GRC Arco-Íris Acadêmicos do Samba

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Emblem-scales.svg
A neutralidade desse artigo (ou seção) foi questionada, conforme razões apontadas na página de discussão. (desde setembro de 2012)
Justifique o uso dessa marca na página de discussão e tente torná-lo mais imparcial.
GRC Arco-Íris Acadêmicos do Samba
Fundação 27 de março de 1985 (29 anos)[1]
Escola-madrinha Mangueira
Cores

Verde

Rosa
Símbolo Arco-Íris[1]
Bairro Eloy Chaves
Presidente Claudinei Cecatti
Carnavalesco Sebastião Fernandes (Foguinho)
Intérprete oficial Cassiano, Rita
Diretor de carnaval Fernando T. Sodelli
Diretor de bateria Mestre Renan
Rainha da bateria Jaqueline Santos
Madrinha da bateria Ana Paula Carvalho
Musa da bateria Andressa
Princesa da bateria Carla Esmael
Mestre-sala e porta-bandeira 1º André e Giovanna 2º Jonatan e Marina 3º Lucas e Julia
Desfile de 2014
Enredo Cinco conquistas lá fora, Brasil a bola da vez agora!

Grêmio Recreativo Cultural Arco-Íris Acadêmicos do Samba é uma escola de samba de Jundiaí, no estado de São Paulo.

História[editar | editar código-fonte]

Era 27 de Março de 1985, numa tarde de domingo, quando alguns amigos que voltavam de uma partida de futebol, resolveram fazer uma parada no “bar do Caduco”, localizado em um bairro ainda isolado do centro da cidade de Jundiaí, denominado Eloy Chaves, encravado ao pé da serra do Japí. Foi ali que Beneciano Heleno Maxiliano, Mauro Salvador Arila, Irineu Guimarães, Almir Manarolo, Hermínio Caleffo Filho, Rodner Maggi, Norival Bianchi, Ricardo César Chiantini, Caio Vinicius Donatelli, Mizael Vivoni e Milton Santos envolvidos pelo ritmo de um pandeiro despretensioso, começaram a cantar músicas carnavalescas, sambas enredo consagrados, e a comentar o carnaval que havia terminado há pouco. Os amigos Mauro e Norival que já haviam participado de escolas de samba de Jundiaí, idealizaram naquele momento, criar um bloco carnavalesco local, pois eram ainda poucos os moradores e a diversão naquele bairro cercado de muito verde e em grande crescimento populacional, ainda era pouca.

Todos gostaram da proposta e teve início a escolha do nome e das cores para o bloco. Mauro que deu a ideia do bloco, não abriu mão das cores que deveriam ser as mesmas da Estação Primeira de Mangueira, sua escola preferida, ou seja o verde e o rosa. Já para batizar o bloco, a discussão foi mais acirrada, pois cada um tinha várias sugestões.

Foi quando após uma garoa o sol estava se pondo e formou-se no céu um grande arco-íris, que parecia ter inicio no pé da serra e vir terminar nas imediações do bairro. Foi quando Norival Bianchi apressou-se em dizer:

- “O batismo vem dos céus, está ali, este é o nome ARCO-IRIS,” - e todos concordaram imediatamente. Estava nascendo naquele momento uma das mais consagradas escolas de samba de Jundiaí – A Arco-Íris Acadêmicos do Samba.

De lá para cá, há muita história para ser contada, onde tantas pessoas de grande importância passaram por nossa agremiação, que teve como primeiro presidente o Sr. Mauro Ávila. Em tempos depois quem assumiu a presidência e muito se empenhou foi o Sr Herminio Calefo Filho, e posteriormente o Sr Fernando Tadeu Sodelli, foi quem esteve tomou a frente e com muita garra lutou por muitos anos, trabalhando muito em prol da consolidação da Escola, Outros presidentes e muitos colaboradores também deram sua contribuição para o desenvolvimento e a escalada vitoriosa, todos de muita valia para fazer a Arco-Íris ser o que é hoje. Atualmente o presidente é o sr Claudinei Cecatti, que já havia sido vice-presidente no segundo mandato da srª Maria Aparecida Miranda.

Nosso primeiro carnavalesco foi o sr. Mizael Vivoni também conhecido como “Foguinho”, e somente em 1991 quando houve a ascensão para o grupo especial, assumiu a função o carnavalesco Sebastião Fernandes, coincidentemente com a mesma alcunha - “Foguinho” - que era carnavalesco da GRES ÁGUIA DE OURO em São Paulo foi convidado pela diretoria da ARCO ÍRIS e desde então sempre teve uma participação ativa e brilhante à frente da escola.

Atualidade[editar | editar código-fonte]

Uma das maiores escolas de todos os carnavais jundiaienses, hoje instalada no Centro da cidade (Av. União dos Ferroviários, 1760 / Complexo Fepasa / Poupatempo), ganhou notoriedade após conquistar 12 títulos. Conhecida como campeoníssima do Carnaval Jundiaiense, é admirada por seu desfile requintado, com alegorias e fantasias de alto nível, destacando-se entre todas as agremiações da cidade, tanto pela impressão do público, como também pela mídia. Quando entra na avenida do Samba, a cidade para pra ver a Verde e Rosa passar e com louvor, faz um carnaval de primeiríssima qualidade.

Os ensaios da Arco Íris que acontecem aos Domingos as 19h, são os mais concorridos da cidade, recebendo visitantes de toda a região e que lotam a quadra nos seus ensaios. Cheio de vida, emoção e paixão verde e rosa, a quadra é ponto de encontro de sambistas apaixonados pelo carnaval em Jundiaí.

A Harmonia executa um belíssimo trabalho na quadra e na avenida. Destacando-se em evolução e harmonia,sempre levando a escola a um carnaval brilhante, organizado e apaixonante.

A Comissão de Frente é destaque, nota 10, inovando, criando e coreografando de forma impressionante e diferenciada. Alvo das melhores criticas por parte da mídia local e dos jurados.

A Bateria Nota 10 é sinônimo de inovação, garra e é muito tradicional na cidade. Hoje comandada pelo mestre Krica, que com destreza executa o melhor samba da região. A bateria verde e rosa, é abrilhantada com a presença da rainha Jaqueline Santos, da princesa Carla Ismael, e da madrinha Ana Paula Carvalho, que a frente da bateria há 5 anos, é considerada símbolo de samba no pé, com um dos sambas mais impressionantes de todos os tempos foi eleita diversas vezes, a melhor Rainha de Bateria do Carnaval da cidade.

Os casais de Mestre Sala e Porta Bandeira, são formados por André e Giovanna (1º casal), Jonathan e Marina (2º casal).A escola ainda conta com uma novidade o 3° casal (mirim) Lucas e Julia fazem parte da escola desde a infância, Hoje são aplaudidos em pé por onde passam, sinônimo de leveza, graça e fidelidade ao pavilhão e emocionam o grande público que frequenta os ensaios e o carnaval da cidade. Os casais são impressionantemente bem avaliados pela crítica, promessa de futuro promissor para a agremiação.

A ala de baianas é de longe, a mais requintada e com as fantasias mais bem elaboradas da cidade. A G.R.C. Arco Iris Academicos do Samba, que é apadrinhada pela Estação Primeira de Mangueira, traz a tecnologia do Carnaval carioca, motivo pelo qual a beleza da escola impressiona por onde passa. Os adereços e demais alegorias, também confeccionadas por artistas do carnaval carioca e paulistano, onde os belos carros alegóricos se tornam motivo de orgulho para a agremiação e para a cidade, pois embeleza o grupo especial do carnaval e nivela o carnaval jundiaiense como um dos melhores do Estado.

Em 2011, após um tetra campeonato consecutivo, foi derrotada por sua rival, a União da Vila Rio Branco.[2]

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Arco-Íris Acadêmicos do Samba
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Ref.
1988 Acesso Brasil, Casa Grande e Senzala Foguinho
1990 3º Lugar Especial Argoreli Fábrica de Ilusões Foguinho
1992

1993

1995

2º Lugar

2º Lugar

Campeã

Esp.

Esp.

Especial

O Dia de Todos os Dias

Brasilia da Fantasia

Morangou no Reino da Uva

Foguinho

Foguinho

Foguinho

1996

1997

Campeã

2º Lugar

Especial

Esp.

Sou a fonte com a cor e o sabor da emoção

Quando Setembro Vier em Fevereiro na 9 de Julho

Foguinho

Foguinho

1998 Campeã Especial Vira Virou, o Polytheama voltou Foguinho
1999 Campeã Especial Doce Bárbaro Foguinho
2000

2001

2002

Campeã

2º Lugar

2º Lugar

Especial

Esp.

Esp.

Feliz Aniversário Brasil

Meu Carnaval é Um Negócio da China

No Universo Zodiacal, Arco Íris é o Signo do Carnaval

Foguinho

Foguinho

Foguinho

2003 2º Lugar Especial Na Feira da Alegria Sou o Mercador da Folia Foguinho [3]
2004 Campeã Especial Assim na Terra como no Céu Foguinho
2005 Campeã Especial H2 Ouro, Água Mineral maior tesouro nacional Foguinho
2006 Campeã Especial 20 anos dourados, sete temas consagrados e um mito lembrado Fernando Sodelli
2007 Campeã Especial A sexta maravilha da terra de Petronilha Foguinho
2008 Campeã Especial Sou a Morada do Samba e Não tenho onde Morar Foguinho
2009 Campeã Especial 100 páginas viradas... Sou o presente do passado da futura geração. Foguinho
2010 Campeã Especial Na corte da alegria a mulher é majestade, coroada com êxito no Salgueiro, Arco-Íris e Mocidade! Foguinho
2011 2º Lugar Especial Das ondas do radio, as paginas do jornal, Tobias Muzaiel o mestre imortal! Foguinho [2]
2012 2º Lugar Especial Sou mensageiro da alegria, usina de emoção. Tenho duas faces, mas um só coração! Foguinho e Sodelli [1] [4]
2013 Campeã Especial Sou o Reino Encantado de um Sonho Acordado Foguinho [5] [6]
2014 Bi Campeã Especial Cinco conquistas lá fora, Brasil a bola da vez agora! Foguinho [7]

Referências

  1. a b c Jundiaí: Ordem de desfiles e fichas técnicas das Escolas Rota do Samba (13 de fevereiro de 2012). Visitado em 8 de maio de 2013.
  2. a b Carnaval – União da Vila Rio Branco é a campeã 2011 Prefeitura de Junidiaí (9 de março de 2011). Visitado em 11 de janeiro de 2012.
  3. União vence apuração tumultuada do Carnaval de Jundiaí (SP) Folha de S.Paulo (6 de março de 2003). Visitado em 8 de maio de 2013.
  4. Estreante Leões da Hortolândia é campeã do Carnaval 2012 G1 (20 de fevereiro de 2012). Visitado em 8 de maio de 2013.
  5. Aproximadamente 15 mil prestigiam primeiro dia Prefeitura de Jundiaí (11 de fevereiro de 2013). Visitado em 8 de maio de 2013.
  6. Arco Íris é campeã do carnaval de Jundiaí, SP, pela 13ª vez G1 (11 de fevereiro de 2013). Visitado em 8 de maio de 2013.
  7. Rota do Samba (21/11/2013). Arco-Íris Enredo 2014. Visitado em 09/12/2013.