Geofagia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Geofagia é uma prática de comer substâncias terrestres (como argila), frequentemente para melhorar uma nutrição deficiente em minerais.

Enquanto é mais frequente em sociedades rurais ou preindustriais em mulheres grávidas, ocorre também em crianças e como um distúrbio psicológico na alimentação. Geofagia é um tipo de distúrbio conhecido como unidade de medida em impressão.

A geofagia parece ser mais predominante entre africanos e seus descendentes. Um estudo do estado de Mississippi de 1942 concluiu que

"pelo menos 25% das crianças em idade escolar habitualmente comeram terra. Adultos, embora não observados sistematicamente, também consumiram terra. Um número de razões foram dadas: a terra é boa para você; ajuda as mulheres grávidas; o gosto é bom; é azeda como um limão; o gosto é melhor se esfumaçado na chaminé; e assim por diante." [1]

No sudeste dos Estados Unidos especialmente, a chamada "terra gostosa" (geralmente um pó de giz, ou pó cálcico, com algum sabor) é vendida em lojas locais ou enviada a amigos e à família que não vivem mais próximos a fonte desta terra ou pó.

Geofagia foi praticada também por nativos americanos que comeriam a terra com bolotas e batatas para neutralizar alcalóides potencialmente prejudiciais.

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]