Galáxia Anã de Antlia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Anã de Antlia
A Galáxia Anã de Antlia pelo Telescópio Espacial Hubble. Crédito: NASA / STScI / WikiSky
Dados observacionais (J2000)
Constelação Antlia
Tipo dE3.5,[1] dSph,[2] dSph/Irr
Asc. reta 10h 04m 03,9s[1]
Declinação -27° 19′ 55″[1]
Distância 1,32 ± 0,06[3] Mpc
1,33 ± 0,10[2] Mpc
1,31 ± 0,03[4] Mpc
1,29 ± 0,02[5] Mpc
1,25[6] Mpc
Redshift 362 ± 0 km/s[1]
Magnit. apar. 15,67 ± 0,02[3]
Dimensões 2′,0 × 1′,5[1]
Outras denominações
Galáxia Anã de Antlia,[1] PGC 29194[1]
Mapa
Antlia constellation map.png

A Galáxia Anã de Antlia é uma galáxia anã esferoidal/irregular. Situa-se a cerca de 1,3 Mpc (4,3 Mal) da Terra na constelação de Antlia. Pertence ao grupo Antlia de galáxias. Contém estrelas de todas as idades, quantidades significativas de gás, e passou por formação estelar recente. Acredita-se que a Anã de Antlia esteja interagindo com a pequena galáxia espiral barrada NGC 3109.[2] [7]

Descoberta[editar | editar código-fonte]

A Anã de Antlia foi catalogada pela primeira vez em 1985 por H. Corwin, Gérard de Vaucouleurs, e A. de Vaucouleurs. Mais tarde em 1985 e 1987 ela foi notada como uma possível galáxia anã próxima por dois grupos de astrônomos.[2] Foi confirmado que é uma galáxia anã em 1997 por Alan Whiting, Mike Irwin e George Hau. Eles pela primeira vez observaram estrelas na galáxia e determinaram a distância a ela—1,15 Mpc (a estimativa atual de distância é um pouco maior).[8]

Em 1999 a Anã de Antlia foi identificada por Sidney van den Bergh como o quarto membro do Grupo Antlia—o grupo de galáxias mais próximo do Grupo Local.[2]

Propriedades[editar | editar código-fonte]

A Anã de Antlia é classificada alternativamente como uma galáxia anã elíptica de tipo dE3.5,[8] [9] como uma galáxia anã esferoidal (dSph) ou como galáxia de transição entre esferoidal e irregular (dSph/Irr).[2] A última classificação é devida a uma formação de estrelas significativa nos últimos 100 milhões de anos.

A Anã de Antlia compreende dois componentes: um núcleo e um halo antigo.[3] Seu raio é de cerca de 0,25 Kpc.[8] A metalicidade é baixa, de cerca de <[Fe/H]>=−1,6 a −1,9, significando que a galáxia contém 40–80 vezes menos elementos pesados que o Sol.[3] [10] Tem um ramo de gigante vermelha bem definido e facilmente observável, o que torna a medição de sua distância relativamente fácil.[9] A luminosidade total da Anã de Antlia é de aproximadamente 1 milhão de vezes a do Sol (a magnitude absoluta visível é de MV=−10,3).[3]

A massa estelar da Anã de Antlia é estimada em 2–4×106 massas solares, enquanto sua massa total é de aproximadamente 4×107 massas solares.[3] A galáxia contém estrelas de todas as idades mas é dominada por estrelas velhas com mais de 10 bilhões de anos. Parece ter havido um grande evento de formação estelar por volta de 100 milhões de anos atrás.[4] [9] As estrelas mais novas estão no núcleo central da galáxia.[10]

Entre galáxias anãs esferoidais, a Anã de Antlia contém quantidades incomuns (até 7 ×105 massas solares) de hidrogênio atômico neutro.[11] [12] No entanto, não possui regiões H II significativas e não forma estrelas ativamente atualmente.[9]

Localização e interações[editar | editar código-fonte]

A Anã de Antlia está a aproximadamente 1,3 Mpc (4,3 Mal) da Terra, na constelação de Antlia.[9] Sua distância do baricentro do Grupo Local é de cerca de 1,7 Mpc. A essa distância, está situada fora do Grupo Local e é membro de um grupo separado de galáxias chamado Grupo Antlia.[2] A Anã de Antlia está separada da pequena galáxia NGC 3109 por apenas 1,18 graus do céu, o que corresponde a uma separação física de 29 kpc a 180kpc dependendo de sua separação radial.[2] [3]

A Anã de Antlia e NGC 3109 podem estar fisicamente ligadas se a distância entre elas não for muito grande.[2] [8] No entanto, sua velocidade uma em relação à outra, 43 km/s,[2] torna questionável se elas são ou não um sistema ligado fisicamente, especialmente se a distância entre elas for mais próxima do limite superior—180 kpc.[3] [9] Se elas forem ligados gravitacionalmente, sua massa total pode ser de até 78 bilhões de massas solares.[4]

Observações também mostraram que NGC 3109 tem uma deformação em seu disco gasoso que está viajando na mesma velocidade que o gás na Anã de Antlia, indicando que as duas galáxias tiveram um encontro próximo há cerca de um bilhão de anos.[12]

Referências

  1. a b c d e f g NASA/IPAC Extragalactic Database Results for Antlia Dwarf. Visitado em 30/11/2006.
  2. a b c d e f g h i j Van Den Bergh, S. (1999). "The Nearest Group of Galaxies". The Astrophysical Journal 517 (2): L97. DOI:10.1086/312044.
  3. a b c d e f g h Aparicio, A.; Dalcanton, J. J.; Gallart, C.; Martinez-Delgado, D.. (October 1997). "The Nature of the Antlia Galaxy: A New Dwarf Irregular in the Outskirts of the Local Group.". The Astronomical Journal 114 (4): 1447–1457. DOI:10.1086/118575. Bibcode1997AJ....114.1447A.
  4. a b c Piersimoni, A. M.; Piersimoni, A. M.; Bono, G.; Castellani, M.; Marconi, G.; Cassisi, S.; Buonanno, R.; Nonino, M.. (dezembro de 1999). "A new investigation on the Antlia Dwarf Galaxy". Astronomy and Astrophysics 352: L63–L68. Bibcode1999A&A...352L..63P.
  5. Dalcanton, J. J.; Williams, B. F.; Seth, A. C.; Dolphin, A.; Holtzman, J.; Rosema, K.; Skillman, E. D.; Cole, A. et al. (2009). "The Acs Nearby Galaxy Survey Treasury". The Astrophysical Journal Supplement Series 183: 67. DOI:10.1088/0067-0049/183/1/67.
  6. Tully, R. B.; Rizzi, L.; Dolphin, A. E.; Karachentsev, I. D.; Karachentseva, V. E.; Makarov, D. I.; Makarova, L.; Sakai, S. et al. (2006). "Associations of Dwarf Galaxies". The Astronomical Journal 132 (2): 729. DOI:10.1086/505466.
  7. Grebel, Eva K.; Gallagher, John S., III; Harbeck, Daniel. (abril de 2003). "The Progenitors of Dwarf Spheroidal Galaxies". The Astronomical Journal 125 (4): 1926–1939. DOI:10.1086/368363. Bibcode2003AJ....125.1926G.
  8. a b c d Whiting, Alan B.; Irwin, M. J., Hau, George K. T.. (setembro de 1997). "A new galaxy in the Local Group: The Antlia Dwarf Galaxy". The Astronomical Journal 114 (3): 996–1001. DOI:10.1086/118530. Bibcode1997AJ....114..996W.
  9. a b c d e f Pimbblet, K. A.; Couch, W. J. (2011). "Antlia Dwarf Galaxy: Distance, quantitative morphology and recent formation history via statistical field correction". Monthly Notices of the Royal Astronomical Society: no. DOI:10.1111/j.1365-2966.2011.19769.x. Bibcode2012MNRAS.419.1153P.
  10. a b Sarajedini, Ata; Claver, C. F., Ostheimer, James C. Jnr.. (dezembro de 1997). "The properties of the Antlia Dwarf Galaxy". The Astronomical Journal 114 (6): 2505–2513. DOI:10.1086/118663. Bibcode1997AJ....114.2505S.
  11. van den Bergh, Sidney. The galaxies of the Local Group. [S.l.]: University of Cambridge, 2000. 266 pp. ISBN 0-521-65181-6.
  12. a b Barnes, D. G.; W. J. G. de Blok. (August 2001). "On the Neutral Gas Content and Environment of NGC 3109 and the Antlia Dwarf Galaxy". The Astronomical Journal 122 (2): 825. DOI:10.1086/321170. Bibcode2001AJ....122..825B.