro fazendo diversos peças. Uma delas foi "Eles não Usam Black-Tie", peça de cunho social escrita por Gianfrancesco Guarnieri[5] . Foi para a TV Globo onde fez em 1982 "Sol de Verão", de Manoel Carlos. Fez no SBT: "Meus Filhos, Minha Vida" e na TV Globo a primeira versão de "Sinhá Moça" no papel de Fulgêncio. Na TV Manchete fez: "A História de Ana Raio e Zé Trovão"; "Floradas na Serra"; "O Fantasma da Ópera". Voltou a Globo fazendo capítulos de "Você Decide" e as novelas "Renascer" e "A Viagem".

No ano 1995 foi para o SBT onde fez: "Sangue do Meu Sangue", "Os Ossos do Barão" e o seriado de muito sucesso: "Chiquititas", gravado inteiramente na Argentina. Em Chiquititas, Gésio ganhou muita projeção nacional[6] . A partir de 2000 fez: "Vidas Cruzadas", "Amor e Ódio", "Seus Olhos", "Vidas de Maria"[7] , "Essas Mulheres", e fez o personagem "Justo" na segunda versão de "Sinhá Moça".

Em 2007, Gésio esteve no seriado: "Sítio do Pica Pau Amarelo", em 2009, na novela "Paraíso" e 2011 na novela Araguaia[8] .

Atuou também como garoto-propaganda em alguns anúncios publicitários, entre eles, Supermercados Champion ("é preço, é perto, é campeão") e Parador (anos 80).

Atualmente, interpreta Alaor na novela Flor do Caribe.

Ele foi casado com Gabriela Rabelo e tem 3 filhos: Ana, Mário e Miriam, além de Rodrigo, seu enteado.[4]

Trabalhos na televisão[editar | editar código-fonte]

Trabalhos no cinema[editar | editar código-fonte]

Trabalhos no teatro[editar | editar código-fonte]

  • Os Negros
  • Pericles, O principe de tiro
  • Eu direi que é a vida tu dirás que é a morte
  • A sopa de pedra
  • Eles não usam Black Tie
  • Vamos colorir São Paulo
  • A Moreninha
  • Gaiola das Loucas
  • Macbeth
  • Jesus Cristo Super Star
  • Fogo na Terra
  • Memorias Postumas de Bras Cubas

Referências

  1. a b Entrevista concedida à Rádio FAAP em 2005
  2. Avelino A. Correia (Maria José Dupré). Maria José Dupré (resumo biográfico) in: Éramos Seis. 17ª ed. São Paulo: Ática, 1972.
  3. http://www.netsaber.com.br/biografias/ver_biografia_c_4460.html
  4. a b http://www.museudatv.com.br/biografias/Gesio%20Amadeu.htm
  5. MAGALDI, Sábato. Um palco brasileiro: o Arena em São Paulo. São Paulo: Brasiliense, 1984.
  6. http://superblogtvweb.blogspot.com/2011/01/novelas-de-sucesso-chiquititas-brasil.html
  7. http://www.asvidasdemaria.com.br/site/home.htm
  8. http://redeglobo.globo.com/novidades/novelas/noticia/2010/10/araguaia-max-lima-duarte-e-cirso-gesio-amadeu-discutem-dia-25.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]