Garotas Suecas

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Garotas Suecas
Ficheiro:Garotas-suecas (2014).jpg
Da esquerda para direita: Nico, Tommy, Irina e Perdido
Informação geral
Origem São Paulo, SP
País  Brasil
Gênero(s) Rock
Funk
Soul
Rock de Garagem
Período em atividade 2005 – ...
Influência(s) Sly & The Family Stone, Rolling Stones, Os Mutantes, The Meters, Roberto Carlos, Curtis Mayfiled.
Página oficial http://www.garotassuecas.com
Integrantes Tomaz Paoliello
Irina Bertolucci
Fernando Freire
Nico Paoliello
Ex-integrantes Guilherme Saldanha
Sérgio Sayeg

Garotas Suecas é uma banda paulista fundada em 2005. É conhecida por sua ampla sonoridade, que engloba inúmeros gêneros musicais, como rock, funk e soul.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Formada em 2005 na cidade de São Paulo, o Garotas Suecas condensou suas influências de rock, soul e psicodelia nos EPs Hey, Hey, Hey, São os Garotas Suecas (2006), Difícil de Domar (2008) e Dinossauros (2009), exibindo grande vigor de palco até ser indicado ao prêmio Revelação MTV 2009.

Desde o início da carreira, a banda investiu na criatividade de seus clipes. “Difícil de Domar” rendeu um prêmio na edição de 2008 do Video Music Brasil (VMB), da MTV. Os vídeos de “Bugalu” e “Codinome Dinamite” somaram-se à bem-sucedida empreitada audiovisual, que teve seu auge no divertido “Banho de Bucha”, primeiro clipe do álbum de estreia Escaldante Banda, que projetou os paulistanos para um público mais amplo. A banda venceu o prêmio de "Aposta MTV" no VMB 2008.

Escaldante Banda[editar | editar código-fonte]

Lançado nos EUA em 2010 pelo selo American Dust, o disco Escaldante Banda trouxe um ar mais tropicalista nas experiências sonoras já realizadas anteriormente e antecipou uma grande turnê que passou por dezenas de cidades naquele país.

O extenso currículo de shows incluiu apresentações nos festivais South by Southwest (Austin, Texas), Primavera Sound (Barcelona, Espanha), Bumbershoot (Seattle, EUA, ao lado de lendas como Bob Dylan, Booker T. Jones e Solomon Bourke), Pirineus Sur (Huesca, Espanha), entre muitos outros. A partir daí, publicações estrangeiras como New York Times, Washington Post, El País e BLITZ não pouparam elogios ao descrever a contagiosa presença de palco do grupo.

No Brasil, Escaldante Banda foi lançado de forma independente e também conquistou a imprensa: foi eleito um dos 10 melhores álbuns de 2010 na revista Rolling Stone Brasil e indicada ao 7º Prêmio Bravo! Prime de Cultura na categoria Melhor CD Popular, além de integrar enquetes de grandes jornais como Folha de S. Paulo e O Globo. Em nossos palcos, o quinteto se apresentou em festivais importantes como Planeta Terra e Cultura Inglesa.

A banda foi indicada ao Video Music Brasil., em 2011, nas categorias "Melhor Videoclipe", com "Banho de Bucha" e "Melhor Capa", com "Escaldante Banda".

Em 2012, o Garotas Suecas lançou em formato de single virtual sua versão para “Bat Macumba”, clássico de Caetano Veloso e Gilberto Gil que saiu na coletânea La Onda Vampi, da Vampi Soul Records, na Espanha, selo responsável por editar Escaldante Banda no Velho Continente.

O quinteto voltou a excursionar na Europa em 2012 e extraiu mais dois clipes do disco: “Não Se Perca Por Aí”, gracioso drama romântico protagonizado por bonecos, indicado a Clipe do Ano no VMB 2012; e “Alma” que, além de ganhar uma produção experimental do diretor Pedro Knoll – a canção ainda ganhou registro ao lado da diva Elza Soares no projeto Meet the Legends, parceria da marca Ray-Ban com a revista VICE.

Como forma de antecipar Feras Míticas, em junho de 2013 a banda lançou um compacto com versão alternativa de “Eu Avisei Você” no lado A e “New Country” no lado B.

Feras Míticas[editar | editar código-fonte]

Shows em países na Europa e América do Norte, experiências e parcerias pelo Brasil e ampliação do público ao redor do mundo: o bumerangue musical do Garotas Suecas foi bem longe para que a banda voltasse mais para si própria em seu segundo CD, Feras Míticas.

Com produção do britânico Nick Graham-Smith, o álbum foi gravado no Pendulum Studio, na capital paulista, e mostra o quinteto com uma sonoridade mais sólida, pronta para influenciar gerações.

A nova fase culminou em mudanças simbólicas. O grupo trouxe participações de renomados artistas da atual e velha geração: a rapper Lurdez da Luz (“A Nuvem”), o titã Paulo Miklos (“Charles Chacal”) e o americano Kid Congo Powers (“L.A. Disco”), fundador de grupos como The Cramps e The Gun Club.

Há um número maior de composições em inglês e mais dinâmica: além do vocalista Guilherme Sal, a tecladista Irina Bertolucci e os irmãos Tomaz e Nico Paoliello (guitarra e bateria, respectivamente) emprestam suas vozes em diferentes canções.

“Com esse disco nos preocupamos menos com a coerência das nossas referências e mais com a cara do Garotas”, resume Tomaz.

Retrato de uma banda cosmopolita, Feras Míticas une diferentes visões de Sal, Irina, Tomaz, Nico e o baixista Fernando Freire de cidades que, apesar de seus altos e baixos, continuam inspiradoras.

Parques de diversões, zoológicos, shoppings e cinemas são descritos em “O Primeiro Dia”, cantada por Irina, com slide-guitar de Nick Graham-Smith. Na espirituosa “St. Marks Theme”, “rabiscos desenham” ao som do conjunto de cordas formado por Fábio Tagliaferri (viola), Mário Manga (violoncelo) e Otávio Teco (violino).

“Manchetes da Solidão” procura o amor num cenário metropolitano. A falta de movimento incomoda em “Bucolismo (Um Dia No Campo)”, faixa em que Nico parece contar os segundos para que o excesso de tranquilidade acabe – “Preso aqui nesse começo de mundo/E nada do que eu disser deve fazer barulho algum”, o baterista lamenta ao som de riffs de guitarra que variam do reggae ao R&B.

Músicas como a funkeada “L.A. Disco” e “Eu Avisei Você” (que ganhou clipe em preto e branco dirigido por André Peniche) retomam o humor sagaz da banda. Em “Bicho”, o Garotas Suecas aconselha com autoridade de fera. Na sequência, mostra suas garras letais em “Charles Chacal”, inédita dos Titãs escrita por Sérgio Britto.

Com Lurdez da Luz cantando como trovão, “A Nuvem” é um olhar mais apurado quando o assunto é contemplação. Pois nem tudo se resume a sol e estrelas: “A nuvem é a força mais extrema do céu”, cantam Sal e Irina num dueto irresistível.

“Roots Are For Trees” sintetiza o novo momento do grupo. A opção por compor em inglês é crucial para entender o pertencimento universal do Garotas Suecas. “My feet don’t care about the ground they stand”, Tomaz divaga antes de seu solo de guitarra delinear a mais longa faixa de Feras Míticas.

Para dar mais corpo ao disco, a banda convidou uma vigorosa sessão de metais, formada por Anderson Quevedo (sax barítono/flauta), Daniel Nogueira (sax tenor/flauta), Jaziel Gomes (trombone) e Paulinho Viveiro (trompete). As percussões ficam a cargo de Matheus Prado, presente em todo o processo de gravação do álbum e membro permanente dos shows do quinteto.

Em março de 2014, o vocalista Guilherme Saldanha deixou a banda, pela presença dos outros 4 integrantes nos vocais em diversas músicas do segundo álbum.[1] Assim, a banda passou por um processo de reformulação, com inúmeros re-arranjos.

Integrantes[editar | editar código-fonte]

  • Tomaz Paoliello – guitarra e vocal
  • Irina Bertolucci – teclado, percurssão e vocal
  • Fernando Freire (Perdido) – baixo e vocal
  • Antonio Paoliello (Nico) – bateria e vocal

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • EPs
    • 2009: Dinossauros '(Escute no SoundCloud!)
    • 2008: Dificil de Domar
    • 2006: Hey, Hey, Hey, São os Garotas Suecas

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

MTV Video Music Brasil
Ano Trabalhos indicados Prêmios Resultado
2008 Garotas Suecas Aposta MTV Venceu
2009 Garotas Suecas Banda Revelação Indicado[2]
2011 Banho de Bucha Melhor Clipe Indicado
2011 Escaldante Banda Melhor Capa de Álbum Indicado
2012 Não Se Perca Por Aí Melhor Clipe Indicado

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]