Game Boy Advance

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Game Boy Advance
Gameboy advance logo.svg
Primeiro modelo do Game Boy Advance
Fabricante Nintendo
Tipo Videogame portátil
Geração 6ª Geração[nota 1]
Disponibilidade
      Descontinuado 2008
      Unidades
      vendidas
      75,13 milhões (todas as versões) - 2006 [1]
      Mídia Cartucho
      Retrocompa-
      tibilidade
      Game Boy e Game Boy Color
      Antecessor Game Boy Color
      Sucessor Game Boy Advance SP, Game Boy Micro (redesign)
      Nintendo DS

      Game Boy Advance (popularmente abreviado como GBA) é um console portátil desenvolvido e fabricado pela empresa japonesa Nintendo. Foi lançado no Japão no dia 21 de Março de 2001; na América do Norte no dia 11 de Junho de 2001; na Europa em 22 de Junho de 2001 e na China (excluindo Hong-Kong) em 8 de Junho de 2004. Também foi lançado ao Brasil pela Gradiente numa segunda-feira, 12 de junho de 2001[1] , mas pouco tempo depois deixou de ser produzido. É o sucessor do Game Boy Color, e um dos últimos produtos da linha Game Boy. Seu codinome durante o processo de desenvolvimento foi Projeto Atlantis.

      Hardware[editar | editar código-fonte]

      Cartucho utilizado nele.

      O Game Boy Advance é retrocompatível com a maioria dos jogos lançados para o Game Boy e o Game Boy Color, assim como novos jogos desenvolvidos para levar vantagem das novas capacidades técnicas do sistema. É alimentado por duas pilhas AA, que fornecem cerca de 5-10 horas de jogo, assim como uma fonte opcional de energia que é conectada diretamente nas entradas de pilha do GBA. A versão SP do GBA vem com uma bateria recarregável de íons de lítio e acompanha carregador bivolt automático.

      Processadores[editar | editar código-fonte]

      O GBA possui uma ARM de 16,8-MHz personalizada. É baseado na arquitetura RISC, muito mais destinada a linguagem de programação C que os processadores 8-bit Z-80A usados em versões anteriores do Game Boy. O processador ARM pode ser executado em ambos modos 32-bit ARM e 16-bit "Thumb". O sistema também contém um processador Z-80A de 8,4-MHz para fornecer suporte aos jogos antigos do Game Boy, porém os dois processadores não podem funcionar ao mesmo tempo.

      Dimensões[editar | editar código-fonte]

      Comprimento: 144,5 mm
      Largura: 24,5 mm
      Altura: 82 mm
      Peso: 140 g

      Tela[editar | editar código-fonte]

      A tela de 2,4" LCD é capaz de uma resolução máxima de 240x160 pixels em cores de 15-bit (32.768 cores). Esta tela possui mais pixels que os 160x144 do Game Boy, e quando os jogos da plataforma antiga são rodados o jogador pode apertar "L" ou "R" para selecionar entre um modo de 160x144 com uma tarja preta ou aumentar a escala para 240x144 pixels.

      A tela LCD é é iluminada pela luz ambiente. Jogadores normalmente precisam inclinar o portátil para levar vantagem de alguma fonte de luz externa. O lançamento do Game Boy Advance SP, onde o próprio console emite a luz.

      Gráficos[editar | editar código-fonte]

      O hardware do GBA possui suporte para operações simples em 2D usando elementos gráficos chamados de sprites.

      Jogos mais recentes foram aos limites do GBA com gráficos simples em 3D. Estes jogos incluem V-Rally 3, Asterix and Obelix XXL, 007 Nightfire, Top Gear Rally, Monster Truck Madness, Driv3r e muitos outros jogos com engines em 3D real. Outros jogos em pseudo-3D como os da série Doom, Duke Nukem e Kill switch também tinham alguns dos gráficos mais bonitos do portátil. Utilizando sprites 2D para objetos e gráficos pseudo-3D para a arquitetura, estes jogos normalmente tinham uma boa taxa de quadros por segundo. Alguns acham que jogos 3D são um avanço bem-vindo para o GBA, enquanto alguns acham que os desenvolvedores estão indo além das capacidades do sistema. Com a lançamento do Nintendo DS, jogos em 3D para o GBA terão, provavelmente, sua produção limitada.

      Conectividade[editar | editar código-fonte]

      Conexão entre 4 jogadores com 2 GBAs, 1 GBA SP e 1 GameCube com um Game Boy Player como acessório

      O GBA possui uma porta de série para conectar com outros GBAs de maneira similar ao sistema token ring. Um GBA também pode receber 256 KB de pela porta, até mesmo quando não há nenhum cartucho inserido. Isto é usado para conexões multiplayer onde vários GBAs podem jogar com apenas 1 cartucho; o GBA com o cartucho manda os dados para os outros GBAs sem cartucho.

      A porta de série também pode (com o cabo apropriado) conectar com uma porta RS-232 para debugs e (hipotéticamente) multiplayer na Internet, porém protocolo TCP/IP ainda precisa ser estabelecido para os jogos do GBA. O lançamento do Nintendo DS em 2004 tornou esta função ainda mais improvável, devido a presença da rede Wi-Fi no lançamento do sistema.

      Para conectar jogos de GBA, um cabo GBA link é necessário. Para conectar com os antigos jogos do GB ou GB Color, o cabo do GB antigo é necessário, mesmo se dois GBAs estiverem em uso.

      A Nintendo também introduziu a conectividade entre o Game Boy Advance e o GameCube através do GameCube-GBA cable. Esta função poderia destravar funções, além de funcionar como uma segunda tela, além de outras coisas. Esta função não foi muito popular, e foram poucos os jogos que a utilizaram.

      O Game Boy Advance Wireless Adapter foi lançado no dia 7 de Setembro de 2004 nos Estados Unidos. Ele permitia conexões entre GBAs sem fios, com mais de 4 jogadores ao mesmo tempo. Ele veio junto com o jogo Pokémon FireRed and LeafGreen. Entretanto, um jogo, para aproveitar as funções sem-fio do acessório, precisava ser desenvolvido com esta capacidade, sendo apenas alguns jogos compatíveis.

      O Game Boy Micro introduziu outro tipo de porta; para fazer o portátil ainda menor, o link multiplayer foi reduzido. Nintendo lançou um adaptador GBM-GBM e GBA-GBM para possibilitar compatibilidade máxima entre os dois sistemas. A Nintendo também lançou um acessório especial sem fio para o Game Boy Micro. Estes produtos são vendidos apenas no site da Nintendo.com.

      Modelos[editar | editar código-fonte]

      Game Boy Advance (modelo original)[editar | editar código-fonte]

      O Game Boy Advance foi vendido a um preço de $100 USD na época de seu lançamento na América do Norte. Até o lançamento do Game Boy Advance SP, o GBA foi o console com as vendas mais rápidas da história. Apesar de seu sucesso, muitos criticaram o modelo original do Game Boy Advance por ainda não ter adotado uma tela com iluminação própria, o que a Nintendo iria consertar em modelos mais avançados. Em 2005 o modelo original (sem-luz) do GBA deixou de ser produzido.

      Game Boy Advance SP[editar | editar código-fonte]

      Game Boy Advance SP

      No final de 2003, a Nintendo lançou uma versão atualizada do Game Boy Advance dando a ela uma luz interna frontal que poderia ser ligada e desligada, uma bateria recarregável de Li-ion, assim como uma frente dobrável com aproximadamente a metade do tamanho de um GBA. Foi desenvolvido para solucionar as reclamações aderidas ao modelo original.

      Por volta do lançamento do Game Boy Micro, a Nintendo lançou uma nova versão do SP na América do Norte. O botão que ligava e desligava a luz agora pode ficar entre os modos "normal" (que já possui uma tela mais clara que o Nintendo DS original) e "clara", um intenso nível de brilho similar ao de televisões LCD.

      Curiosidade: um aparelho similar ao Game Boy Advance SP foi usado por Mario em Paper Mario: The Thousand-Year Door para o GameCube como uma especie de pager.

      Game Boy Micro[editar | editar código-fonte]

      Game Boy Micro

      Em Setembro de 2005, a Nintendo lançou uma terceira versão do Game Boy Advance. Este modelo volta mais uma vez ao sentido horizontal do Game Boy Advance, mas muito menor e mais moderno. O Game Boy Micro também oferecia ao jogador a opção de escolher entre diversas frentes coloridas para permitir a customização, uma funcionalidade fortemente usada no marketing do produto. Ao contrário dos modelos anteriores ele não oferece suporte aos jogos de Game Boy e Game Boy Color.

      Acessórios[editar | editar código-fonte]

      Nintendo lançou muitos acessórios para o Game Boy Advance (GBA). Entre eles estão:

      Wireless Adapter -

      Wireless Adapter.

      Lançado em 2004, este adaptador conectava-se com a parte traseira do Game Boy Advance. Ele substituiu os cabos link e permite a diversas pessoas se conectar umas as outras. Seu preço de mercado é de U$ 20 e veio incluído com o jogo Pokémon FireRed e LeafGreen. Por ter sido lançado já no fim da vida útil do GBA, menos que 20 jogos ofereciam suporte a este acessório. O uso mais eficiente do adaptador pode ser visto em Pokémon; FireRed/LeafGreen e Emerald onde através da "Union Room" cerca de 40 pessoas podiam entrar para disputar batalhas ou trocar pokémons. O adaptador não é retrocompatível, levando a sérias críticas que afirmavam que ele existia mais por status do que para uso efetivo já que só era útil em alguns jogos. Uma versão para o Game Boy micro também foi lançada e pode interagir inteiramente com ambos os modelos do adaptador sem fio.

      Game Boy Advance Infra-Red Adapter - Este adaptador foi incluido com o jogo Ciberdrive Zoids e era apenas compatível com este jogo. O apadtador não foi vendido separadamente. Este também é o único acessório do GBA que não foi refeito para o Game Boy micro.

      Play-Yan - O Play-Yan é um tocador de MP3/MPEG4 para o GBA e o Nintendo DS. O cartucho é sensivelmente maior que um cartucho normal de GBA e incluía uma entrada para fones de ouvido assim como uma entrada para cartões SD. Músicas e vídeos baixados da Internet podia ser transferidos para um cartão SD e colocados no cartucho. A Nintendo também lançou diversos mini-games através de atualizações de driver. O Play-Yan está disponível apenas no Japão atualmente, mas um lançamento europeu foi confirmado para 2006. Já que o Play-Yan não teve um lançamento norte-americano coincidindo com o do Game Boy micro como era esperado, um lançamento americano foi especulado para 2006 também.

      e-Reader.

      e-Reader - O e-Reader é um acessório que consegue escanear cartões e é conectado com a entrada de cartuchos do Game Boy Advance. Cartões especiais com pontos em forma de código podiam ser escaneados pela passagem que o acessório possui. Muitas idéias foram usadas com o e-Reader, como cartões que continham jogos clássicos como Donkey Kong e Excitebike, cartões que liberavam conteúdo em um jogo, como em Super Mario Advance 4. Jogos de Gamecube como Animal Crossing tinham cartões com conteúdo destravável. Os jogos de carta Pokémon Trading Card Game também adotaram o sistema de pontos do e-Reader. O e-Reader também funciona com o Game Boy Player assim como o Game Boy Advance SP, mas não cabe na entrada de cartuchos do Nintendo DS. O e-Reader deixou de ser utilizado nos EUA em 2004, mas ainda é popular no Japão. Não foi lançado na Europa.

      Game Boy Advance Video - Estes cartuchos altamente populares contém dois episódios de desenhos ou animações de 30 minutos cada. Primeiramente lançado nos EUA em Maio de 2004, eles custam U$ 19,99 e tinham desenhos como Pokémon, SpongeBob SquarePants, Sonic X, e Teenage Mutant Ninja Turtles. Os filmes Shrek, Shrek 2, e Shark Tale também foram disponibilizados e estavam todos completos. Infelizmente, este cartuchos apresentavam um erro quando eram inseridos em um Gamecube através de um Game Boy Player. Eles caíram de popularidade e hoje são encontrados por menos de U$10,00.

      Acessórios não-oficiais[editar | editar código-fonte]

      GBA Movie Player - O GBAMP é um cartucho versátil que permite aos usuários a jogar jogos de NES, assistir filmes (MPEGs), ver arquivos .txt, ouvir arquivos de aúdio, etc. O GBAMP não permite a execução de MPEGs ou MP3s diretamente, uma conversão através de um software livre é necessária, que consegue transformar uma variadade de formatos na extensão GBM e GBS, utilizadas pelo GBAMP.

      TV Tuner - Transforma o portátil em uma televisão portátil. Existem diversas versões (feitas por diferentes empresas) disponíveis. O TV Tuner mais popúlar requer um cartucho na entrada do GBA para ser utilizado. TV Tuners podem salvar até 99 canais.

      Vendas e marketing[editar | editar código-fonte]

      O Game Boy Advance, juntamente com o Game Boy Advance SP e o Game Boy micro, venderam bem. Em Setembro de 2005, a série Game Boy Advance vendeu 74,24 milhões de unidades por todo o mundo.[2]

      Vendas atuais do Nintendo Game Boy Advance: 75,13 Milhões em 31 de Março de 2006 (Japão: 16,55, Américas: 38,10, Outros: 20,48)
      das quais do Game Boy Advance SP: 38,23 Milhões em 31 de Março de 2006 (Japão: 6,42, As Américas: 20,95, Outros: 10,86)
      das quais do Game Boy Micro: 1,83 Milhões em 31 de Março de 2006 (Japão: 0,58, As Américas: 0,47, Outros: 0,79)

      Jogos[editar | editar código-fonte]

      O Game Boy Advance se tornou um dos últimos aparelhos modernos a oferecer suporte a sprites, uma tecnologia de renderização. Com hardware superior ao do Super NES, ele provou que a tecnologia sprite poderia evoluir juntamente com a tecnologia 3D dos consoles atuais. O Game Boy Advance também se tornou popular entre as pessoas que gostavam de jogos clássicos, devido a suas constantes conversões de clássicos das eras de 8 e 16 bit.

      Jogos famosos deste portátil:

      Emuladores[editar | editar código-fonte]

      Alguns dos emuladores mais famosos do Game Boy Advance incluem NO$GBA, Rascal e VisualBoyAdvance. Ambos No$GBA e Visual Boy Advance oferecem suporte ao uso de imagens BIOS, mas podem ser executados, com menor compatibilidade, ou sem nenhuma.

      Notas

      1. Considerando as referências a seguir Dos hardcores aos casuais MSN jogos (6 de novembro de 2010). Página visitada em 16 de junho de 2011. "Lançado em novembro de 2005, o Xbox 360 deu o pontapé inicial na sétima geração de consoles." e A História dos Vídeo Games #24: Sega Dreamcast, um console a frente do seu tempo Nintendo Blast (24 de maio de 2011). Página visitada em 14 de junho de 2011. "Querendo ou não, com o Dreamcast a SEGA deflarou o início da 6ª geração de vídeo games.", além do fato do Dreamcast ter sido lançado em 1998, deduz-se que qualquer console lançado entre 1998 e 2005 necessariamente pertence à sexta geração.

      Ver também[editar | editar código-fonte]

      Referências

      Ligações externas[editar | editar código-fonte]

      O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Game Boy Advance