Gabriel Álvarez de Toledo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Gabriel Álvarez de Toledo y Pellicer de Tovar (Sevilha, 15 de março de 1662 - Madrid, 17 de janeiro de 1714) foi um poeta, historiador e teólogo espanhol. Foi um verdadeiro humanista, interessado na filosofia e filologia. Conhecia as línguas clássicas, semíticas e várias línguas modernas, como francês, italiano e alemâo. Foi bibliotecario mayor del rey e membro da Secretaría de Estado.[1] Pertenceu a Ordem de Santiago y foi um dos fundadores da Real Academia Espanhola. Na sua vida distinguem-se dois periodos, um profano e outro religioso. Suas obras poéticas apareceram depois da sua morte em Madrid em 1744.[2]

Principais obras[editar | editar código-fonte]

  • 1713, Historia de la Iglesia y del mundo, desde su creación al diluvio.
  • 1744, Obras pósthumas poéticas, con la Burromaquia.

Referências

  1. Luis García Ejarque: La Biblioteca Nacional de España.
  2. Diccionario Bompiani de autores literarios.

Ligaçoes externas[editar | editar código-fonte]