Gabardina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Publicidade da Burberry de um fato de gabardina à prova de água (1908).
Gabardina

Gabardina é um tecido têxtil robusto com o seu fio muito junto, utilizado para o fabrico de fatos, sobretudos, calças, uniformes, quebra-ventos e outro vestuário.

Tecido[editar | editar código-fonte]

A fibra utilizada para fazer o tecido é, tradicionalmente, fio têxtil de , mas também pode ser de algodão, polyester ou uma mistura. A gabardina é tecida em urdume, com uma pequena barra proeminente na face e uma superfície no reverso. A garbardina tem sempre mais fio de urdume do que fio de trama.[1] [2] [3]

A gabardina de algodão é, por vezes, usada pelos alfaiates para fazer o bolso interior dos fatos, pela necessidade de os reforçar.

As roupas feitas com gabardina estão, geralmente, indicadas para limpeza a seco.

O termo gabardina é também utilizado para designar uma peça de roupa impermeável, semelhante a um sobretudo.[4]

História[editar | editar código-fonte]

A gabardina foi inventada em 1879 por Thomas Burberry, criador da casa de moda Burberry, em Basingstoke, e registou a sua patente em 1888. O tecido original era impermeabilizado antes de passar à fase de tecelagem e era feito de lã, ou lã e algodão, e fortemente confeccionado, mas era mais confortável que os tecidos de à base de borracha.[2] O tecido deve o seu nome à palavra gaberdine, um longo manto ou vestido usado na Idade Média mas, mais tarde, designando uma capa para a chuva ou uma bata protetora.[3] [5]

As roupas de gabardina da Burberry eram usadas pelos exploradores polares como Roald Amundsen, o primeiro homem a chegar ao Polo Sul, em 1911, e Ernest Shackleton, que liderou uma expedição em 1914 para atravessar a Antártida. A jacket made of this material was worn by George Mallory também usou um casaco deste material na sua tentativa de subir o Monte Everest, em 1924.[6]

A gabardina foi muito utilizada na década de 1950 para produzir casacos com padrões mais coloridos, assim como calças e fatos. Empresas como a Penneys, Sport Chief, Campus, Four Star e California Trends produziam casacos curtos, algumas vezes reversíveis, chamados de "casacos de fim-de-semana".

Referências

  1. Kadolph (2007), pp. 240, 472
  2. a b Cumming (2010), p. 248.
  3. a b Picken (1957), p. 145
  4. Priberam
  5. Cumming (2010), p. 88.
  6. Replica clothes pass Everest test (de BBC News Online)

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Cumming, Valerie, C. W. Cunnington and P. E. Cunnington. The Dictionary of Fashion History, Berg, 2010, ISBN 978-1-84788-533-5
  • Kadolph, Sara J., ed.: Textiles, 10th edition, Pearson/Prentice-Hall, 2007, ISBN 0-13-118769-4
  • Mary Brooks Picken: The Fashion Dictionary, Funk & Wagnalls, 1957. (1973 edition ISBN 0-308-10052-2)