Gavião-tesoura

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Como ler uma caixa taxonómicaGavião-tesoura
Swallowtailedkite.jpg

Estado de conservação
Status iucn3.1 LC pt.svg
Pouco preocupante (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Accipitriformes
Falconiformes
Família: Accipitridae
Género: Elanoides
Espécie: E. forficatus
Nome binomial
Elanoides forficatus
(Linnaeus, 1758)
Sinónimos
  • Elanus forficatus
  • Falco forficatus

O Gavião-tesoura ou gavião-tesoira (Elanoides forficatus) é um gavião da família dos acipitrídeos, com ampla distribuição da América Central ao Norte da República da Argentina, encontrado em todo o Brasil. A espécie chega a medir até 66cm de comprimento, com dorso e asas negras, cabeça e partes inferiores brancas, e cauda extremamente furcada, negra, semelhante à do tesourão. Também é conhecido pelos nomes de gavião-das-taperas, gavião-tesoira, itapema, tapema e tesourão.

Características[editar | editar código-fonte]

Um dos mais espetaculares gaviões, devido ao perfil formado pela longa cauda negra em “V”, que o batizou com seu nome gavião tesoura, e torna extremamente fácil reconhecê-lo em vôo. O corpo delgado com pés e pernas muito pequenos. Possuem patas com garras fortes, bico em formato de gancho e asas bem desenvolvidas. As fêmeas são maiores que os machos. Atinge de comprimento 52 a 66 cm. As asas têm uma envergadura de 120 a 135 cm. O peso máximo nos machos é de 407 gramas e nas fêmeas de 435 gramas.

Entre as Aves de Rapina essa é uma das mais sociáveis, vivem em pequenos grupos que podem chegar até 30 indivíduos. No ar é muito ágil, voa com grande habilidade entre as árvores, manobrando rapidamente sobre copa das árvores ou passando logo abaixo delas. Ali busca seu alimento, onde se misturam aves, pequenos lagartos, cobras arborícolas e lagartas. Costuma apanhar frutos nas árvores, nesses rápidos vôos de passagem. Também captura insectos em vôo. Usa as correntes térmicas para adquirir a altura.

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Com a chegada da época de reprodução, o macho e fêmea se conquistam fazendo belas apresentações de vôo e costumam ficar juntos por toda a vida. O ninho é feito em colônias, construído no alto de árvores, em lugares mais afastados. Geralmente selecionam um local escondido nas arvores entre as folhagens. É possível que alguns dos adultos do grupo, que não estão se reproduzindo no ano, tentam ajudar outros machos contribuindo com material para fazer o ninho. Constroem o ninho de gravetos e musgo. Botam de dois a três ovos brancos ou cremes muito pálidos. O período de incubação é de 24 a 28 dias que é realizado por ambos os pais, embora seja a mãe que permanece mais tempo no ninho. Ambos os pais alimentam e cuidam dos filhotes. Defensores, os gaviões não hesitam em atacar quem pensa em se aproximar dos filhotes.Possivelmente os filhotes deixam o ninho com seis ou sete semanas, mas continuam perto dos pais por um tempo, quando migram para a Amazônia.

Habitat e Alimentação[editar | editar código-fonte]

O Gavião Tesoura vive nas bordas de florestas e campos. Ocorre em todo o Brasil, habita as florestas com pouca vegetação, matas ciliares, borda de matas, cerrados, cerradões e áreas urbanas. Existem duas populações de gavião-tesoura, uma se reproduz no sul do Brasil e a outra, ameaçada de extinção, na América Central e sul dos EUA. Ambas passam seus invernos na floresta amazônica.

A alimentação do gavião tesoura consiste em artrópodes que captura e come no vôo, peixes, anfíbios, répteis pequenos (como serpentes), aves e mamíferos. Se alimenta também de cupins, formigas, lagartas, lagartixas, e rãs, além da fruta do murici e do camboatá vermelho.

Ícone de esboço Este artigo sobre Aves, integrado no Projeto Aves é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.

Referências[editar | editar código-fonte]