GRES Em Cima da Hora

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Em Cima da Hora
Símbolo da escola.jpg
Fundação 15 de novembro de 1960 (53 anos)[1]
Escola-madrinha Portela[2]
Cores

Azul

Branco
Símbolo Um relógio e uma lira
Bairro Cavalcante
Presidente Heitor Fernandes
Carnavalesco Marco Antônio [3]
Intérprete oficial Antônio Carlos
Arthur Franco
Diretor de carnaval Julio César (Julião)[4]
Diretor de harmonia Reginaldo de Souza Cruz (Tikinho)
Diretor de bateria Mestre Luciano
Rainha da bateria Dominiky Mello
Madrinha da bateria Yani de Simone
Mestre-sala e porta-bandeira Luiz Augusto e Naninha Fidelis
Coreógrafo Jardel Augusto Lemos
Desfile de 2015
Enredo No Coração da Cidade: Uma História das Mil e Uma Noites - O Rio das Arábias
Horário 13 de Fevereiro
Entre 21:45 e 22:55

Grêmio Recreativo Escola de Samba Em Cima da Hora é uma escola de samba da cidade do Rio de Janeiro fundada a 15 de novembro de 1959.

Sediada no bairro de Cavalcante, ficou famosa pela apresentação do samba Os sertões no carnaval de 1976.

À escola pertenceu o célebre compositor Baianinho, eleito Cidadão do Samba. Entre outras figuras importantes ligadas à escola, pode-se citar também os sambistas Carioca e João Severino, o dançarino Carlinhos de Jesus, o jornalista Sérgio Cabral e o antigo presidente da AESCRJ, Ney Roriz, que foi seu carnavalesco e presidente de honra.

História[editar | editar código-fonte]

Os registros do Carnaval que a primeira agremiação a utilizar o nome "Em Cima da Hora" foi uma entidade do bairro do Catumbi, que teria sido um bloco carnavalesco, mas que participou do concurso de escolas de samba nos Carnavais de 1933[5] e 1934[6]

Em novembro de 1960, numa reunião entre sambistas do bairro de Cavalcante que pretendiam fundar uma nova escola de samba, conta a historiografia do Carnaval carioca que após muitas discussões, mas sem se chegar a nenhuma conclusão sobre o nome da nova, um dos presentes, de repente, olhou para o seu relógio e verificou que já eram três horas da manhã, exclamando em seguida "Estou em cima da hora de chegar em casa".[7] Achando a situação engraçada, os demais presentes concordaram que o nome da escola de samba deveria ser "Em Cima da Hora", uma clara referência à antiga agremiação do Catumbi. Vale lembrar que nesse bairro, dois dos seus fundadores, Leleco e Baianinho, haviam passado parte da infância, antes de irem morar em Cavalcante.[8]

Outras fontes dizem que a escola teve origem num bloco, conhecido originalmente como "Bloco do Leleco", e que possuía as cores verde e branco, e que só posteriormente, com a transformação em escola de samba, aquele nome foi adotado. De qualquer forma, a história da Em Cima da Hora começa em 15 de novembro de 1959, quando foi batizada pela co-irmã Portela, adotando as cores azul e branco.[8]

A escola estreou no carnaval oficial em 1962, com o enredo "Independência do Brasil", obtendo a 16ª colocação no Grupo 3.[9] grupo que venceu em 1966.

Em 1968, com o carnavalesco Roriz, venceu o Grupo 2, chegando a primeira divisão em 1969. Só ficou nela por um ano, mas retornou em 1972, permanecendo por mais até 1976. Nesse meio tempo, conquistou em 1973 seu primeiro Estandarte de Ouro com o samba-enredo O Saber Poético da Literatura de Cordel, de Baianinho.

Em 1976, a Em Cima da Hora apresentou um samba-enredo que é considerado por especialistas como um dos melhores de todos os tempos: Os Sertões, de Edeor de Paula, conquistando seu segundo Estandarte de Ouro. Apesar disso, ao terminar a competição na 13ª e penúltima colocação, foi rebaixada.

Em 1984, o samba "33 - Destino Dom Pedro II", de Guará e Jorginho das Rosas, a Em cima da Hora conquistou seu terceiro Estandarte de Ouro, retornando ao Gruo Especial, contando com patrocínio direto do então presidente de honra, o ex-carnavalesco Roriz. Novamente, no entanto, não se firmou na primeira divisão. Nos anos que se seguiram, a escola ganhou o Estandarte de melhor Ala das Crianças, sob a coordenação de Dona Didi, e o de melhor Passista Masculino através do então iniciante Carlinhos de Jesus, filho do presidente Amarante. Nesta época comandavam a agremiação: Zeca Esteves, Gonçalves, Severino, Amarante de Jesus e Ney Roriz, considerados baluartes pela comunidade.

Tendo iniciado seu recente declínio de classificações, em 1998 e 1999, perdendo contingente local e seus dirigentes famosos, mesmo endividada e sem conceito entre os componentes famosos, mesmo já sem suas características e totalmente enxertada, em 2000, a Em Cima da Hora empatou com a Tuiuti e só não subiu para o Grupo Especial porque perdeu no quesito desempate. O povo da escola estava ausente, somente o nome era da escola.

No entanto, a escola desde 1998 vinha amargando trajetória de queda: caiu em 2001 do Grupo A para o B; do B para o C em 2003; e no carnaval de 2004 amargou mais um rebaixamento ao cair para o Grupo D, a quinta divisão do carnaval carioca, a condição mais baixa da sua história. Conquistou o acesso novamente em 2005, reeditando em 2006 o seu antigo carnaval de 1974, A Festa dos Deuses Afro-Brasileiros, quando foi novamente campeã.

Em 2008, ano das comemorações a respeito da chegada da Família real ao Brasil, a escola adotou um enredo crítico à figura de Dom João VI, na contramão do que fizeram algumas escolas do Grupo Especial, como a São Clemente e Mocidade. Nesse ano, a escola amargou outro rebaixamento.

Para o Carnaval de 2010, a escola, que comemora seu cinquentenário, escolheu este tema para se apresentar na Intendente Magalhães. O enredo foi desenvolvido pelo carnavalesco Sandro Gomes,[10] [8] no entanto em outubro de 2009, houve uma mudança, e Sandro Avelar assumiu a direção de Carnaval, trazendo para o posto de Carnavalesco Marco Antônio, com quem também fazia parceria no Império da Praça Seca, uma divisão abaixo. Com um samba que citava Lelelo, a Portela e toda a história da agremiação,[2] a Em Cima da Hora venceu o Carnaval, retornando novamente à quarta divisão.

A partir da eleição de Sandro Avelar para a presidência da Praça Seca, este teve que deixar o cargo, sendo substituído, como diretor de Carnaval, por Sérgio Aguiar. Além desta, foram anunciadas algumas trocas para o Carnaval 2011, como a entrada de Jackeline Nascimento no posto de diretora de harmonia, no lugar de Fábio Lima, além de Mestre Serginho por Mestre Claudinho, e Carlinhos de Jesus, cria da escola, retornou para assumir a comissão de frente. Por fim Tiãozinho Cruz[11] voltou a ser o intérprete oficial.

Para 2012, com as saídas do intérprete Tiãozinho Cruz e Mestre Noca, a direção da escola optou pela volta de Serginho Gama e Mestre Zumbi, que estava na Caprichosos[12] , respectivamente como intérprete oficial e diretor de bateria. O enredo escolhido foi Simplesmente Amor, uma referência às diversas formas de amor existentes, tais como o amor entre marido e mulher, o amor entre mãe e filho, etc.

Em 2013, a escola homenageou o cantor e compositor João Nogueira[13] mantendo a mesma equipe de 2012.

Depois de exatos 10 anos desfilando na Estrada Intendente Magalhães, a Em Cima da Hora, capitaneada pelo presidente Heitor Fernandes, o carnavalesco Marco Antônio, Mestre Zumbi, Diego Chocolate e o primeiro casal Pedro e Paula, sagra-se campeã do grupo B da AESCRJ e retorna à Marquês de Sapucaí.

Para 2014 a diretoria optou pela reedição de Os Sertões.[4] mantendo novamente Marco Antônio no posto de carnavalesco e com o objetivo de permanecer na Série A do carnaval do Rio de janeiro. Após o término da apuração a escola conseguiu alcançar a 13º colocação se livrando do rebaixamento.

Para 2015 a escola já confirmou que Marco Antônio continuará como carnavalesco da escola, e terá um enredo inédito.

Segmentos[editar | editar código-fonte]

Presidentes[editar | editar código-fonte]

Nome Mandato Ref.
Osmar Simões "Osmar da Sadia" 2002 [14]
João Severino Gonçalves 2003 [15]
José Henrique de Souza Correa (Tampa) 2004 [14]
Marilene Amaral Lopes 2005-2010 [14]
Heitor Fernandes da Silva Neto 2011-atualidade [14]

Diretores[editar | editar código-fonte]

Ano Diretor de Carnaval Diretor geral de harmonia Mestre de bateria Ref.
2014 Julio César (Julião) Reginaldo de Souza Cruz (Tikinho) Luciano [4] [16] [4] [17]

Coreógrafo[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2014 Jardel Augusto Lemos [18]

Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira[editar | editar código-fonte]

Ano Nome Ref.
2010 Hugo César e Michelle Rocha [18]
2011 Hugo César e Michelle Rocha [18]
2012 Pedro Campos e Paula Campos [18]
2013 Pedro Campos e Paula Campos [18]
2014 Luiz Augusto e Shayene [18]
2015 Luiz Augusto e Naninha [18]

Corte de bateria[editar | editar código-fonte]

Período Rainha Madrinhas Ref.
2011 Gracy Kelly [19]
2012 Diana Cotrim [20]
2013 Aninha Absurda [13]
2014 Dominiky Mello Yani de Simone [21] [22] [23]

Carnavais[editar | editar código-fonte]

Em Cima da Hora
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Intérprete Ref.
1962 16° lugar 3 Independência do Brasil Osmar da Rocha [24]
1963 24º lugar 3 Insurreição Pernambucana Sebastião Souza de Oliveira
1964 11º lugar 3 Apoteose econômica e financeira do Império Sebastião Souza de Oliveira
1965 4º lugar 3 Carnaval do Rio através dos séculos Sebastião Souza de Oliveira
1966 Campeã 3 Missão artística francesa em 1816 - Debret Sebastião Souza de Oliveira
1967 3º lugar 2 Vida e amores de Dona Beija Sebastião Souza de Oliveira
1968 Campeã 2 Anita Garibaldi, amor e revolução Ney Roriz Ney Vianna [2]
1969 10º lugar 1 Ouro escravo
(Compositores:Normi de Freitas e Jair dos Santos)
Ney Roriz Ney Vianna [2]
1970 8º lugar 2 O mundo maravilhoso de Debret
(Compositores:Baianinho)
Sebastião Souza de Oliveira Baianinho [2]
1971 Campeã 2 Este Rio que eu amo
(Compositores:Baianinho)
Sebastião Souza de Oliveira Baianinho [2]
1972 8º lugar 1 Bahia, berço do Brasil
(Compositores:Baianinho)
Sebastião Souza de Oliveira Baianinho [2]
1973 6º lugar 1 O saber poético da literatura de cordel
(Compositores:Baianinho)
Sebastião Souza de Oliveira Ney Vianna [2]
1974 8º lugar 1 Festa dos deuses afro-brasileiros
(Compositores:Baianinho)
Sebastião Souza de Oliveira Tobias [2]
1975 12º lugar 1 Personagens marcantes dos carnavais cariocas
(Compositores:Cigarra)
Sebastião Souza de Oliveira Valdir Marujo [2]
1976 13º lugar 1 Os Sertões
(Compositor:Edeor de Paula)
Sebastião Souza de Oliveira Nando e Baianinho [2]
1977 13º lugar 2 Heitor dos Prazeres, um artista carioca
(Compositor:Amaury Machado)
Ney Roriz César do Valle [2]
1978 Campeã 3 O samba é o embaixador Ney Roriz César do Valle [2]
1979 10º lugar 2A Do astro rei, a rainha das flores Ney Roriz César do Valle [2]
1980 5º lugar 2A Bahia, Bahia tradicional Bahia Ney Roriz César do Valle [2]
1981 Vice campeã 2A Boi Bumbá com abóbora
(Compositores:Dodô Marujo e Zeca do Varejo)
Ney Roriz César do Valle [2]
1982 4º lugar 1B Popô, Papá, Bubu, Babá
(Compositores:Jair Torrada e Baianinho)
Ney Roriz Baianinho [2]
1983 10º lugar 1B Enredo, sem enredo
(Compositores:Guará, Hélio do Bar, Nelinho e Timbó)
Ney Roriz Jaider [2]
1984 3º lugar 1B 33 – Destino D. Pedro II
(Compositores:Guará e Jorginho das Rosas)
José Leonídio e Regina Celi César do Valle [2]
1985 16º lugar 1A Me acostumo mas não me amanso
(Compositores:Reco, Nunes e Renato)
Comissão de Carnaval
(Sid Camilo, Edson Mendes e Sérgio Amarildo)
Adilsinho [2]
1986 5º lugar 1-B Terra Brasilis
Compositores:Lino, Fabrício, Walter Bastos e Marquinhos Pagodeiro
Sérgio Amarildo Adilsinho [2]
1987 9º lugar 2 Kid Morangueira da Silva, o embaixador dos morros
Compositores:Joel, Bigo e Francisco
José Leonídio e Regina Celi Adilsinho [2]
1988 Vice-campeã 3 Samba-ô Vando Rocha e Adilsinho [2]
1989 9º lugar 2 Num passe de mágica
Compositores:Reinaldo Vilas, Jorginho das Rosas, Nunes e Bigo
Regina Celi e José Leonídio Rocha e Adilsinho [2]
1990 5º lugar 2 Saudades do Rio Júlio Matos Adilsinho [2]
1991 4º lugar 2 Um sonho que virou canção - Elymar Santos
Compositores:Escurinho de Cavalcante, Tadeu da Cuíca, Paulo Cangalha e Naldo do Cavaco
Beto Maia Adilsinho [2]
1992 8º lugar 2 A sombra da ilusão uma fantasia brasileira José Eugênio Adilsinho [2]
1993 7º lugar 2 Eca 8069 Reynaldo Valença Adilsinho [2]
1994 3° lugar 2 De Freqüência em freqüência na Cadência do Samba Comissão de Carnaval
(Amarildo Lopes, José Leonídio e Regina Celi)
Adilsinho [2]
1995 10° lugar A No reflexo do espelho a arte de dançar
(Compositores:Nunes, Tavares, André, Júlio Cesar e Marcos)
Reinaldo Valença e Edson Araújo Adilsinho [2]
1996 6º lugar A (Compositores:Jeffinho, Bruno, Renato Miranda e Jayme Cesar)} Ney Roriz e André Machado Rogerinho [2]
1997 5º lugar A Sérgio Cabral a cara do Rio
(Compositores:Cláudio Russo, Rogerinho, Paulo Cara Feia e Antônio Nick)
André Machado e Fernando Pamplona Rogerinho [2]
1998 7º lugar A Quem é você, Zuzu Angel?... Um anjo feito mulher
(Compositores:Escurinho de Cavalcanti, Reinaldo Vilas, Julinho, Jorginho das Rosas e Naldo do Cavaquinho)
Ernesto Nascimento e Actir Gonçalves Adilsinho [2]
1999 6º lugar A Horas... Eras de Glórias... E Outras Histórias
(Compositores:Jayme Cesar, Cláudio Russo, Biscoito, Paulinho Cara Feia, Alvinho e Amaral)
Alex de Souza Tiãozinho Cruz [2]
2000 3° lugar A Oswaldo Cruz, a saga de um herói brasileiro
(Compositores:Marcos, Julio César, Antonio da Primavera e Sergio)
Alex de Souza e Ernesto Nascimento Tiãozinho Cruz [2]
2001 12° lugar A Goiá Tacá Amopi - o campo das delícias
(Compositores:Felizardo Manhães, Toninho Shita, Paulo Cigano e Ricardo de Mendonça)
Luiz Marques Jardel do Cavaco [2]
2002 10° lugar B A poesia viaja de bonde, e a Em Cima da Hora conta essa linda história
(Compositores:Adilsinho, Pedrinho, Carlos Bleck e Gilberto Santa Casa)
Sílvio Cesar Fogueira [2]
2003 11° lugar B Décima quinta! A hora de Madureira
(Compositores:Jefinho, Sidney de Pilares, Henry, Marcos, Julio Cezar e Kadu Pqd)
Marcello Portela Fogueira [2]
2004 12° lugar C Uai! Nóis é brasileiro
(Compositores:Jayme Cesar, Ivanir Ramos e Julinho Cá)
Marco Antônio Fogueira [2]
2005 4º lugar D Mãe Baiana, Signo da Africanidade Carioca
(Compositores:Jayme César, Ivani Ramos, Biscoito e Nilson Castro)
Cida Donato Fogueira [2]
2006 Campeã D Festa dos Deuses Afro-Brasileiros
Reedição do carnaval de 1974.
Jorge Caribé Jefinho, Fogueira e Nunes
2007 5º lugar C Os tambores do Brasil
(Compositores:Jayme Cesar, Nilson Castro, Ivani Ramos e Roberto Iguaçu)
Jorge Caribé Jefinho e Nunes [2]
2008 12º lugar C Entre pulgas e piolhos... Assim levaram nossos tesouros
(Compositores:Tuil Pontes, Lula e Carlos Junior)
Jorge Caribé Márcio Alexandre [2]
2009 5º lugar D Sob as barbas de Noé, colori de Azul e Branco a Arca de Vinicius
(Compositores:Tuil Pontes, Lula e Carlos Junior)
André Tabuquine Serginho Gama [2]
2010 Campeã RJ-3 50 anos de história, assim conta minha senhora, Em Cima da Hora
(Compositores:Ivani Ramos, Fábio Lourenço, Célio Marques e Frank)
Marco Antônio Serginho Gama [2]
2011 5º lugar C É Carnaval....abram as alas para a folia
(Compositores:Cláudio Russo, Fábio Lourenço, Frank, Sílvio Romai, Santclair Cunha e Marquinhos)
Marco Antônio Tiãozinho Cruz [2]
2012 4º Lugar C Simplesmente Amor
(Compositores:Julinho Cá, Didi Domingos, Pedrinho, Julinho, Rui e Alexandre)
Marco Antônio Serginho Gama [2]
2013 Campeã B Além do espelho, João Nogueira de todos os sambas
(Compositores:Luis Caxias, Guinho, Duda, Netinho Brites, Josemar ML e Sidnei Eletricista)
Marco Antônio Diego Chocolate [2]
2014 13º Lugar Série A Os Sertões
Reedição De 1976
Marco Antônio Antônio Carlos
Arthur Franco
[25] [2]
2015 Série A No Coração da cidade, uma história das Mil e Uma noites. O Rio das Arábias Marco Antônio Antônio Carlos
Arthur Franco

Referências

  1. Em Cima da Hora. Academia do Samba. Página visitada em 15 de maio de 2010.
  2. a b c d e f g h i j k l m n o p q r s t u v w x y z aa ab ac ad ae af ag ah ai aj ak al am an ao ap aq ar as at au av Samba Rio Carnaval. Em Cima da Hora. Página visitada em 16/05/2010.
  3. Galeria do Samba. Novas Contratações Em cima da Hora. Página visitada em 14 de abril de 2013.
  4. a b c d Carnavalesco (11/04/2013). Em Cima da Hora reeditará 'Os Sertões'. 12:57. Página visitada em 11/04/2013.
  5. 1933. Academia do Samba. Página visitada em 14 de maio de 2010.
  6. 1934. Academia do Samba. Página visitada em 15 de maio de 2010.
  7. Cláudio Portela, para o Samba Rio Carnaval. O que teria acontecido com a Em Cima da Hora?. Página visitada em 14 de maio de 2010.
  8. a b c ESCOLAS DE SAMBA: dona de 'Os Sertões', Em Cima da Hora faz 50 anos. Guilherme Marques (15/11/2010). Página visitada em 8 de março de 2014.
  9. Em Cima da Hora (clicar, na lateral esquerda, na opção "Desfiles e Enredos"). Academia do Samba. Página visitada em 15 de maio de 2010.
  10. Sandro Gomes (1 de setembro de 2009). Em Cima da Hora divulga sinopse do enredo de 2010. O DIA. Página visitada em 16 de maio de 2010.
  11. Rodrigo Coutinho, para o Carnaval Brasil (22 de dezembro de 2010). Em Cima da Hora repatria Tiãozinho Cruz. Página visitada em 23 de dezembro de 2010.
  12. Patrícia Raposo. 'Quero levar minhas notas máximas para a Intendente Magalhães', diz Zumbi. SRZD-Carnaval. Página visitada em 6 de dezembro de 2011.
  13. a b Galeria do Samba (06/02/2012). Em Cima da Hora faz festa para lançar o seu enredo do Carnaval 2013 em homenagem ao João Nogueira. Página visitada em 29/11/2013.
  14. a b c d Academia do Samba. Diretoria. Página visitada em 22/05/2014.
  15. Galeria do Samba. Carnaval de 2003. Página visitada em 22/05/2014. Cópia arquivada em 22/05/2014.
  16. SRZD-Carnaval (11/05/2014). Em Cima da Hora tem novo diretor de harmonia. 03h12.
  17. Carnavalesco (13/05/2013). Antônio Carlos e Nino do Milênio são os novos intérpretes da Em Cima da Hora. 11:24. Página visitada em 13/05/2013.
  18. a b c d e f g Galeria do Samba. Carnaval de 2014. Página visitada em 22/05/2014. Cópia arquivada em 22/05/2014.
  19. EGO (22/01/2011). Mulher Maçã é coroada rainha de bateria. 1h19. Página visitada em 29/11/2013.
  20. SRZD-Carnaval (08/12/2011). Em Cima da Hora apresenta nova rainha de bateria. 13h51. Página visitada em 29/11/2013.
  21. MARQUÊS DA FOLIA (13/11/2013). EM CIMA DA HORA COMEMORA 55 ANOS DE HISTÓRIA COM FEIJOADA EM SUA QUADRA NA PRÓXIMA SEXTA-FEIRA. Página visitada em 28/11/2013.
  22. O Dia na Folia (03/12/2013). Mulher Filé é apresentada como madrinha da escola Em Cima da Hora. 10:11:35. Página visitada em 03/12/2013.
  23. O Fuxico (02/12/2013). Mulher Filé é rainha de bateria da escola de samba Em Cima Da Hora. 20:18:43. Página visitada em 03/12/2013.
  24. Galeria do Samba. CARNAVAL DE 1962 - RESULTADO (em português). Cópia arquivada em 15/03/2014.
  25. Carnavalesco. Série A: Sertão da Em Cima da Hora não será melancólico. Página visitada em 28/02/2014.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre GRES Em Cima da Hora