Gaspar Jorge de Leão Pereira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gaspar Jorge de Leão Pereira
Arcebispo da Igreja Católica
Arcebispo de Goa

Título

Primaz do Oriente
Ordenação e Nomeação
Ordenação Episcopal 15 de abril de 1560
Nomeado Arcebispo 15 de abril de 1560
Brasão Arquiepiscopal
PrimateNonCardinal PioM.svg
Dados Pessoais
Nascimento Reino de Portugal Lagos
Falecimento Flag Portugal (1521).svg Goa,
15 de agosto de 1576
dados em catholic-hierarchy.org
Arcebispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Dom Gaspar Jorge de Leão Pereira, ou mais simplesmente D. Gaspar de Leão Pereira ou aínda D. Gaspar de Leão (Lagos, ? - Goa, 15 de agosto de 1576) foi o primeiro arcebispo de Goa.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Cónego da sé de Évora, é nomeado arcebispo de Goa, Primaz do Oriente em 1558 ou 1559. Embarca-se para a Índia em 15 de Abril de 1560 para tomar posse da seu encargo.

Renunciou a esta dignidade ao fim de sete anos 1567, e retirou-se para o convento fos Franciscanos, que mandára edificar, distante de Goa uma légua.

A a essa date sucedeo-lhe Frei Jorge Temudo. Por morte deste último, em 1571, D. Gaspar volta a ocupar à arquidiocese até 1576. "Encargo que só aceitou constrangido, e muito a seu pezar (segundo se afirma)."

José António Ismael Gracias[1] aponta diversos nomes de arcebispos que marcaram a imprensa, tal como D. Gaspar de Leão Pereira, referido pelo autor como o "varão doutor e virtuoso, presidindo aos destinos da arquidiocese, presidia igualmente ao movimento dessas imprensas".

No entanto, este mesmo autor faz lembrar a existência de censura prévia aos livros que foram impressos: "Já se viu que a maior parte dos livros que fizemos menção, foram impressos com prévias censuras e licenças, inclusive os do arcebispo Dom Gaspar! (…) O que mostram essas censuras e licenças até para os livros escritos por pessoas de reconhecidas letras e piedade? Quando muito provam o poder da terrível Inquisição, poder que não conhecia limites, e que se estendia até a acorrentas o espírito e opor-se à livre manifestação do pensamento." (p. 23).

Fundador do Colégio de São Paulo, em Goa, onde estavam abertas tipografias, de forma a acompanhar o movimento intelectual.

Obra escrita[editar | editar código-fonte]

  • Compendio espiritual da vida cristã, etc., Publicado em Goa por João Quintino, em 1561. Inocêncio Francisco da Silva diz que "parece ter sido este o primeiro livro, que sahira impresso dos prelos de Goa".
  • Tratado que fez Mestre Hieronimo de Sancta fé, Médico do Papa BeneditoXIII, contra os judeos, etc., Goa, por João d'Endem, 1565
  • Desenganos de Perdidos, Goa, por João d'Endem, 1573. É interessante notar que esta última obra encontra-se mencionada entre os livros prohibidos, no Indice expurgatório de 1581 : a Inquisição em Portugal julgou que esse livro não podia correr ![2]

Está enterrado na Sé Catedral de Goa, perto do Altar de S. José.

Notas

  1. José António Ismael Gracias : A Imprensa em Goa nos Séculos XVI, XVII e XVIII. Apontamentos Histórico-Bibliográficos, Nova-Goa, 1880
  2. Inocêncio Francisco da Silva : Dicionário bibliográfico português

Fontes[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por:
Frei João Afonso de Albuquerque
Bispo
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de Goa

15581567
Sucedido por:
Jorge Temudo
Arcebispo de Goa
15741576
Sucedido por:
Henrique de Távora e Brito