Gaston Lagaffe

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Under construction icon-yellow.svg
Este artigo carece de Caixa de informação
Sinta-se livre para editá-lo para que possa atingir um nível de qualidade superior.


Gaston Lagaffe é uma personagem de banda desenhada franco-belga que foi criada por André Franquin, desenhador e argumentista de nacionalidade belga, nascido em 1924 e falecido em 1997. Em 28 de Fevereiro de 1957, Gaston aparece no n.º 985 do jornal de SPIROU, publicado em 28 de fevereiro de 1957,[1] [2] com a cumplicidade do argumentista Jidéhem. É um personagem que trabalha na redacção das edições do jornal Spirou.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Surge na redacção das edições do jornal Spirou sem nenhuma explicação, aparentemente inactivo, é contratado por uma pessoa que ele nem sequer se lembra. Ficou encarregue da manutenção e da vigilância dos extintores e consegue deitar-lhes fogo, no entanto, é integrado no jornal e denominado como um herói-sem-emprego.

É um “gaffeur” inveterado que semeia ventos e tempestades. São numerosas as invenções e gafes criadas por este preguiçoso, que faz tudo para não ter que trabalhar e impedir que os outros trabalhem - o correio sempre atrasado e que se acumula(até já consegui fazer um labirinto com o correio atrasado) - quando não está a dormir, está a inventar qualquer coisa que não seja trabalho.

Para catalogar o correio utiliza um método muito especial de micro perfurações, em que utiliza como instrumento um cacto. É também um defensor da natureza e dos animais, e como o apartamento aonde vive é pequeno, os seus animais vivem no escritório, um peixinho vermelho, Bubulle; alguns ratos que faz criação, um gato, Dingue: e uma gaivota, que são o terror dos colegas. Chegou ao ponto de levar para o escritório uma vaca que ganhou num concurso. Tem um carro Fiat 509 decorado com adesivos desportivos.

Como apreciador de música, gosta de tocar alguns instrumentos musicais, como a guitarra, o trombone,a tuba, chegando a construir um instrumento extraordinário, o “encrencofone”, que provocou muitas catástrofes (por exemplo deitar um prédio abaixo, ler "Gaffes e estragos").

É um grande apreciador de boa comida e inventor de alguns pratos gastronómicos, tais como, bacalhau com morangos, bacalhau com ananás, etc., arranjando sempre maneira de os cozinhar na hora do expediente.

Está sempre pronto para enganar o agente de polícia Longtarin e não ter que pagar os parquímetros ou as multas do estacionamento do carro.

Enfim, é um personagem único da banda desenhada franco-belga.

Personagens[editar | editar código-fonte]

  • Gaston Lagaffe: Herói, gaffeur, está apaixonado pela Mademoiselle Jeanne.

Animais[editar | editar código-fonte]

  • Gato Dingue: Animal de Gaston que vive na redacção do Jornal Spirou.
  • Gaivota: Animal do Gaston que vive na redacção do Jornal Spirou.
  • Peixe Bolinhas: Animal do Gaston que vive na redacção do Jornal Spirou.
  • Ratos: Animais do Gaston que vivem na redacção do Jornal Spirou.

Colegas do Jornal Spirou[editar | editar código-fonte]

  • Fantásio: Aparece nas primeiras gafes de Gaston, é mais calmo e mais comprensivo que Prunelle face às gaffes do gaston.
  • Spirou: Amigo chegado de Fantasio, aparece de vez em quando.
  • Monsieur Dupuis: Baseado no verdadeiro editor Jean Dupuis. Só aparece duas vezes e em ambas só vemos as suas pernas.
  • Mademoiselle Jeanne: Secretária da redacção, apaixonada pelo Gaston. Ela é a única no escritório que vê algo de bom nele. Aliás a sua cegueira por Gaston mostra o quanto o seu bom senso se assemelha ao de Gaston. No inicio é representada como pouco atraente mas com o passar do tempo, vai se tornando mais curvilinea e elegante, apesar de nunca ser uma rainha de beleza.
  • Léon Prunelle: Chamado "Olhinhos" na versão da editora Arcadia. Vem substituir o Fantásio nas diligências de terminar um contrato com o Sr. Mesmaeker enquanto este está a trabalhar com o seu amigo Spirou. Utiliza a interjeição "Raisupartiça" (Raios o partissem) quando se enerva, embora mostre por vezes que possui sentido de humor (em françês "nom de Dieu").
  • Yves Lebrac (Yvon Lebrac no inicio): Desenhador da redacção. Passa o tempo a namoriscar com as secretárias. Apesar de bom colega do Gaston, de vez em quando tem explosões de furia quando este interfere no seu trabalho.É o personagem com quem Franquin mais se identifica.
  • Monsieur Boulier: Chefe económico da redacção. Representa o lado sério da redacção. Ele afirma que não descansará enquanto não eliminar todas as despesas inutéis da redacção, especialmente as do Gaston, no entanto as suas tentativas de o apanhar saem sempre frustradas! (a palavra Boulier significa literalmente abaco)
  • Mademoiselle Yvonne: Secretária com um fraco por Lebrac.
  • Mademoiselle Sonia: Secretária.
  • Mademoiselle Suzanne: Secretária.
  • Os irmãos Van Schrijfboek: O tradutor embigodado Bertje e o editor ruivo Jef.
  • Mélanie Molaire: A senhora da limpeza.
  • Jules Soutier: O porteiro da redacção. Mais uma vitima das sujeiras de Gaston.

Ocasionalmente, personagens reais do jornal Spirou fazem a sua aparição:

  • Raoul Cauvin (Argumentista): Trabalha na fotocopiadora da redacção do Spirou (função que desempenhou na realidade).
  • Yvan Delporte (Editor/Redactor): Também editor do Jornal Spirou.
  • Franquin: O Autor aparece de vez em quando na série, sempre à procura de uma boa "gag".

Amigos[editar | editar código-fonte]

  • Jules (ou Júlio-da-Smith-em-frente): Amigo de Gaston que trabalha na casa Smith, em frente à redacção Spirou, um gaffeur como Gaston. Talvez sendo o seu amigo mais próximo, participa em inúmeras brincadeiras de Gaston.
  • Bertrand Labévue: Outro gaffeur amigo de Gaston e também seu primo. Apesar de brincalhão Bertrand sofre de depressão aguda espelhando o mesmo problema com que Franquin se debatia. Gaston e Julio fazem o seu melhor para o animar, com comida, passeios ao ar livre entre outras peripécias engraçadas.
  • Manu: Amigo de Gaston. Está constantemente a mudar de trabalho, muitas das vezes por culpa das gaffes de Gaston. Também participa nas ciladas para irritar o policia narigudo Longtarin.
  • William Lapoire: Outro amigo de Gaston. A quem pede muitos conselhos e ajuda em questões de Bricolage. Também participa nos jogos desportivos da redacção do Spirou.
  • O Inglês: Membro do grupo musical "Os Reis do Som" aonde toca bateria.
  • O desenhador anónimo: Que nunca foi baptizado. Gaston costuma encontrar-se com ele na rua quando os seus desenhos são rejeitados pelo jornal Spirou. Franquim arrependeu-se de nunca ter explorado o personagem.
  • O Bando dos Broncos - Formado pelo Gaston e seus amigos para praticarem as suas gaffes. Criaram também vários "projectos musicais":
  • Les Moon Module Mecs, grupo que utiliza pela primeira vez o "broncophone".
  • Les Rois des Sons, que tentam especializar-se no som vanguardista.
  • A Orquestra de sabão, onde conseguem tocar notas dentro de bolhas de sabão.

Outros[editar | editar código-fonte]

  • O agente Joseph Longtarin: Agente da policia que vigia o quarteirão onde a redacção se encontra e que tenta a todo o custo apanhar Gaston a violar a lei com as suas gaffes (Longtarin significa o "Nariz comprido").
  • Ducran et Lapoigne: São associados de uma Empresa de Construção de Pontes que trabalham num dos andares junto *à redacção do Spirou, vitimas das invenções de Gaston (Lapoigne significa "pinça" ou "manápula").
  • Monsier Aimé de Mesmaker: Homem de negócios, que pretende assinar contratos com a redacção do Spirou, mas que nunca consegue por causa das gafes de Gaston.
  • Père Gustave: É um velho agricultor que vive com a sua mulher Maria. Ele tenta a pedido de Fantasio, pôr os citadinos Gaston e seu amigo Julio a trabalhar no campo para os disciplinar, mas arrepende-se sempre no final.
  • Freddy-les-doigts-de-fée: Freddy dedos de fada é um ladrão que faz inúmeras tentativas de assalto à redacção mas que nunca saem certo devido aos perigosos objectos que Gaston inadvertidamente deixa espalhados pela redacção.

Álbuns[editar | editar código-fonte]

  • 0: Gaffes et gadgets (©Editions Dupuis 1985)
  • 1: Gala des gaffes (©dEitions Dupuis 1963)
  • 2: Gare aux gaffes (©Editions Dupuis 1966)
  • 3: Gaffes à gogo (©Editions Dupuis 1964)
  • 4: Gaffes en gros (©Editions Dupuis 1965)
  • 5: Les gaffes d'un gars gonflé (©Editions Dupuis 1967)
  • 6: Des gaffes et des dégâts (© Franquin/Editions Dupuis 1968)
  • 7: Un gaffeur sachant gaffer (© Franquin/Editions Dupuis 1969)
  • 8: Lagaffe nous gâte (© Franquin/Editions Dupuis 1970)
  • R1: Gala de gaffes à gogo (© Franquin/Editions Dupuis 1970)
  • 9: Le cas Lagaffe (© Franquin/Editions Dupuis 1971)
  • 10: Le géant de la gaffe (© Franquin/Editions Dupuis 1972)
  • R2: Le bureau des gaffes en gros (© Franquin/Editions Dupuis 1972)
  • 11: Gaffes, bévues et boulettes (© Franquin/Editions Dupuis 1973)
  • R3: Gare Aux Gaffes Du Gars Gonflé (© Franquin/Editions Dupuis 1973)
  • R4: En direct de la gaffe (© Franquin/Editions Dupuis 1974)
  • 12: Le gang des gaffeurs (© Franquin/Editions Dupuis 1974)
  • 13: Lagaffe mérite des baffes (© Franquin/Editions Dupuis 1979)
  • 14: La saga des gaffes (© Franquin/Editions Dupuis 1982)
  • R5: Le lourd passé de Lagaffe (© Franquin/Editions Dupuis 1986)
  • 15: Gaffe à Lagaffe! (© Franquin/Editions Dupuis 1996)
  • Gaston Biographie d'un Gaffeur, Dupuis 1965

Álbuns editados em Portugal[editar | editar código-fonte]

Editora Arcádia (com o nome de Gastão DaBronca)[editar | editar código-fonte]

  • O Bando das Broncas, 1978
  • Burrices Barracas e Broncas, 1978
  • Dabronca dá Bota, 1981
  • O Caso Dabronca, 1982 - Le cas Lagaffe

Editora Meribérica (por ordem de edição)[editar | editar código-fonte]

  • 6: Gaffes E Estragos, 1989 - (© Franquin/Editions Dupuis 1968 - Des gaffes et des dégâts)
  • 7: Um Bronco Que Só Dá Bronca, 1989 - (© Franquin/Editions Dupuis 1969 - Un gaffeur sachant gaffer)
  • 8: Lagaffe Faz Das Suas, 1990 - (© Franquin/Editions Dupuis 1970 - Lagaffe nous gâte)
  • 9: O Caso Lagaffe, 1990 (© Franquin/Editions Dupuis 1971 - Le cas Lagaffe)
  • 10: O Gigante do Disparate, 1991 - (© Franquin/Editions Dupuis 1972 - Le géant de la gaffe)
  • 13: Lagaffe Só à Estalada, 1991 - (© Franquin/Editions Dupuis 1979 - Lagaffe mérite des baffes)
  • 11: Gaffes, Broncas e Argoladas, 1992 - (© Franquin/Editions Dupuis 1973 - Gaffes, bévues et boulettes)
  • 12: O Bando Dos Broncos, 1992 - (© Franquin/Editions Dupuis 1974 - Le gang des gaffeurs)
  • 14: A Saga Das Gaffes, 1992 - (© Franquin/Editions Dupuis 1982 - La saga des gaffes)
  • R2: O Escritório das Grandes Gaffes, 1994 - (© Franquin/Editions Dupuis 1972 - Le bureau des gaffes en gros)
  • R3: Cuidado com As Gaffes Do Gabarola, 1995 - (© Franquin/Editions Dupuis 1973 - Gare Aux Gaffes Du Gars Gonflé)
  • R1: Festival De Gaffes E Gargalhadas, Setembro de 1999 (© Franquin/Editions Dupuis 1970 - Gala de gaffes à gogo)
  • 0: Gaston 1, Abril de 2003 - (©Editions Dupuis 1985 - Gaffes et gadgets)

Edições ASA/Jornal Público (reedição/2010)[editar | editar código-fonte]

  • 1: Os Arquivos do Lagaffe
  • 2: Gaffes em Barda
  • 3: Gaffes de um Fanfarrão
  • 4: Festival de Broncas
  • 5: O Escritório vai abaixo
  • 6: Calinadas do Calinas
  • 7: Mais Gaffes do Lagaffe
  • 8: Gaffes às Rajadas
  • 9: De Gaffe em Gaffe
  • 10: O ás das argoladas
  • 11: O descanso do Trapalhão
  • 12: Engenhocas do Lagaffe
  • 13: Um bronco do piorio
  • 14: Gaffes, argoladas e trapalhadas
  • 15: É só broncos
  • 16: Tabefes para o Lagaffe
  • 17: Gaffes atrás de Gaffes
  • 18: Resmas de Gaffes
  • 19: Cuidado com o Lagaffe

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]