Gaudêncio Frigotto

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Gaudêncio Frigotto é um filósofo e pedagogo brasileiro. Nasceu em Paim Filho, no interior do Rio Grande do Sul, em 1947.

Em 1971, graduou-se em Filosofia e, dois anos depois, em Pedagogia, ambos os cursos pela Fidene, atual Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUI), em Ijuí-RS.

Em 1977, já no Rio de Janeiro, onde vive desde então, tornou-se mestre em Administração de Sistemas Educacionais pela Fundação Getúlio Vargas - FGV/RJ e em 1983 fez seu doutorado em Educação: História, Política, Sociedade na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo.

Professor Titular aposentado da Universidade Federal Fluminense (UFF),[1] onde permanece como colaborador, Frigotto hoje é Professor Adjunto da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Ministra, na UERJ, a disciplina Economia Política da Educação no curso de Graduação de Pedagogia. E, ainda, as disciplinas de Epistemologia da Educação e Teoria da Educação no Programa de Pós-Graduação (mestrado e doutorado) em Políticas Públicas e Formação Humana, da UERJ.

É autor ou co-autor de mais de 20 livros e de dezenas de artigos em revistas nacionais e internacionais.[2] [3]

Obras do autor[editar | editar código-fonte]

  • A produtividade da escola improdutiva - Editora Cortez (1984)
  • Educação e crise do capitalismo real - Editora Cortez (1994)
  • Educação e crise do trabalho: perspectivas de final e século (org) - Editora Vozes (1998)
  • Teoria e educação no labirinto do capital (org) - Editora Vozes (2000)

Referências