Gastrulação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Gastrulação de um diploblasto: A formação de camadas germinativas de uma (1) blástula até à (2) gástrula. Algumas das células da ectoderme (laranja) movem-se para dentro formando a endoderme (vermelha).

A gastrulação é o processo de formação de dois dos três folhetos embrionários, a endoderme, a mesoderme e a ectoderme.

Nos cordados o zigoto, célula resultante da fecundação, começa quase que imediatamente a realizar sucessivas divisões mitóticas. Às células individuais formadas dessas divisões dá-se o nome de blastômeros. Após 5 divisões o embrião, de 32 células, forma um maciço de células denominado mórula.

A partir dessa, as células começam a se posicionar de maneira que seja criado um espaço dentro do embrião, começando a formar uma futura cavidade digestiva. Em seguida o embrião sofrerá uma invaginação (embolia), dando início ao processo de gastrulação em si. Ao fim da gastrulação o embrião se denomina gástrula, havendo então a diferenciação dos tecidos (endoderme e ectoderme).

Este processo é bastante diferente de espécie para espécie:

Invaginação

Invaginação – também designada embolia, é o processo mais simples, em que a zona da blastoderme correspondente ao pólo vegetativo, ou dos macrómeros, se invagina, afundando-se activamente até chegar ao contacto com a zona oposta. A parte invaginada forma a endoderme e a externa a ectoderme. Esta situação, ocorre já nos cordados inferiores e equinodermes até o ser humano;

Epibolia

Epibolia – neste caso os macrómeros vão ser rodeados pelos micrómeros, devidos às mitoses aceleradas destes. Assim, passivamente, os macrómeros ficam internamente, formando a endoderme e os micrómeros a ectoderme. Esta situação é típica dos ovos de anfíbio;

Migração

Migração – alguns blastómeros isolam-se e migram para o blastocélio, vindo a unir-se e a originar a endoderme, que ficará rodeada pela ectoderme. Este fenómeno é característico dos vertebrados superiores;

Delaminação

Delaminação – células da blastoderme dividem-se, segundo um plano paralelo à superfície, formando a endoderme.