Gametogénese

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Gametogênese[editar | editar código-fonte]

É um processo pelo qual os gametas são produzidos nos organismos dotados de reprodução sexuada. Nos animais, a gametogênese também acontece nas gônadas, órgãos que também produzem os hormônios sexuais, que determinam as características que diferenciam os machos das fêmeas.

O evento fundamental da gametogênese é a meiose, que reduz à metade a quantidade de cromossomos das células, originando células haploides. Na fecundação, a fusão de dois gametas haploides reconstitui o número diploide característico de cada espécie.

Espermatogênese[editar | editar código-fonte]

Espermatogênese é o processo de formação das células sexuais masculinas, os espermatozóides. Os espermatozóides são formados nos túbulos seminíferos.

Ovogênese[editar | editar código-fonte]

Ovogênese ou ovogênese, é o iiprocesso de formação das células sexuais femininas, os óvulos. No entanto nos Seres Humanos bem como na maioria dos mamíferos este processo só termina se após a ovulação ocorrer a fecundação do ovócito II que se encontra em metafase II.

Gametogênese nos animais[editar | editar código-fonte]

Os espermatozoides e os óvulos têm origem nas células germinativas primordiais (CGPs) do embrião. Estas células diferenciam-se muito cedo (no Ser Humano, aparecem na quarta semana da gestação) na endoderme e são fáceis de reconhecer uma vez que contêm grande quantidade do enzima fosfatase alcalina.

As CGPs migram por movimento ameboide para o mesentério dorsal do embrião e daí lateralmente para as cristas genitais, que se encontram próximas do local onde ficarão os rins. Durante esta migração, as CGPs dividem-se várias vezes e, quando chegam às cristas genitais, os embriões macho e fêmea não são ainda morfologicamente reconhecíveis. No entanto, pouco tempo depois (na 6ª semana de gestação, nos humanos) as diferenças começam a formar-se: enquanto que na fêmea, as cristas genitais mantêm a sua aparência, nos machos começam a formar-se as gónadas com o desenvolvimento de cordões sexuais.

Espermatogênese[editar | editar código-fonte]

Nos machos, as CGPs (células germinativas primordiais) transformam-se em espermatogônias diploides, que graças às fases: multiplicação, crescimento, maturação e diferenciação (ou espermiogénese), vão dar origem aos espermatozoides haploides que se vão acumulando no lúmen dos tubos seminíferos. O aparelho reprodutor masculino é formado pelos testículos, epidídimo, canal deferente e glândulas anexas. Os testículos são glândulas de dupla função: produzir espermatozoides e hormônio sexual masculino. Dentro dos testículos encontramos os túbulos seminíferos, no epitélio desses túbulos encontramos as espermatogônias, células que estão em constante proliferação e que se diferenciam em espermatócito de 1º ordem, de 2º ordem e em seguida entra em meiose resultando nas espermátides. As espermátides sofrem espermiogênese, espécie de diferenciação, um processo que as leva a dar origem aos espermatozoides. As modificações que ocorrem durante a espermiogênese são as seguintes: 1) O complexo de Golgi origina uma estrutura localizada na parte anterior da cabeça do espermatozoide denominado acrossoma que contém hialuronidase e outras proteases que têm função na penetração do espermatozoide no ovócito. 2) Um dos centríolos origina o flagelo do espermatozoide. 3) As mitocôndrias se localizam na base do flagelo para fornecer energia nos batimentos flagelares. 4) Ocorre extrusão do material citoplasmático.


Ovulogênese[editar | editar código-fonte]

Nas fêmeas, as CGPs (células germinativas primordiais) transformam-se em ovogônias diploides, que graças às fases: multiplicação, crescimento e maturação, vão dar origem ao(s) óvulo(s) haploide(s). Mas, no caso dos Seres Humanos bem como na maioria dos mamíferos este processo só termina se após a ovulação ocorrer a fecundação do ovócito II que se encontra em metafase II, caso contrario o processo não chega a ser concluído.